Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Quality of meat from Santa Ines sheep with different biotypes and slaughtering weights

OLIVEIRA, Flávio Gomes de; SOUSA, Wandrick Hauss de; CARTAXO, Felipe Quiroga; BATISTA, Ana Sancha Malveira; RAMOS, João Paulo de Farias; CAVALCANTE, Iara Tamires Rodrigues.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-745714

Resumo

ABSTRACT The Santa Inês breed is of great importance for the lamb production chain in Brazil. The adaptive and reproductive characteristics of this breed favor its use in future breeding programs for the production of sheep for slaughter in northeastern Brazil. This study evaluated the carcass characteristics, physical parameters, chemical composition and determination of the fatty acid profile of the lambs of the traditional and modern biotypes, slaughtered at 32 kg and 34 kg. Thirty-six Santa Inês lambs were used, with an average age of 180 days and initial weight of 16 kg in a completely randomized design, with a faecal spruce 2x2 (two biotypes and two slaughtering weights). The data were submitted to analysis of variance and averages were compared by the test F = 0.05 using SAS GLM, (2011) - Statistical Analysis System, version 9.3.Biotypes and slaughter weight did not influence the physical parameters and the fatty acid profile of the meat. Centesimal composition of meat was influenced by treatments, with the larger contents of meat moisture for the traditional biotype slaughtered at 32 kg, and higher content of ash, protein and fat present in the meat for the modern biotype slaughtered at 34 kg. Santa Inês animals that if frame Modern biotype presents potential for meat production with high nutritional value, due to higher protein content, low fat content and satisfactory amount of oleic, palmitic, stearic, linoleic fatty acids, as well as a great relationship between polyunsaturated acids and saturated.
RESUMO A raça Santa Inês é de grande importância para a cadeia de produção de cordeiros no Brasil. As características adaptativas e reprodutivas desta raça favorecem seu uso em futuros programas de melhoramento genético para a produção de ovinos para abate, no nordeste do Brasil. Este estudo avaliou características de carcaça, parâmetros físicos, a composição química e determinação do perfil de ácidos graxos da carne de cordeiros dos biótipos Tradicional e Moderno, abatidos com 32 kg e 34 kg. Foram utilizados 36 cordeiros Santa Inês, não-castrados, com idade média de 180 dias e peso inicial de 16 kg em delineamento inteiramente casualisado, com arranjo fatorial 2x2 (dois biotipos e dois pesos de abate). As dados foram submetidos a análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste F a = 0,05 com o uso de GLM do SAS, (2011) - Statistical Analysis System, versão 9.3. Os biótipos e o peso de abate não influenciaram os parâmetros físicos e o perfil dos ácídos graxo da carne. Já a composição centesimal da carne foi influenciada pelos tratamentos, com os maiores teores de umidade na carne para o biótipo tradicional e abatidos aos 32 kg, e maior teor de cinza, proteína e gordura presente na carne para o biótipo moderno abatido aos 34 kg. Os animais da raça Santa Inês que se enquadram no biótipo Moderno apresentam potencial para produção de carne com alto valor nutricional, devido ao maior teor de proteínas, baixo teor de gordura e quantidade satisfatória de ácidos graxos oléico, palmítico, esteárico e linoleico, além de uma ótima relação entre ácidos poliinsaturados e saturados.
Biblioteca responsável: BR68.1