Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

PROLINE OF LEAF APPLICATION ON GROWTH AND PHYSIOLOGY OF GREEN CORN ON SOIL SALINITY DIFFERENT LEVELS / APLICAÇÃO FOLIAR DE PROLINA NO CRESCIMENTO E FISIOLOGIA DO MILHO VERDE CULTIVADO EM SOLO SALINIZADO

Silva, Francisco d de Assis da; Pereira, Francisco Hevilasio Freire; Campos Junior, José Eustáquio; Nobrega, Jackson Silva; Dias, Mirandy dos Santos.
Colloq. agrar.; 16(5): 23-34, 2020.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-759596

Resumo

Corn (Zea mays L.) is one of the most cultivated crops in the world. In Brazil, this cereal has a wide diversity of use. Most of the areas where maize production is used is irrigation, however, when performed inadequately it becomes preponderant for salinization of soils. The effect of proline foliar application on the growth and physiology of the green maize cultivated in salinized soil was evaluated. The experiment was conducted at the Center for Agro-Food Science and Technology (CCTA), belonging to the Federal University of Campina Grande (UFCG), Pombal, PB, from March  to April 2015, using maize variety AG 1051. The treatments consisted of two levels of soil salinity (EC = 3.26 and 0.86 dS/m) and five concentrations of proline (0, 2.5, 5.0, 7.5 and 10 mmol L -¹) applied by leaf on corn plants. The experimental design was completely randomized, in the 2 x 5 factorial scheme, with four replications. A higher growth and mass accumulation was observed when the plants were conducted in soil of lower salinity (CE = 0.86 dS/m). Transpiration was influenced by salinity and proline concentration. The highest rate of intercellular CO2 concentration (Ci) was obtained at the concentration of 7.5 mmol L-¹ proline. Proline concentrations did not influence the growth and mass accumulation aspects of maize.
 O milho (Zea mays L.) é uma das culturas mais cultivadas no mundo. No Brasil, este cereal tem ampla diversidade de uso. A maioria das áreas onde há produção de milho, utiliza-se a irrigação, entretanto, quando realizada de forma inadequada, torna-se preponderante para a salinização dos solos. Assim, objetivou-se avaliar, o efeito da aplicação foliar de prolina no crescimento e fisiologia da cultura do milho cultivado em solo salinizado. O experimento foi conduzido no Centro de Ciência e Tecnologia Agroalimentar (CCTA), pertencente à Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Pombal, PB, no período de março a abril de 2015, utilizando-se a variedade de milho AG 1051. Os tratamentos foram constituídos por dois níveis de salinidade do solo, (CE= 3,26 e 0,86 dS/m) e cinco concentrações de prolina (0; 2,5; 5,0; 7,5 e 10 mmol L-¹) aplicada via foliar nas plantas de milho. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, no esquema fatorial 2 x 5, com quatro repetições. Foi observado um maior crescimento e acúmulo de massa quando as plantas foram conduzidas em solo de menor salinidade (CE= 0,86 dS/m).  A transpiração foi influenciada pela salinidade e pela concentração de prolina. A maior taxa de concentração intercelular de CO2 (Ci) foi obtida na concentração de 7,5 mmol L-¹ prolina. As concentrações de prolina não influenciaram nos aspectos de crescim
Biblioteca responsável: BR68.1