Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 21
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 37: e1795, 2024. graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1549972

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Bile duct injury (BDI) causes significant sequelae for the patient in terms of morbidity, mortality, and long-term quality of life, and should be managed in centers with expertise. Anatomical variants may contribute to a higher risk of BDI during cholecystectomy. AIMS: To report a case of bile duct injury in a patient with situs inversus totalis. METHODS: A 42-year-old female patient with a previous history of situs inversus totalis and a BDI was initially operated on simultaneously to the lesion ten years ago by a non-specialized surgeon. She was referred to a specialized center due to recurrent episodes of cholangitis and a cholestatic laboratory pattern. Cholangioresonance revealed a severe anastomotic stricture. Due to her young age and recurrent cholangitis, she was submitted to a redo hepaticojejunostomy with the Hepp-Couinaud technique. To the best of our knowledge, this is the first report of BDI repair in a patient with situs inversus totalis. RESULTS: The previous hepaticojejunostomy was undone and remade with the Hepp-Couinaud technique high in the hilar plate with a wide opening in the hepatic confluence of the bile ducts towards the left hepatic duct. The previous Roux limb was maintained. Postoperative recovery was uneventful, the drain was removed on the seventh post-operative day, and the patient is now asymptomatic, with normal bilirubin and canalicular enzymes, and no further episodes of cholestasis or cholangitis. CONCLUSIONS: Anatomical variants may increase the difficulty of both cholecystectomy and BDI repair. BDI repair should be performed in a specialized center by formal hepato-pancreato-biliary surgeons to assure a safe perioperative management and a good long-term outcome.


RESUMO RACIONAL: As lesões de via biliar (LVB) impõem sequelas significativas ao paciente em termos de morbidade, mortalidade e qualidade de vida a longo prazo, devendo ser manejadas em centros especializados. Variantes anatômicas podem contribuir para um maior risco de LVB durante colecistectomia. OBJETIVOS: Relatar paciente com lesão de via biliar associado a situs inversus totalis. MÉTODOS: Paciente do sexo feminino, 42 anos, com histórico prévio de situs inversus totalis e LVB inicialmente reparada simultaneamente à lesão, há 10 anos, por um cirurgião não especializado. Ela foi encaminhada a um centro especializado devido a episódios recorrentes de colangite e um padrão laboratorial colestático. Colangiressonância revelou uma grave estenose anastomótica. Devido à sua idade jovem e colangites recorrentes, foi submetida a uma revisão cirúrgica da hepaticojejunostomia com técnica de Hepp-Couinaud. Até onde sabemos, este é o primeiro relato de reparo de LVB em um paciente com situs inversus totalis. RESULTADOS: A hepaticojejunostomia realizado prèviamente foi desfeita e refeita empregando a técnica de Hepp-Couinaud, alta na placa hilar, com uma ampla abertura na confluência dos ductos biliares em direção ao ducto hepático esquerdo. A alça de roux anterior foi mantida. A recuperação pós-operatória transcorreu sem intercorrências, o dreno foi removido no sétimo dia pós-operatório, e a paciente está agora assintomática, com bilirrubina e enzimas canalículares normais, e sem mais episódios de colestase ou colangite. CONCLUSÕES: Variantes anatômicas podem aumentar a dificuldade tanto da colecistectomia quanto do reparo de LVB, o qual deve ser realizado em um centro especializado por cirurgiões hepatobiliares para garantir um manejo perioperatório seguro e um bom resultado a longo prazo.

2.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 37: e1796, 2024. graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1549973

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Duodenal adenocarcinoma is a small percentage of gastrointestinal neoplasms, around 0.5%, and its treatment is based on resection of the tumor, classically by pancreaticoduodenectomy. In recent years, however, segmental resections of duodenal lesions, that do not involve the second portion or the periampullary region, have gained relevance with good surgical and oncological outcomes as well as the benefit of avoiding surgeries that can result in high morbidity and mortality. AIMS: To report a case of an elderly female patient with malignant neoplastic lesion in the third and fourth duodenal portion, non-obstructive, submitted to surgical treatment. METHODS: The technical option was the resection of the distal duodenum and proximal jejunum with preservation of the pancreas and reconstruction with side-to-side duodenojejunal anastomosis. RESULTS: The evolution was satisfactory and the surgical margins were free of neoplasia. CONCLUSIONS: Segmental resections of the duodenum are feasible and safe, offering the benefit of preventing complications of pancreaticoduodenectomies.


RESUMO RACIONAL: O adenocarcinoma duodenal é uma pequena porcentagem das neoplasias gastrointestinais, em torno de 0,5%, e seu tratamento baseia-se na ressecção da massa tumoral, classicamente por pancreatoduodenectomia. Nos últimos anos, porém, as ressecções segmentares de lesões duodenais que não envolvem a segunda porção ou a região periampular têm ganhado relevância com bons resultados cirúrgicos e oncológicos e com o benefício de evitar uma cirurgia que pode apresentar alta morbimortalidade. OBJETIVOS: Reportar o caso de uma paciente feminina, idosa, com lesão neoplásica maligna na terceira e quarta porção duodenal, não obstrutiva, submetida a tratamento cirúrgico. MÉTODOS: A opção técnica foi a ressecção do duodeno distal e jejuno proximal com preservação do pâncreas e reconstrução com anastomose duodenojejunal látero-lateral. RESULTADOS: A evolução foi satisfatória e as margens cirúrgicas foram livres de neoplasia. CONCLUSÕES: As ressecções segmentares do duodeno são factíveis e seguras, com os benefícios de evitar as complicações das pancreatoduodenectomias.

3.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1785, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1549970

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: There is a lack of valid and specific tools to measure chronic constipation severity in Brazil. AIMS: To validate the Constipation Scoring System for Brazilian spoken Portuguese. METHODS: Translation, cultural adaptation, and validation itself (reliability and convergent and divergent validation). Translation: definitive version from the original version's translation and evaluation by specialists. Cultural adaptation: score content analysis of the definitive version, as an interview to patients. Interobserver reliability: application by two researchers on the same day. Intraobserver reliability: same researcher at different times, in a 7-day interval. Divergent validation: non-constipated volunteers. Convergent validation: two groups, good response to clinical treatment and refractory to treatment. RESULTS: Cultural adaptation: 81 patients, 89% female, with mean age of 55 and seven years of schooling, and overall content validity index was 96.5%. Inter and intraobserver reliability analysis: 60 patients, 86.7% female, mean age of 56 and six years of schooling, and the respective intraclass correlation coefficients were 0.991 and 0.987, p<0.001. Divergent validation: 40 volunteers, 25 male, mean age of 49 years, and the mean global score was 2. Convergent validation of patients with good response to clinical treatment: 47 patients, 39 female, mean age of 60 and six years of schooling, and the pre- and post-treatment scores were 19 and 8, respectively (p<0.001). Convergent validation of refractory to clinical treatment patients: 75 patients, 70 female, mean age of 53 and seven years of schooling, and the global average score was 22. CONCLUSIONS: The Constipation Scoring System (Índice de Gravidade da Constipação Intestinal) validated for the Brazilian population is a reliable instrument for measuring the severity of intestinal chronic constipation.


RESUMO RACIONAL: No Brasil há escassez de instrumentos específicos e validados para a avaliação da gravidade da constipação intestinal crônica. OBJETIVOS: Validar o instrumento Constipation Scoring System para pacientes com constipação crônica. MÉTODOS: Tradução, adaptação cultural e validação propriamente dita. Tradução: versão definitiva a partir de traduções do original avaliadas por especialistas. Adaptação cultural: avaliação do conteúdo por entrevista a pacientes. Confiabilidade interobservadores: entrevista por dois pesquisadores no mesmo dia. Confiabilidade intraobservador: duas entrevistas pelo mesmo pesquisador (intervalo de 7 dias). Validação divergente: voluntários não constipados. Validação convergente: dois grupos, boa resposta e refratários ao tratamento clínico. RESULTADOS: Adaptação cultural: 81 pacientes, sendo 89% do sexo feminino, com média de idade de 55 anos e 7 anos de escolaridade. O índice de validade de conteúdo global foi de 96,5%. Confiabilidade interobservadores e intraobservador: 60 pacientes, sendo 86,7% do sexo feminino, com média de idade de 56 anos e 6 anos de escolaridade. O coeficiente de correlação intraclasse foi de 0,991 e 0,987 (p<0,001), respectivamente. Validação divergente: 40 voluntários, sendo 62,5% do sexo masculino, com média de idade de 49 anos e pontuação média: 0. Validação convergente dos pacientes com boa resposta do tratamento clínico: 47 pacientes, sendo 83% do sexo feminino, com média de idade de 60 anos e 6 anos de escolaridade. Os índices pré e pós-tratamento foram 19 e 8 (p<0,001), respectivamente. Validação convergente dos pacientes refratários ao tratamento clínico: 75 pacientes sendo 93% do sexo feminino, com média de idade de 53 anos e 7 anos escolaridade. A pontuação média foi 22. CONCLUSÕES: O Constipation Scoring System validado para população brasileira (Índice de Gravidade da Constipação Intestinal), é instrumento confiável para a aferição da gravidade da constipação intestinal crônica.

4.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1777, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527551

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Adhesive small bowel obstruction is one of the most common causes of surgical emergencies, representing about 15% of hospital admissions. Defining the need and timing of surgical intervention still remains a challenge. AIMS: To report the experience of using meglumine-based water-soluble contrast in a tertiary hospital in southern Brazil, comparing with the world literature. METHODS: Patients suspected of having adhesive small bowel obstruction, according to their clinical conditions, underwent an established protocol, consisting of the administration of water-soluble contrast, followed by plain abdominal radiograph within 12 hours and by a new clinical evaluation. The protocol was initiated after starting conservative management, including fasting and placement of a nasogastric tube, as well as intravenous fluid reposition. RESULTS: A total of 126 patients were submitted to the protocol. The water-soluble contrast test sensitivity and specificity after the first radiograph were 94.6 and 91.0%, respectively; after the second radiograph, these values were 92.3 and 100%. The general test values for sensitivity and specificity were 91.9 and 100%, respectively. CONCLUSIONS: The measure parameters evaluated in this study were similar to those found in the literature, contributing to endorse the importance of this test in the evaluation of patients with adhesive small bowel obstruction. The particular relevance of this study was the similar results that were found using a different type of meglumine-based contrast, which is available in Brazil.


RESUMO RACIONAL: A obstrução intestinal por bridas é uma das causas mais comuns de atendimento em emergências cirúrgicas, representando cerca de 15% das internações hospitalares. Definir a necessidade e o momento da intervenção cirúrgica ainda permanece um desafio. OBJETIVOS: Relatar a experiência do uso de contraste hidrossolúvel à base de meglumina em um hospital terciário do sul do Brasil, comparando com a literatura mundial. MÉTODOS: Pacientes com suspeita de obstrução do intestino delgado por bridas, de acordo com suas condições clínicas, foram submetidos a um protocolo estabelecido, que consiste na administração de contraste hidrossolúvel, seguido de radiografia abdominal simples em 12 horas e, posteriormente, de nova avaliação clínica. O protocolo foi iniciado após manejo conservador inicial, incluindo jejum e sonda nasogástrica, bem como reposição de fluidos intravenosos. RESULTADOS: Foram submetidos ao protocolo 126 pacientes. A sensibilidade e a especificidade após a primeira radiografia foram de 94,6 e de 91%, respectivamente; após a segunda radiografia, esses valores foram de 92,3 e 100%. Os valores gerais do teste para sensibilidade e especificidade foram 91,9 e 100%. CONCLUSÕES: Os parâmetros de medida avaliados neste estudo foram semelhantes aos encontrados na literatura, contribuindo para endossar a importância deste teste na avaliação de pacientes com obstrução adesiva do intestino delgado. A relevância particular deste estudo foram os resultados semelhantes encontrados usando tipos diferente de contraste hidrossolúveis, disponíveis no Brasil.

5.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1784, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527552

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Achalasia is an esophageal motility disorder, with clinical presentation of dysphagia and regurgitation. This is a chronic condition with no cure. Current treatment options aim to reduce lower esophageal sphincter tone by pharmacological, endoscopic or surgical means, with the aim of improving patients' symptoms. Peroral endoscopic myotomy (POEM) is an alternative endoscopic surgery to Heller cardiomyotomy, in which the procedure is performed orally, by endoscopy, offering efficacy comparable to surgical myotomy, with relative ease and minimal invasion, without external incisions. AIMS: To study the safety of POEM by analyzing its results, adverse events and perioperative complications and the main ways to overcome them, in addition to evaluating the effectiveness of the procedure and the short-term postoperative quality of life. METHODS: A qualitative and quantitative, observational and cross-sectional study that analyzed patients who underwent the POEM in a reference center, from December 2016 to December 2022, maintaining the technical standard of pre-, peri- and postoperative protocol. RESULTS: A total of 94 patients were included in the study, and only three had postoperative complications. The average early postoperative Eckardt score was 0.93 and the late 1.40, with a mean improvement of 7.1 in early results and 6.63 in late results (p<0.05). CONCLUSIONS: POEM can be reproduced with an excellent safety profile, significant relief of symptoms and improvement in esophageal emptying, and in quality of life.


RESUMO RACIONAL: A acalasia é uma desordem da motilidade esofágica, com apresentação clínica de disfagia e regurgitação, uma condição crônica sem cura. As opções de tratamentos atuais visam reduzir o tônus do esfíncter esofagiano inferior (EEI) por meios farmacológicos, endoscópicos ou cirúrgicos, com o objetivo de aliviar os sintomas dos pacientes. A miotomia endoscópica peroral, sigla do inglês (POEM) é uma cirurgia endoscópica alternativa à cardiomiotomia a Heller (CH), em que a miotomia é realizada por via oral, por endoscopia, oferecendo eficácia comparável a miotomia cirúrgica, com relativa facilidade e mínima invasão, sem incisões externas. OBJETIVOS: Analisar a segurança do POEM analisando seus resultados, eventos adversos, complicações perioperatórias e suas principais formas de contorná-los, além de avaliar a eficácia do procedimento e a qualidade de vida pós-operatória, em curto prazo. MÉTODOS: Estudo qualitativo e quantitativo, observacional e transversal avaliando pacientes que realizaram o POEM em um centro de referência, entre dezembro de 2016 até dezembro de 2022, mantendo padrão técnico de preparo pré, peri e pós-operatório. RESULTADOS: Foram incluídos no estudo 94 pacientes e apenas 3 apresentaram complicações pós-operátorias. O escore de Eckardt médio precoce pós-operatório foi de 0,93 e o tardio de 1,40, com melhora média de 7,1 em resultados precoces e de 6,63 em resultados tardios (p<0,05). CONCLUSÕES: O POEM pode ser reproduzido com excelente perfil de segurança, alívio significativo dos sintomas e melhora do esvaziamento do esôfago, oferecendo melhora na qualidade de vida.

6.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1786, 2023. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527553

RESUMO

ABSTRACT Despite endoscopic eradication therapy being an effective and durable treatment for Barrett's esophagus-related neoplasia, even after achieving initial successful eradication, these patients remain at risk of recurrence and require ongoing routine examinations. Failure of radiofrequency ablation and argon plasma coagulation is reported in 10-20% of cases.


RESUMO Apesar de a terapia de erradicação endoscópica ser um tratamento eficaz e durável para a neoplasia relacionada ao esôfago de Barrett (BE), mesmo após a erradicação inicial bem-sucedida, esses pacientes permanecem em risco de recorrência e requerem exames de rotina contínuos. A falha na ablação por radiofrequência e na coagulação com plasma de argônio é relatada em 10-20% dos casos.

7.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1779, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527554

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Liver transplantation (LT) is the only treatment that can provide long-term survival for patients with acute-on-chronic liver failure (ACLF). Although several studies identify prognostic factors for patients in ACLF who do not undergo LT, there is scarce literature about prognostic factors after LT in this population. AIM: Evaluate outcomes of ACLF patients undergoing LT, studying prognostic factors related to 1-year and 90 days post-LT. METHODS: Patients with ACLF undergoing LT between January 2005 and April 2021 were included. Variables such as chronic liver failure consortium (CLIF-C) ACLF values and ACLF grades were compared with the outcomes. RESULTS: The ACLF survival of patients (n=25) post-LT at 90 days, 1, 3, 5 and 7 years, was 80, 76, 59.5, 54.1 and 54.1% versus 86.3, 79.4, 72.6, 66.5 and 61.2% for patients undergoing LT for other indications (n=344), (p=0.525). There was no statistical difference for mortality at 01 year and 90 days among patients with the three ACLF grades (ACLF-1 vs. ACLF-2 vs. ACLF-3) undergoing LT, as well as when compared to non-ACLF patients. CLIF-C ACLF score was not related to death outcomes. None of the other studied variables proved to be independent predictors of mortality at 90 days, 1 year, or overall. CONCLUSIONS: LT conferred long-term survival to most transplant patients. None of the studied variables proved to be a prognostic factor associated with post-LT survival outcomes for patients with ACLF. Additional studies are recommended to clarify the prognostic factors of post-LT survival in patients with ACLF.


RESUMO RACIONAL: O transplante hepático (TH) é o único tratamento a proporcionar sobrevida a longo prazo para pacientes com "acute-on-chronic liver failure" (ACLF). Vários estudos identificaram fatores prognósticos para pacientes em ACLF que não realizam TH, porém há poucos dados na literatura sobre fatores prognósticos nessa população transplantada. OBJETIVOS: Avaliar desfechos de pacientes ACLF submetidos a TH, e seus preditores de mortalidade. MÉTODOS: Foram avaliados pacientes em ACLF submetidos a TH entre janeiro de 2005 e abril de 2021. Variáveis como valores CLIF-C ACLF e pontuação no ACLF foram comparadas com os desfechos. RESULTADOS: A sobrevida de ACLF pós TH de pacientes (n=25) em 90 dias, 1, 3, 5 e 7 anos, foi de 80, 76, 59,5, 54,1 e 54,1% versus 86,3, 79,4, 72,6, 66,5 e 61,2% para pacientes submetidos a TH por outras indicações (n=344), (p=0,525). Não houve diferença estatística para mortalidade em 01 ano e 90 dias entre pacientes com os três graus de ACLF (ACLF-1 vs. ACLF-2 vs. ACLF-3), bem como quando comparados a pacientes não ACLF. O escore "chronic liver failure consortium" (CLIF-C) ACLF não se correlacionou com desfechos de óbito. Nenhuma das outras variáveis estudadas mostrou-se preditora independente de mortalidade em 90 dias, após um ano ou global. CONCLUSÕES: TH conferiu sobrevida em longo prazo à maioria dos pacientes transplantados, semelhante aos pacientes submetidos à TH por outras indicações. Nenhuma das variáveis estudadas mostrou-se fator prognóstico associado a desfechos de sobrevida pós-TH para pacientes com ACLF. Estudos adicionais são necessários para estabelecer fatores prognósticos pós-TH em pacientes com ACLF.

8.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1775, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527555

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Morbidity of liver resections is related to intraoperative bleeding and postoperative biliary fistulas. The Endo-GIA stapler (EG) in liver resections is well established, but its cost is high, limiting its use. The linear cutting stapler (LCS) is a lower cost device. AIMS: To report open liver resections, using LCS for transection of the liver parenchyma and en bloc stapling of vessels and bile ducts. METHODS: Ten patients were included in the study. Four patients with severe abdominal pain had benign liver tumors (three adenomas and one focal nodular hyperplasia). Among the remaining six patients, four underwent liver resection for the treatment of colorectal liver metastases, three of which had undergone preoperative chemotherapy. The other two cases were one patient with metastasis from a testicular teratoma and the other with metastasis from a gastrointestinal neuroectodermal tumor. RESULTS: The average length of stay was five days (range 4-7 days). Of the seven patients who underwent resections of segments II/III, two presented postoperative complications: one developed a seroma and the other a collection of abdominal fluid who underwent percutaneous drainage, antibiotic therapy, and blood transfusion. Furthermore, the three patients who underwent major resections had postoperative complications: two developed anemia and received blood transfusions and one had biloma and underwent percutaneous drainage and antibiotic therapy. CONCLUSIONS: The use of the linear stapler in hepatectomies was efficient and at lower costs, making it suitable for use whenever EG is not available. The size of the LCS stapler shaft is more suitable for en bloc transection of the left lateral segment of the liver, which is thinner than the right one. Further studies are needed to evaluate the safety of LCS for large liver resections and resections of tumors located in the right hepatic lobe.


RESUMO RACIONAL: A morbidade das ressecções hepáticas está relacionada a sangramento intraoperatório e fístulas biliares pós-operatórias. O grampeador Endo-GIA (EG) em ressecções hepáticas está bem estabelecido, mas o seu custo é elevado, limitando seu uso. O grampeador de corte linear (LCS) é um dispositivo com menor custo. OBJETIVOS: Relatar ressecções hepáticas abertas, empregando o LCS para transecção do parênquima hepático e grampeamento em bloco de vasos e ductos biliares. MÉTODOS: Dez pacientes foram incluídos no estudo. Quatro pacientes com dor abdominal importante apresentavam tumores hepáticos benignos (três adenomas e um hiperplasia nodular focal). Dentre os demais seis pacientes, quatro foram submetidos à ressecção hepática para o tratamento de metástases hepáticas colorretais, sendo que três deles haviam sido submetidos à quimioterapia pré-operatória. Os dois outros casos foram um paciente com metástase de teratoma testicular e o outro com metástase de tumor neuroectodérmico gastrointestinal. RESULTADOS: O tempo médio de internação foi de 5 dias (variação=4-7 dias). Dos sete pacientes submetidos a ressecções dos segmentos II/III, dois apresentaram complicações pós-operatórias: um paciente desenvolveu seroma e o outro uma coleção de fluido abdominal submetido a drenagem percutânea, antibioticoterapia e transfusão de sangue. Além disso, os três pacientes submetidos a ressecções maiores tiveram complicações pós-operatórias: dois pacientes desenvolveram anemia e receberam transfusões de sangue e um paciente apresentou biloma e foi submetido a drenagem percutânea e antibioticoterapia. CONCLUSÕES: O emprego do grampeador linear nas hepatectomias foi eficiente e a custos mais baixos, tornando-o adequado para uso sempre que EG não estiver disponível O tamanho da haste do grampeador LCS é mais adequado para a transecção em bloco do segmento lateral esquerdo do fígado, que é mais fino que o direito. Novos estudos são necessários para avaliar a segurança do LCS para grandes ressecções hepáticas e ressecções de tumores localizados no lobo hepático direito.

10.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1782, 2023. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527557

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Bariatric surgery is the most effective option to reduce weight in morbid obesity patients. The techniques most employed are the restrictive surgery laparoscopic sleeve gastrectomy (LSG), surgical procedures of intestinal malabsorption, and both types (restrictive and intestinal malabsorption) such as the Roux-en-Y laparoscopic gastric bypass (RYLGB). AIMS: To determine if LSG is more effective than RYLGB for weight loss. METHODS: A systematic review and meta-analysis was carried out, including five clinical trials and sixteen cohorts comparing LSG versus RYLGB in weight loss and secondary outcomes: resolution of comorbidities, postoperative complications, operative time, hospital stay, and improvement in quality of life. RESULTS: Excess weight loss was 10.2% (mean difference [MD] 10.2; 95%CI -10.14; -9.90) higher in patients undergoing LSG than in patients submitted to RYLGB. Diabetes mellitus type 2 was resolved in 17% (relative risk [RR] 0.83; 95%CI 0.77-0.90) of cases, more significantly after LSG, arterial hypertension in 23% (RR 0.77; 95%CI 0.69-0.84), and dyslipidemia in 17% (RR 0.83; 95%CI 0.77-0.90). Postoperative complications were 73% higher in patients undergoing RYLGB (MD 0.73; 95%CI 0.63-0.83). The operative time was 35.76 minutes shorter in the LSG (MD -35.76; 95%CI -37.28; -34.24). Finally, the quality of life improved more in patients operated by LSG (MD 0.37; 95%CI -0.48; -0.26). CONCLUSIONS: The study demonstrated that LSG could be more effective than RYLGB in reducing the percentage of excess weight, comorbidities, postoperative complications, operative time, hospital stay, and in improving quality of life.


RESUMO RACIONAL: A cirurgia bariátrica é a opção mais eficaz para reduzir o peso em pacientes com obesidade mórbida. Três técnicas são mais empregadas: gastrectomia vertical laparoscópica (LSG), procedimentos cirúrgicos de má absorção intestinal e ambos os tipos, má absorção intestinal e restritiva, e bypass laparoscópico em Y-Roux (RYLGB). OBJETIVOS: Determinar a eficácia da LSG versus RYLGB na perda de peso. MÉTODOS: Uma revisão sistemática e meta-análise foi realizada incluindo cinco ensaios clínicos e dezesseis coortes comparando LSG versus RYLGB na perda de peso e resultados secundários, resolução de comorbidades, complicações pós-operatórias, tempo operatório, permanência hospitalar e melhora da qualidade de vida. RESULTADOS: A perda de excesso de peso foi 10,2% (diferença média (MD) 10,2; IC95% -10,14; -9,90) maior em pacientes submetidos a LSG do que em pacientes operados com RYLGB. Diabetes mellitus tipo 2 foi resolvido em 17% (risco relativo (RR) 0,83; IC95% 0,77-0,90), hipertensão arterial em 23% (RR 0,77; IC95% 0,69-0,84), dislipidemia em 17% (RR 0,83; IC95% 0,77-0,90), mais significativos após LSG. As complicações pós-operatórias foram 73% maiores em pacientes submetidos a RYLGB (MD 0,73; IC95% 0,63-0,83). O tempo operatório foi 35,76 minutos menor na LSG (MD -35,76; IC95% -37,28; -34,24). Finalmente, a qualidade de vida melhorou mais no LSG (MD 0,37; IC95% -0,48; -0,26). CONCLUSÕES: LSG é muito eficaz na redução do excesso de peso, comorbidades, complicações pós-operatórias, tempo e melhora na qualidade de vida.

11.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1778, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527558

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Clinical features and outcomes of patients admitted to the intensive care unit due to acute abdomen are important to be investigated. AIMS: To evaluate the outcomes of critically ill subjects with acute abdomen according to etiology, comorbidity and severity. METHODS: Outcomes of 1,523 patients (878 women, mean age 66±18 years) consecutively admitted to a specialized gastrointestinal intensive care unit with different causes of acute abdomen from January 2012 to December 2019, were retrospectively evaluated according to etiology, comorbidity and severity. RESULTS: The most common causes of acute abdomen were obstructive and inflammatory, particularly large bowel obstruction (27%), small bowel obstruction (18%) and acute pancreatitis (17%). Overall mortality was 13%. Surgery was required in 34% of patients. Median length of stay in the hospital was 9 [1-101] days. On univariate analysis mortality was significantly associated with age, APACHE II, Charlson comorbidity index, requirement for surgery and malignancy (p<0.0001), but only APACHE II, Charlson comorbidity index and surgical interventional remained significant on multivariate analysis. CONCLUSIONS: Critically ill patients admitted to the intensive care unit with acute abdomen constitute a heterogeneous group of subjects with different prognosis. Mortality is more related to the severity of the disease, comorbidity and need for surgery than to the etiology of the acute abdomen.


RESUMO RACIONAL: As características clínicas e os desfechos dos pacientes internados na unidade de terapia intensiva devido ao abdômen agudo são importantes serem investigados. OBJETIVOS: Avaliar os desfechos de indivíduos gravemente doentes com abdômen agudo de acordo com etiologia, gravidade e comorbidade. MÉTODOS: Os desfechos de 1.523 pacientes (878 mulheres, média de idade 66±18 anos) que foram previamente admitidos em uma unidade de terapia intensiva especializada em doenças gastrointestinais, com diferentes causas de abdômen agudo entre janeiro de 2012 e dezembro de 2019, foram avaliados retrospectivamente segundo etiologia, comorbidade e gravidade. RESULTADOS: As causas mais comuns de abdômen agudo foram obstrutivas e inflamatórias, com destaque para obstrução em colon (27%), em intestino delgado (18%) e pancreatite aguda (17%). A mortalidade geral foi de 13%. A cirurgia foi necessária em 34%. A média de permanência no hospital foi de 9 [1-101] dias. Na análise univariada a mortalidade foi significativamente associada à idade, APACHE II, índice de comorbidade de Charlson, necessidade de abordagem cirúrgica e presença de malignidade (p<0,0001), mas apenas APACHE II, índice de comorbidade de Charlson e intervenção cirúrgica permaneceram significativos na análise multivariada. CONCLUSÕES: Pacientes internados na unidade de terapia intensiva com abdômen agudo constituem um grupo heterogêneo de indivíduos com prognóstico diferente. A mortalidade está mais relacionada com a gravidade da doença, comorbidade e necessidade de cirurgia do que com a etiologia do abdome agudo.

12.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1780, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527559

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Achalasia is an esophageal motility disorder, and myotomy is one of the most used treatment techniques. However, symptom persistence or recurrence occurs in 9 to 20% of cases. AIMS: This study aims to provide a practical approach for managing the recurrence or persistence of achalasia symptoms after myotomy. METHODS: A critical review was performed to gather evidence for a rational approach for managing the recurrence or persistence of achalasia symptoms after myotomy. RESULTS: To properly manage an achalasia patient with significant symptoms after myotomy, such as dysphagia, regurgitation, thoracic pain, and weight loss, it is necessary to classify symptoms, stratify severity, perform appropriate tests, and define a treatment strategy. A systematic differential diagnosis workup is essential to cover the main etiologies of symptoms recurrence or persistence after myotomy. Upper digestive endoscopy and dynamic digital radiography are the main tests that can be applied for investigation. The treatment options include endoscopic dilation, peroral endoscopic myotomy, redo surgery, and esophagectomy, and the decision should be based on the patient's individual characteristics. CONCLUSIONS: A good clinical evaluation and the use of proper tests jointly with a rational assessment, are essential for the management of symptoms recurrence or persistence after achalasia myotomy.


RESUMO RACIONAL: A acalasia é um distúrbio da motilidade esofágica e a miotomia é uma das técnicas de tratamento mais utilizadas. No entanto, a persistência ou recorrência dos sintomas ocorre em 9 a 20%. OBJETIVOS: Este estudo visa fornecer uma abordagem prática para o manejo da recorrência ou persistência dos sintomas de acalasia após miotomia. MÉTODOS: Foi realizada uma revisão crítica para reunir evidências para uma abordagem racional no manejo da recorrência ou persistência dos sintomas de acalasia após miotomia. RESULTADOS: Para o manejo adequado de um paciente com acalásia com sintomas significativos após miotomia, como disfagia, regurgitação, dor torácica e perda de peso, é necessário classificar os sintomas, estratificar a gravidade, realizar exames adequados e definir uma estratégia de tratamento. Uma investigação diagnóstica diferencial sistemática é essencial para cobrir as principais etiologias de recorrência ou persistência dos sintomas após a miotomia. A endoscopia digestiva alta e a radiografia digital dinâmica são os principais exames que podem ser aplicados para investigação. As opções de tratamento incluem dilatação endoscópica, POEM (miotomia endoscópica oral), remiotomia e esofagectomia, e a decisão deve ser baseada nas características individuais do paciente. CONCLUSÕES: Uma boa avaliação clínica e a utilização de exames adequados, juntamente com uma avaliação racional, são essenciais para o manejo da recorrência ou persistência dos sintomas após miotomia por acalasia.

13.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1783, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1527560

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Minimally invasive distal pancreatectomy (MIDP) is associated with less blood loss and faster functional recovery. However, the benefits of robotic assisted distal pancreatectomy (RDP) over laparoscopic distal pancreatectomy (LDP) are unknown. AIMS: To compare RDP versus LDP for surgical treatment of benign lesions, pre-malignant and borderline malignant pancreatic neoplasias. METHODS: This is a retrospective study comparing LDP with RDP. Main outcomes were overall morbidity and overall costs. Secondary outcomes were pancreatic fistula (PF), infectious complications, readmission, operative time (OT) and length of hospital stay (LOS). RESULTS: Thirty patients submitted to LDP and 29 submitted to RDP were included in the study. There was no difference regarding preoperative characteristics. There was no difference regarding overall complications (RDP - 72,4% versus LDP - 80%, p=0,49). Costs were superior for patients submitted to RDP (RDP=US$ 6,688 versus LDP=US$ 6,149, p=0,02), mostly due to higher costs of surgical materials (RDP=US$ 2,364 versus LDP=1,421, p=0,00005). Twenty-one patients submitted to RDP and 24 to LDP developed pancreatic fistula (PF), but only 4 RDP and 7 LDP experienced infectious complications associated with PF. OT (RDP=224 min. versus LDP=213 min., p=0.36) was similar, as well as conversion to open procedure (1 RDP and 2 LDP). CONCLUSIONS: The postoperative morbidity of robotic distal pancreatectomy is comparable to laparoscopic distal pancreatectomy. However, the costs of robotic distal pancreatectomy are slightly higher.


RESUMO RACIONAL: A pancreatectomia distal minimamente invasiva (PDMI) está associada a menos perda sanguínea e recuperação funcional mais rápida, no entanto, os benefícios da pancreatectomia distal robótica (PDR) são desconhecidos quando comparada a pancreatectomia distal laparoscópica (PDL). OBJETIVOS: Comparar PDR versus PDL no tratamento cirúrgico de lesões benignas, neoplasias pancreáticas malignas, pré-malignas e limítrofes. MÉTODOS: Estudo retrospectivo comparando PDL com PDR. Os desfechos primários avaliados foram morbidade e custos hospitalares. Os desfechos secundários foram fístula pancreática (FP), complicações infecciosas, readmissão, tempo cirúrgico e tempo de internação hospitalar (TIH). RESULTADOS: Trinta pacientes submetidos a PDL e 29 submetidos a PDR foram incluídos no estudo. Não houve diferença em relação às características pré-operatórias. Não houve diferença em relação às complicações gerais (PDL - 72,4% versus PRD - 80%, p=0,49). Os custos foram superiores para PDR (PDR=US$ 6688 versus PDL=US$ 6149, p=0,02), principalmente devido aos custos mais elevados de materiais cirúrgicos (PDR=US$ 2364 versus PDL=1421, p=0,00005). Vinte e um pacientes submetidos a PDR e 24 submetidos a PDL desenvolveram fístula pancreática (PF), no entanto, apenas 4 submetidos PDR e 7 a PDL apresentaram complicações infecciosas associadas a FP. O tempo cirúrgico (PDR=224 min. versus PDL=213 min., p=0,36) e a conversão para cirurgia aberta (1 PDR e 2 PDL) não tiveram diferença estatística. CONCLUSÕES: A morbidade pós operatória da pancreatectomia distal robótica é comparável à pancreatectomia distal laparoscópica. Entretando, os custos da pancreatectomia distal robótica são mais elevados.

14.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1793, 2023. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1533301

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Colorectal cancer (CRC) is the most common malignancy of the gastrointestinal tract and the third most common type of cancer worldwide. The COVID-19 pandemic, during the years 2020 and 2022, increased the difficulties in offering adequate early diagnosis and treatment to CRC patients worldwide. During this period, it was only possible to treat patients who evolved with complications, mainly intestinal obstruction and perforation. AIMS: To assess the impact of the COVID-19 pandemic on the treatment of patients with CRC. METHODS: A review of data from a total of 112 patients undergoing emergency surgical treatment due to complications of CRC was carried out. Of these, 78 patients underwent emergency surgery during the COVID-19 pandemic (2020/2021), and 34 were treated before the pandemic (2018/2019). Ethnic aspects, clinical symptoms, laboratory tests, histopathological variables, intra and postoperative complications, and 90-day postoperative follow-up were compared between the two groups. RESULTS: Between the years 2018 and 2019, 79.4% (27/34) of patients had intestinal obstruction, while 20.6% (7/34) had intestinal perforation. During the period of the COVID-19 pandemic (2020/2021), 1.3% (1/78) of patients underwent surgery due to gastrointestinal bleeding, 6.4% (5/78) due to intestinal perforation, and 92.3% (72/78) due to intestinal obstruction. No statistically significant differences were recorded between the two groups in ethnic aspects, laboratory tests, type of complications, number of lymph nodes resected, compromised lymph nodes, TNM staging, pre or intraoperative complications, length of stay, readmission, or mortality rate. When considering postoperative tumor staging, among patients operated on in 2018/2019, 44.1% were classified as stage III and 38.2% as stage IV, while during the pandemic period, 28.2% presented stage III and 51.3% stage IV, also without a statistically significant difference between the two periods. Patients operated on during the pandemic had higher rates of vascular, lymphatic and perineural invasion. CONCLUSIONS: The COVID-19 pandemic increased the rate of complications related to CRC when comparing patients treated before and during the pandemic. Furthermore, it had a negative impact on histopathological variables, causing worse oncological prognoses in patients undergoing emergency surgery.


RESUMO RACIONAL: O câncer colorretal (CCR) é a doença maligna mais comum do trato gastrointestinal sendo o terceiro tipo de câncer mais comum em todo o mundo. A pandemia de COVID-19 durante os anos de 2020 e 2022 aumentou as dificuldades em se oferecer diagnóstico e tratamento precoce adequado aos pacientes com CCR em todo o mundo. Nesse período, só foi possível tratar os pacientes que evoluíram com complicações representadas, principalmente, pela obstrução e perfuração intestinal. OBJETIVOS: Avaliar o impacto da pandemia de COVID-19 no tratamento de pacientes com CCR. MÉTODOS: Foi realizada uma revisão dos dados de um total de 112 pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico de urgência devido complicações do CCR. Destes, 78 pacientes foram submetidos a cirurgia de emergência durante o período da pandemia de COVID-19 (2020/2021), e 34 pacientes foram operados no período anterior à pandemia (2018/2019). Aspectos étnicos, sintomas clínicos, exames laboratoriais, variáveis histopatológicas, complicações intra e pós-operatórias e acompanhamento pós-operatório de 90 dias foram analisados comparando os dois grupos. RESULTADOS: Entre os anos 2018 e 2019, 79,4% (27/34) dos pacientes apresentaram obstrução intestinal enquanto 20,6% (7/34) perfuração intestinal. Durante o período da pandemia de COVID-19 (2020/2021) 1,3% (1/78) dos pacientes foram operados por hemorragia digestiva baixa, 6,4% (5/78) por perfuração intestinal e 92,3% (72/78) por obstrução intestinal. Não foram registradas diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos nos aspectos étnicos, exames laboratoriais, tipo de complicações, número de linfonodos ressecados, linfonodos comprometidos, estadiamento TNM, complicações pré ou intraoperatórias, tempo de internação, readmissão e taxa de mortalidade. Ao considerar o estadiamento tumoral pós-operatório, entre os pacientes operados em 2018/19, 44,1% foram classificados como estágio III e 38,2% como estágio IV, enquanto no período pandêmico, 28,2% apresentaram estágio III e 51,3% estágio IV, também sem diferença estatisticamente significativa entre os dois períodos. Doentes operados durante a pandemia apresentaram maiores índices de invasão vascular, linfática e perineural. CONCLUSÕES: A pandemia de COVID-19 aumentou as taxas de complicações relacionadas ao CCR, comparando pacientes tratados antes e durante a pandemia. Além disso, teve impacto negativo nas variáveis histopatológicas, causando piores prognósticos oncológicos em pacientes submetidos a cirurgias de emergência.

15.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1788, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1533302

RESUMO

ABSTRACT The impact of Helicobacter pylori (HP) on postoperative outcomes after sleeve gastrectomy (SG) is still controversial. A systematic review and meta-analysis were performed to compare the incidence of early complications after SG between HP-positive and HP-negative patients. Eight retrospective comparative studies were included, comprising 4,877 individuals. The prevalence of HP infection in gastric resected specimens ranged from 7.77 to 43.20%. There were no statistically significant differences between groups for overall complications (OR 1.46; 95%CI 0.95-2.23; p=0.08), bleeding (OR 1.35; 95%CI 0.70-2.60; p=0.38), and leak (OR 1.74; 95%CI 0.80-3.81; p=0.17) rates. The need for routine screening and treatment of HP infection before SG remains ambiguous.


RESUMO O impacto do Helicobacter pylori (HP) nos desfechos pós-operatórios da Gastrectomia Vertical (GV) ainda é controverso. Uma revisão sistemática e meta-análise foram realizadas para comparar a incidência de complicações pós-operatórias depois da GV entre pacientes HP-positivo e HP-negativo. Oito estudos comparativos retrospectivos foram incluídos, englobando 4.877 indivíduos. A prevalência de infecção por HPnos espécimes gástricos ressecados variou de 7,77 a 43,20%. Não houve diferença estatística significante entre os grupos para complicações gerais (OR 1,46; IC95% 0,95-2,23; p=0,08), sangramento (OR 1,35; IC95% 0,70-2,60; p=0,38), e fístula (OR 1,74; IC95% 0,80-3,81; p=0,17). A necessidade de rastreio e erradicação rotineira do HP antes da GV permanece ambígua.

16.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1792, 2023. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1533303

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: The laparoscopic approach considerably reduced the morbidity of colorectal surgery when compared to the open approach. Among its benefits, we can highlight less intraoperative bleeding, early oral intake, lower rates of surgical site infection, incisional hernia, and postoperative pain, and earlier hospital discharge. AIMS: To compare the perioperative morbidity of right versus left colectomy for cancer and the quality of laparoscopic oncologic resection. METHODS: Retrospective analysis of patients submitted to laparoscopic right and left colctomy between 2006 and 2016. Postoperative complications were classified using the Clavien-Dindo scale, 30 days after surgery. RESULTS: A total of 293 patients were analyzed, 97 right colectomies (33.1%) and 196 left colectomies (66.9%). The averageage was 62.8 years. The groups were comparable in terms of age, comorbidities, body mass index, and the American Society of Anesthesiology (ASA) classification. Preoperative transfusion was higher in the right colectomy group (5.1% versus 0.4%, p=0.004, p<0.05). Overall, 233 patients (79.5%) had no complications. Complications found were grade I and II in 62 patients (21.1%) and grade III to V in 37 (12.6%). Twenty-three patients (7.8%) underwent reoperation. The comparison between left and right colectomy was not statistically different for operative time, conversion, reoperation, severe postoperative complications, and length of stay. The anastomotic leak rate was comparable in both groups(5.6% versus 2.1%, p=0.232, p>0.05). The oncological results were similar in both surgeries. In multiple logistic regression, ASA statistically influenced the worst results (≥ III; p=0.029, p<0.05). CONCLUSIONS: The surgical and oncological results of laparoscopic right and left colectomies are similar, making this the preferred approach for both procedures.


RESUMO RACIONAL: A abordagem laparoscópica reduziu consideravelmente a morbidade da cirurgia colorretal quando comparada à abordagem aberta. Entre seus benefícios podemos destacar o menor sangramento intraoperatório, ingestão oral precoce, menor índice de infecção de incisão cirúrgica e hérnia incisional, menor índice de dor pós-operatória e alta hospitalar mais precoce. OBJETIVOS: Comparar a morbidade perioperatória da colectomia direita versus esquerda para câncer e a qualidade da ressecção oncológica laparoscópica. MÉTODOS: Análise retrospectiva de pacientes submetidos à olectomia laparoscópica direit e esquerda entre 2006 e 2016. As complicações pós-operatórias foram classificadas pela escala Clavien-Dindo, 30 dias após a cirurgia. RESULTADOS: Um total de 293 pacientes foram analisados, 97 casos de colectomia direita (33.1%) e 196 de esquerda (66.9%). A idade média foi de 62,8 anos. Os grupos foram comparáveis em termos de idade, comorbidades, índice de massa corporal e classificação da Sociedade Americana de Anestesiologia (ASA). A transfusão pré-operatória foi maior no grupo da colectomia direita (5,1% versus 0,4%, p=0,004, p<0,05). No geral, 233 pacientes (79.5%) não apresentaram complicações. As complicações encontradas foram graus I e II em 62 pacientes (21,1%), egraus III a V em 37 (12,6%). Vinte e três pacientes (7,8%) foram reoperados. A comparação entre a colectomia laparoscópica esquerda e direita não foi estatisticamente diferente para tempo operatório, conversão, reoperação, complicações pós-operatórias graves e tempo de internação. A taxa de fístula anastomótica foi comparável em ambos os grupos (5,6% versus 2,1%, p=0,232, p>0,05). Os resultados oncológicos foram semelhantes nas duas cirurgias. Na regressão logística múltipla, a ASA influenciou estatisticamente os piores resultados (≥ III; p=0,029, p<0,05). CONCLUSÕES: Os resultados cirúrgicos e oncológicos das colectomias laparoscópicas direita e esquerda são semelhantes, tornando esta a abordagem preferida para ambos os procedimentos.

17.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1791, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1533304

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: To reduce the risk of regurgitation during anesthesia for elective procedures, residual gastric volumes (RGV) have traditionally been minimized by overnight fasting. Prolonged preoperative fasting presents some adverse consequences and has been abandoned for most surgical procedures, except for obese and/or diabetic patients. AIMS: The aim of this study was to assess the RGV in morbidly obese diabetic patients after traditional or abbreviated fasting. METHODS: This study was approved by the Ethics Committee for Research with Human Beings from the Federal University of Mato Grosso, under number 179.017/2012. This is a prospective, randomized, and crossover design study in eight morbidly obese type II diabetic patients. RGV was measured endoscopically after either traditional overnight fasting of at least 8 hours, or after abbreviated fasting of 6 hours for solids and 3 hours for a drink containing water plus 25 g (12.5%) of maltodextrin. Data were expressed as mean and range and differences were compared with paired t-tests at p<0.05. RESULTS: The study population had a mean age of 41.5 years (28-53), weight of 135 kg (113-196), body mass index of 48.2 kg/m2 (40-62.4), and type II diabetes for 4.5 years (1-10). The RGV after abbreviated fasting was 21.5 ml (5-40) vs 26.3 ml (7-65) after traditional fasting. This difference was not significant (p=0.82). CONCLUSIONS: Gastric emptying in morbidly obese diabetic patients is similar after either traditional or abbreviated fasting with a carbohydrate drink.


RESUMO RACIONAL: Para reduzir o risco de regurgitação durante a anestesia para procedimentos eletivos, os volumes gástricos residuais (VRG) têm sido tradicionalmente minimizados com jejum noturno. O jejum pré-operatório prolongado tem algumas consequências adversas e tem sido abandonado para a maioria dos procedimentos cirúrgicos, com exceção de pacientes obesos e/ou diabéticos. OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi avaliar o VRG em pacientes diabéticos obesos mórbidos após jejum tradicional ou abreviado. MÉTODOS: Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal de Mato Grosso, sob o número 179.017/2012. Este é um projeto prospectivo, randomizado e cruzado em 8 pacientes diabéticos tipo II com obesidade mórbida. O VRG foi medido endoscopicamente após jejum noturno tradicional (pelo menos 8 horas) ou após jejum abreviado (6 horas para sólidos e 3 horas para uma bebida contendo água mais 25 g (12,5%) de maltodextrina). Os dados são expressos como média e variação e as diferenças foram comparadas com testes t pareados em p<0,05. RESULTADOS: A população estudada tinha 41,5 (28-53) anos de idade, peso médio de 135 (113-196) kg, índice de massa corporal (IMC) de 48,2 (40-62,4) kg/m2 e diabetes tipo II de 4,5 (1-10) anos. O VRG após o jejum abreviado foi de 21,5 (5-40) ml versus 26,3 (7-65) ml após o jejum tradicional. Essa diferença não foi significativa (p=0,82). CONCLUSÕES: O esvaziamento gástrico em pacientes diabéticos obesos mórbidos é semelhante após jejum tradicional ou abreviado com uma bebida com carboidrato.

18.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1781, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1533305

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Magnetic ring (MSA) implantation in the esophagus is an alternative surgical procedure to fundoplication for the treatment of gastroesophageal reflux disease. AIMS: The aim of this study was to analyse the effectiveness and safety of magnetic sphincter augmentation (MSA) in patients with gastroesophageal reflux disease (GERD). METHODS: A systematic literature review of articles on MSA was performed using the Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (Medline) database between 2008 and 2021, following the Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA) guidelines. A random-effect model was used to generate a pooled proportion with 95% confidence interval (CI) across all studies. RESULTS: A total of 22 studies comprising 4,663 patients with MSA were analysed. Mean follow-up was 27.3 (7-108) months. The weighted pooled proportion of symptom improvement and patient satisfaction were 93% (95%CI 83-98%) and 85% (95%CI 78-90%), respectively. The mean DeMeester score (pre-MSA: 34.6 vs. post-MSA: 8.9, p=0.03) and GERD-HRQL score (pre-MSA: 25.8 vs. post-MSA: 4.4, p<0.0001) improved significantly after MSA. The proportion of patients taking proton pump inhibitor (PPIs) decreased from 92.8 to 12.4% (p<0.0001). The weighted pooled proportions of dysphagia, endoscopic dilatation and gas-related symptoms were 18, 13, and 3%, respectively. Esophageal erosion occurred in 1% of patients, but its risk significantly increased for every year of MSA use (odds ratio — OR 1.40, 95%CI 1.11-1.77, p=0.004). Device removal was needed in 4% of patients. CONCLUSIONS: Although MSA is a very effective treatment modality for GERD, postoperative dysphagia is common and the risk of esophageal erosion increases over time. Further studies are needed to determine the long-term safety of MSA placement in patients with GERD.


RESUMO RACIONAL: A implantação de anel magnético (AM) no esôfago é um procedimento cirúrgico alternativo à fundoplicatulra, para o tratamento da doença do refluxo gastroesofágico. OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi analisar a eficácia e segurança do anel magnético em pacientes com doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). MÉTODOS: Uma revisão sistemática da literatura de artigos sobre AM foi realizada usando o banco de dados Medline entre 2008 e 2021, seguindo as diretrizes PRISMA. Um modelo de efeito aleatório foi usado para gerar uma proporção agrupada com intervalo de confiança (IC) de 95% em todos os estudos. RESULTADOS: Um total de 22 estudos compreendendo 4.663 pacientes submetidos à colocação do AM foram analisados. O seguimento médio foi de 27,3 (7-108) meses. A proporção ponderada de melhora dos sintomas e satisfação do paciente foi de 93% (IC95% 83-98%) e 85% (IC95% 78-90%), respectivamente. A pontuação média de DeMeester (pré-AM: 34,6 versus pós-AM: 8,9, p=0,03) e pontuação GERD-HRQL (pré-AM: 25,8 versus pós-AM: 4,4, p<0,0001) melhoraram significativamente após a colocação do anel. A proporção de pacientes em uso de inbidor de bomba de prótons (IBP) diminuiu de 92,8% para 12,4% (p<0,0001). A erosão esofágica ocorreu em 1% dos pacientes, o risco aumentou significativamente para cada ano de uso do AM (OR 1,40; IC95% 1,11-1,77, p=0,004). A remoção do dispositivo foi necessária em 4% dos pacientes. CONCLUSÕES: O AM é uma modalidade de tratamento eficaz para a DRGE. A disfagia pós-operatória é comum, e o risco de erosão esofágica aumenta com o tempo.

19.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1790, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1533306

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Patients with clinical stage IV gastric cancer may require palliative procedures to manage complications such as obstruction. However, there is no consensus on whether performing palliative gastrectomy compared to gastric bypass brings benefits in terms of survival. AIMS: To compare the overall survival of patients with distal obstructive gastric cancer undergoing palliative surgical treatment, using propensity score matching analysis. METHODS: Patients who underwent palliative bypass surgery (gastrojejunostomy or partitioning) and resection between the years 2009 and 2023 were retrospectively selected. Initial and postoperative clinicopathological variables were collected. RESULTS: 150 patients were initially included. The derived group (n=91) presented more locally invasive disease (p<0.01), greater degree of obstruction (p<0.01), and worse clinical status (p<0.01), while the resected ones (n= 59) presented more distant metastasis (p<0.01). After matching, 35 patients remained in each group. There was no difference in the incidence of postoperative complications, but the derived group had higher 90-day mortality (p<0.01). Overall survival was 16.9 and 4.5 months for the resected and derived groups, respectively (p<0.01). After multivariate analysis, hypoalbuminemia (hazard ratio — HR=2.02, 95% confidence interval — 95%CI 1.17-3.48; p=0.01), absence of adjuvant chemotherapy (HR=5.97; 95%CI 3.03-11.7; p<0.01), and gastric bypass (HR=3,28; 95%CI 1.8-5.95; p<0.01) were associated with worse survival. CONCLUSIONS: Palliative gastrectomy was associated with greater survival and lower postoperative morbidity compared to gastric bypass. This may be due to better local control of the disease, with lower risks of complications and better effectiveness of chemotherapy.


RESUMO RACIONAL: Pacientes com câncer gástrico estádio clínico IV podem necessitar de procedimentos paliativos para o manejo de complicações como a obstrução. Contudo, não há consenso se a realização de gastrectomia paliativa em comparação à derivação gástrica traz benefícios em termos de sobrevida. OBJETIVOS: Comparar a sobrevida global de pacientes com câncer gástrico obstrutivo distal submetidos a tratamento cirúrgico paliativo, empregando a análise com pareamento por escore de propensão. MÉTODOS: Foram selecionados retrospectivamente pacientes submetidos à cirurgia paliativa de derivação (gastrojejunostomia ou partição) e ressecção entre os anos de 2009 e 2023. Variáveis clínico-patológicas iniciais e pós-operatórias foram coletadas. RESULTADOS: Foram inicialmente incluídos 150 pacientes. O grupo derivado (n=91) apresentou mais doença localmente invasiva (p<0,01), maior garu de obstrução (p<0,01) e pior status clínico (p<0,01), enquanto os gastrectomizados (n=59) mais metástase à distância (p<0,01). Após o pareamento, restaram 35 pacientes em cada grupo. Não houve diferença na incidência de complicações pós-operatórias, mas o grupo derivado apresentou maior mortalidade em 90 dias (p<0,01). A sobrevida global foi de 16,9 e 4,5 meses para o grupo ressecado e derivado, respectivamente (p<0,01). Após análise multivariada, hipoalbuminemia (HR=2,02; IC95% 1,17-3,48; p=0,01), ausência de quimioterapia adjuvante (HR=5,97; IC95% 3,03-11,7; p<0,01) e bypass gástrico (HR =3,28; IC95% 1,8-5,95; p<0,01) foram associados a pior sobrevida. CONCLUSÕES: A gastrectomia paliativa esteve associada a maior sobrevida e menor morbidade pós-operatória quando comparada à derivação gástrica. Isto pode se dever a um melhor controle local da doença, com menores riscos de complicações e melhor efetividade da quimioterapia.

20.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 36: e1789, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1533307

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Hematological recurrence is the second most frequent cause of failure in the treatment of gastric cancer. The detection of circulating tumor markers in peripheral blood by quantitative reverse transcriptase polymerase chain reaction (qRT-PCR) method may be a useful tool to predict recurrence and determine the patient's prognosis. However, no consensus has been reached regarding the association between the tumor markers level in peripheral blood and its impact on patient survival. AIMS: To evaluate the expression of the circulating tumor markers CK20 and MUC1 in peripheral blood samples from patients with gastric cancer by qRT-PCR, and to verify the association of their expression levels with clinicopathological characteristics and survival. METHODS: A total of 31 patients with gastric adenocarcinoma were prospectively included in this study. CK20 and MUC1 expression levels were analyzed from peripheral blood by the qRT-PCR technique. RESULTS: There was no statistically significant (p>0.05) association between CK20 expression levels and clinical, pathological, and surgical features. Higher MUC1 expression levels were associated with female patients (p=0.01). There was a correlation between both gene levels (R=0.81, p<0.001), and CK20 level and tumor size (R=0.39, p=0.034). CONCLUSIONS: CK20 and MUC1 expression levels could be assessed by qRT-PCR from total peripheral blood samples of patients with gastric cancer. CK20 levels were correlated to MUC1 levels as well as to tumor size. There was no difference in disease-free survival and overall survival regarding both genetic markers expression in this series.


RESUMO RACIONAL: A recorrência hematológica é a segunda causa mais frequente de falha no tratamento do câncer gástrico. A detecção de marcadores tumorais circulantes no sangue periférico, pelo método de reação em cadeia da polimerase de transcrição reversa quantitativa (qRT-PCR) pode ser uma ferramenta útil para prever a recorrência e determinar o prognóstico do paciente. No entanto, ainda não foi alcançado consenso em relação à associação entre o nível de marcadores tumorais circulantes no sangue periférico e seu impacto na sobrevida do paciente. OBJETIVOS: Avaliar a expressão de CK20 e MUC1 em amostras de sangue periférico de pacientes com câncer gástrico por meio de qRT-PCR e verificar a associação dos níveis de expressão com características clinicopatológicas e sobrevida. MÉTODOS: Trinta e um pacientes com adenocarcinoma gástrico foram incluídos, prospectivamente. Os níveis de expressão de CK20 e MUC1 foram analisados a partir de sangue periférico por meio de qRT-PCR. RESULTADOS: Não houve associação estatisticamente significativa (p>0,05) entre os níveis de expressão de CK20 com características clínicas, patológicas e cirúrgicas. Níveis mais elevados de expressão de MUC1 estavam associados a pacientes do sexo feminino (p=0,01). Houve correlação entre os níveis de ambos os genes (R=0,81, p<0,001), nível de CK20 e tamanho do tumor (R=0,39, p=0,034). CONCLUSÕES: Os níveis de CK20 e MUC1 podem ser avaliados por qRT-PCR a partir de amostras de sangue periférico total de pacientes com câncer gástrico, os níveis de CK20 estavam correlacionados com os de MUC1, assim como tamanho do tumor. Não houve diferença de sobrevida global ou livre de doença em relação à expressão de ambos marcadores genéticos nesta série.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...