Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 5 de 5
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Front Endocrinol (Lausanne) ; 13: 869921, 2022.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-35498435

RESUMO

Diabetes mellitus (DM) is a chronic metabolic disease characterized by high blood glucose levels, causing serious damage to the cardiovascular, respiratory, renal and other systems. The prevalence of type 2 diabetes mellitus (T2DM) was 6.28% in 2017, considering all age groups worldwide (prevalence rate of 6,059 cases per 100,000), and its global prevalence is projected to increase to 7,079 cases per 100,000 by 2030. Furthermore, these individuals are often affected by diabetic myopathy, which is the failure to preserve muscle mass and function in the course of DM. This happens in type 1 diabetes mellitus (T1DM) and T2DM. As skeletal muscle plays a key role in locomotion and glucose homeostasis, diabetic myopathy may contribute to additional complications of the disease. In addition, chronic hyperglycemia is associated with lung functional changes seen in patients with DM, such as reduced lung volumes and compliance, inspiratory muscle strength, and lung elastic recoil. Thus, the weakness of the inspiratory muscles, a consequence of diabetic myopathy, can influence exercise tolerance. Thus, moderate strength training in T2DM can contribute to the gain of peripheral muscle strength. Although the literature is robust on the loss of mass and consequent muscle weakness in diabetic myopathy, triggering pathophysiological factors, the impact on functional capacity, as well as the prescription of physical exercise for this condition deserves to be further explored. This review aims to explore the consequences of diabetic myopathy and its implication in rehabilitation from prescription to safety in the practice of physical exercises for these individuals.


Assuntos
Diabetes Mellitus Tipo 1 , Diabetes Mellitus Tipo 2 , Doenças Musculares , Diabetes Mellitus Tipo 1/complicações , Tolerância ao Exercício , Humanos , Força Muscular/fisiologia
2.
Rev. bras. med. esporte ; 17(6): 393-396, nov.-dez. 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-614802

RESUMO

INTRODUÇÃO: Crianças e adolescentes com excesso de peso apresentam maior prevalência de broncoespasmo induzido pelo exercício (BIE), quando comparados a eutróficos. A espirometria e o peak flow meter são importantes métodos avaliativos da função pulmonar. Porém, a aplicabilidade do medidor do pico de fluxo expiratório (peak flow meter) na detecção do BIE em crianças e adolescentes com excesso de peso não é conhecida, o que justifica o desenvolvimento desta pesquisa. OBJETIVOS: Avaliar e comparar o desencadeamento de broncoespasmo induzido pelo exercício (BIE) em crianças e adolescentes não asmáticos com excesso de peso, avaliados pela espirometria e pelo peak flow meter (PFE). CASUÍSTICA E MÉTODOS: Participaram do estudo 39 voluntários acima do percentil 85º (OB) e 30 eutróficos (EU), de oito a 15 anos. A avaliação da função pulmonar pré e pós-teste de broncoprovocação foi realizada pela espirometria e peak flow meter, de acordo com o protocolo de Del Río-Navarro et al., (2000). O BIE foi considerado positivo quando o voluntário apresentou uma redução > 10 por cento do VEF1 basal ou redução > 20 por cento do PFE PFM e/ou PFE E. RESULTADOS: Na detecção do BIE, a prevalência do grupo obeso foi de 26 por cento avaliado pelo peak flow meter (PFEPFM) e 23 por cento pelo VEF1. O tempo do BIE ocorreu nos primeiros 15 minutos pós-exercício em ambos os parâmetros: (PFE PFM) e VEF1. CONCLUSÃO: Os voluntários obesos apresentaram tempo e prevalências similares de BIE, quando avaliados por ambos os métodos de avaliação pulmonar. O fácil manejo e o baixo custo facilitam a maior acessibilidade para a população geral do peak flow meter, o que demonstra sua importância como parte integrante de um programa educacional no diagnóstico inicial do BIE em vias aéreas de grande calibre.


INTRODUCTION: Children and adolescents who are overweight have a higher prevalence of exercise-induced bronchospasm (EIB), as compared to eutrophics. Spirometry and peak flow meter are important evaluation methods of lung function. However, the applicability of the peak expiratory flow (peak flow meter) in the detection of EIB in children and adolescents who are overweight is not known, hence the development of this research. OBJECTIVES: To evaluate and compare the onset of exercise-induced bronchospasm (EIB) in children and adolescents non-asthmatic who are overweight, evaluated by spirometry and the peak flow meter (PEF). METHODS: The study included 39 volunteers above the 85th percentile (OB) and 30 normal weight (EU), with the age of 8 to 15 years. The evaluation of lung function before and after bronchial provocation test was performed by spirometry and peak flow meter, according to the protocol of Del Río-Navarro et al, (2000). The EIB was considered positive when the volunteer showed a reduction > 10 percent of baseline FEV1 or > 20 percent reduction in PEF PFM and / or PEFE. RESULTS: The detection of the BIE, the prevalence of obese group was 26 percent measured by peak flow meter (PEF PFM) and 23 percent for FEV1. The time of the BIE occurred with the first 15 minutes post-exercise in both parameters: (PFE PFM) and FEV1. CONCLUSION: The obese volunteers presented similar time and prevalence of EIB, when evaluated by both methods of pulmonary assessment. The easy handling and low cost from this method created greater accessibility for the general population from the peak flow meter, which shows its importance as part of an educational program in the initial diagnosis of EIB in large airway caliber.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Asma Induzida por Exercício , Índice de Massa Corporal , Obesidade , Pico do Fluxo Expiratório , Testes de Função Respiratória , Espirometria , Sobrepeso/complicações
3.
Fisioter. pesqui ; 17(3): 220-224, jul.-set. 2010. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-570388

RESUMO

A osteoartrite (OA) é uma doença articular degenerativa, caracterizada porprocesso inflamatório, dor e deformidades; um de seus fatores preditivos é a obesidade. O objetivo deste estudo foi verificar possíveis correlações entre medidas antropométricas, o ângulo quadricipital (Q) e a osteoartrite de joelho. A amostra foi composta por 50 voluntárias obesas (30 com OA de joelho e 20 sem OA), com idade entre 40 e 60 anos. Foram mensurados, além do IMC (índice de massacorporal), circunferência abdominal (CA), perímetros de cintura e quadril para cálculo da relação cintura-quadril e o ângulo Q; a osteoartrite foi diagnosticada clinicamente e por meio de radiografia da articulação do joelho. Foram encontradas correlações positivas fracas entre IMC e ângulo Q e entre tempo de obesidade e grau de degeneração articular. A CA apresentou correlação positiva fraca com o grau de degeneração articular e o de gravidade da OA. O cálculo da razão de chance (OR) indica que as voluntárias com IMC>34 kg/m2 e CA>110 cm tiveram 3,7 e 7 vezes, respectivamente, mais chance de apresentarem OA. A obesidade central, seu grau e duração possivelmente contribuem para a incidência da OA de joelhos em mulheres obesas. A circunferência abdominal foi a medida que melhor se correlacionou com a presença e grau de OA em obesas, o que aponta para a relevância de sua mensuração na avaliação clínica.


Osteoarthritis (OA) is a degenerative joint disease characterized by inflammatory process, pain, and deformity; one of its main predictive factors isobesity. The aim of this study was to search for possible correlations between anthropometric measures, the Q angle and knee osteoarthritis. A sample of 50 obese women (30 with knee osteoarthritis and 20 with no joint disease), aged between 40 to 60 years, were assessed as to BMI (body mass index), abdominal circumference (AC), waist and hip perimeters (so as to calculate waist-hip ratio), and the Q angle; osteoarthritis was diagnosed by clinical exam and knee joint radiography. Results showed a positive, poor correlation between BMI and Q angle, as well as between time of obesity onset and degree of joint degeneration. AC was found to positively, though weakly, correlate with the degree of joint degeneration and of OA severity. Adjusted odds ratio for OA showed that women with BMI>34kg/m2 and AC>110 cm were respectively 3.7 and 7 times more likely to develop OA. The degree and duration of central obesity possibly contribute to incidence of knee OA in obese women. Abdominal circumference was the measure that most correlated with the degree of joint degeneration and of OA severity, which suggests it should be used in clinical evaluation.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Antropometria , Obesidade , Osteoartrite do Joelho/diagnóstico , Osteoartrite do Joelho , Mulheres
4.
Rev. Ter. Man ; 6(27): 287-292, set.-out. 2008. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-515363

RESUMO

O objetivo desse trabalho foi verificar se o dispositivo lombo abdomonal (DAL) associado ao tratamento de Reeducação Postural Global (RPG) proporciona alteração significativa da lombalgia mensurada através da Escala Visual Analógica da dor (EVA) Foram selecionados para o estudo 32 voluntários, que foram divididos em dois grupos de 16 individuos, G1 e G2. O G1, grupo controle, foi submetido ao tratamento fisioterapêutico, utilizando a técnica de RPG, e o G2, grupo caso, além de ser tratado pela RPG, foi submetido ao uso continuo do DAL. Ao início e término de cada sessão, o voluntário foi questionado em relação à presença e intensidade de dor por meio da EVA. Quando realizada a análise intra grupo, os valores da EVA obtidos após tratamento foram significativamente menores em ambos os grupos (p<0.05). Ao compararmos os grupos não houve diferença estatisticamente significante na Eva pós tratamento. Tanto a RPG utilizada isoladamente, quanto associada ao DAL, apresenta diminuição significativa da dor após o tratamento.


The purpose of these research was to find out if the back abdominal devece (DAL) associated to a treatment fo Global Postural Reeducation (RPG) provides significance alteration of back studies measure thought Analogic Visual Scale of pain (EVA). It was selected to the study 32 volunteers that were divided in two groups of 16 individuals, G1 e G2. The G1, the control group, was submitted to physiotherapy treatment, using the technique of RPG, and the G2, the case group, besides the treatment of RPG, was submitted to the continue use od DAL. From the beginning to the end each session, the volunteer was questioned in relation to the presence and intensity of pain trought the EVA. The EVA, after treatment, wasn't different between the groups. When realized the analysis inside groups, the values of EVA obtained after treatment were minor expressive in both groups (p<0,05). As much as the RPG put in use isolated, as much as the DAL, shows significant decrease of pain after treatment.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Dor Lombar , Postura
5.
Fisioter. mov ; 21(2): 93-98, abr.-jun. 2008. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-528929

RESUMO

A Osteoartrite (OA) é uma doença articular degenerativa, caracterizada por processo inflamatório, dor, deformidades, alterações da marcha e da funcionalidade nas atividades de vida dia´ria. Tem como um dos principais fatores de risco a obesidade. O objetivo deste estudo foi avaliar as correlações entr Ìndice de Massa Corporal (IMC), Circunferência Abdominal (CA) e Razão Cintura-Quadril (RCQ) com o desenvolvimento e gravidade osteoartrite de joelho em 30 mulheres obesas. Os resultados demonstraram que toda a amostra apresentou CA maior88cm, já 23 por cento apresentaram RCQ maior 0,9 e 83 por cento ângulo Q maior 20 graus indicando presença de valgismo. Além disso, foi observada correlação positiva entre IMC e CA (r=0,91) e de IMC, CA e Lequesne (r=0,45, r=0,37), respectivamente). Os resultados indicam que o aumento da CA e do ângulo Q estão associados à OA de joelho, mas isso nã foi observado na RCQ; e que a gravidade da OA apresentou correlação com o IMC. Portanto, a prevenção da OA de joelho deve ser iniciada antes da meia-idade, especialmente entre as mulheres, assim como o controle do peso.


Assuntos
Humanos , Feminino , Circunferência Abdominal , Obesidade , Osteoartrite do Joelho
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...