Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Surg. cosmet. dermatol. (Impr.) ; 9(1): 80-85, jan.-mar. 2017. ilus., tab.
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-880018

RESUMO

O carcinoma de células de Merkel (CCM) é um tumor raro de origem neuroendócrina e epidérmica, de mau prognóstico. Está classicamente associado à imunossupressão, exposição solar e, mais recentemente, ao poliomavírus (MCPyV). Caracteristicamente, o carcinoma de células de Merkel apresenta positividade para marcadores epiteliais e neuroendócrinos. A expressão combinada desses marcadores é o dado que corrobora o diagnóstico. Tumores MCPyV- possuem prognóstico desfavorável. Relata-se um caso de carcinoma de células de Merkel com imunofenótipo atípico (CK20 negativo) e comportamento agressivo. Este relato se justifica para reforçar a importância do conhecimento, pelos dermatologistas, de diferentes imunofenótipos que podem estar associados ao carcinoma de células de Merkel.


The Merkel cell carcinoma is a rare tumor of neuroendocrine and epidermal origin and with poor prognosis. It is classically associated with immunosuppression, exposure to the sunlight and, more recently, with the polyomavirus. It is positive for epithelial and neuroendocrine markers. The combined expression of these markers confirms the diagnosis. Polyomavirus tumors have an unfavorable prognosis. The authors report a case of Merkel cell carcinoma with atypical immunophenotype (CK20 negative) and aggressive behavior. The present report is aimed at highlighting the importance of dermatologists having knowledge of different immunophenotypes that may be associated with the Merkel cell carcinoma.

2.
Surg. cosmet. dermatol. (Impr.) ; 4(1): 22-30, jan.-mar. 2012. graf, tab, ilus
Artigo em Inglês, Português | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-684904

RESUMO

Introdução: Melasma é alteração cutânea comum e adquirida, de curso prolongado e tratamento muitas vezes refratário, gerando impacto psicológico negativo na vida dos acometidos. Objetivos: Avaliar a eficácia, segurança e tolerabilidade da combinação tópica de ácido kójico, arbutin, sepiwhite® e achromaxyl ® em comparação à hidroquinona a 2% e a 4% na abordagem do melasma facial. Métodos: Estudo clínico mono-cego, comparativo, monocêntrico, com 120 voluntárias, fototipos I a IV de Fitzpatrick, entre 18 e 50 anos de idade, divididas em grupo A (n = 40; Blancy® 2 vezes ao dia), grupo B (n = 40; hidroquinona 2% à noite) e grupo C (n = 40; hidroquinona 4% à noite), que usaram os produtos durante 90 dias consecutivos. Foram realizadas avaliações clínicas (classificação e quantificação do melasma) e fotográficas, além do questionário de impacto à qualidade de vida e avaliação global deeficácia. Resultados: Cento e duas voluntárias (85%) finalizaram o estudo, (grupo A = 34, grupo B = 33, grupo C = 35). A métrica do Masi teve redução estatisticamente significante ao longo do estudo para os três Grupos (p-valor < 0,001). Conclusão: O uso tópico da associação de ácido kójico, arbutin, sepiwhite® e achromaxyl ® demonstrou ser eficaz e seguro na abordagem do melasma, apresentando-se como alternativa no arsenal terapêutico dessa dermatose recalcitrante e inestética.


Introduction: Melasma is a common, acquired, long-lasting skin disorder that is often resistant to treatment and causes negative psychological effects on patients. Objectives: To evaluate the efficacy, safety, and tolerability of the topical combination of kojic acid, arbutin, sepiwhite® and achromaxyl ® compared to 2% and 4% hydroquinone in the treatment of facial melasma. Methods: A single-blind, comparative, monocentric clinical study with 120 volunteers (aged 18-50, I to IV Fitzpatrick skin types) was conducted. The study population was divided into 3 groups: Group A (n = 40; Blancy®, 2 times a day), Group B (n = 40, 2% hydroquinone at night), and Group C (n = 40, 4% hydroquinone at night), and instructed to use the study product for 90 consecutive days. Clinical (classification and quantification of melasma) and photographic evaluations were carried out, and a questionnaire assessed the impact on the patients' quality of life and the products' general efficacy. Results: Most volunteers (n = 102, 85%) completed the study (Group A = 34, Group B = 33, Group C = 35). The Melasma Area Severity Index metrics presented a statistically significant decrease (i.e., improvement) throughout the study in all three groups (p-value < 0.001). Conclusion: The topical use of the kojic acid, arbutin, sepiwhite® and achromaxyl® combination proved to be an effective and safe alternative for treating melasma.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...