Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 14 de 14
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Rev Inst Med Trop Sao Paulo ; 61: e43, 2019 Sep 12.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-31531621

RESUMO

In March 2014, the Quadrivalent human papilloma virus vaccine (4vHPV) was introduced in the female adolescents vaccination schedule of the National Immunization Program (PNI). A school-based vaccination program was implemented. We conducted a retrospective, descriptive study of the adverse events that took place after HPV vaccination, reported to the Adverse Events Following Immunization (AEFI) Information System in Sao Paulo State, from March 2014 to December 2016. All reports that fit the definitions of the 2014 National Manual on AEFI surveillance were included. AEFI risk was estimated by dividing the number of reports by the number of vaccine doses administered in the period. In the three-year period, 3,390,376 HPV vaccine doses were administered and 465 AEFI reports were registered, with 1,378 signs and symptoms. The reporting rate was 13.72 per 100,000 vaccine doses administered. The reports peaked in the first year of the program. The most frequent AEFI was syncope, with 5.7 reports per 100,000 doses administered, followed by dizziness, malaise, headache and nausea. Overall, 39 AEFI cases (8.4%) were classified as severe , with a reporting rate of 1.15 per 100,000 vaccine doses administered. Most cases were classified as severe because of hospitalization. Among them, there were cases of Guillain-Barré Syndrome, deep vein thrombosis, seizures and miscarriage. All young women recovered without sequelae. We identified five clusters of AEFI reports in four cities; the larger AEFI cluster occurred in the city of Bertioga, in September 2014, involving 13 female adolescents. Our data are in accordance with those from other countries and corroborate the safety of HPV vaccines.


Assuntos
Vacina Quadrivalente Recombinante contra HPV tipos 6, 11, 16, 18/efeitos adversos , Adolescente , Adulto , Sistemas de Notificação de Reações Adversas a Medicamentos , Brasil/epidemiologia , Criança , Feminino , Vacina Quadrivalente Recombinante contra HPV tipos 6, 11, 16, 18/administração & dosagem , Humanos , Esquemas de Imunização , Infecções por Papillomavirus/prevenção & controle , Vigilância da População , Estudos Retrospectivos , Adulto Jovem
2.
BEPA - Boletim Epidemiológico Paulista ; 7(84): 12-17, dez. 2010. ilus
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ACVSES, SESSP-CVEPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-27970
4.
São Paulo; s.n; 2001. 24 p. ilus.
Não convencional em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ACVSES | ID: ses-7917

RESUMO

A coqueluche, também conhecida pela designação expressiva de "tosse comprida" é uma doença infecciosa aguda e transmissível que compromete predominantemente o aparelho respiratório, caracterizando-se por típicos acessos paroxísticos de tosse. Sendo um agravo de notificação nacional, a principal dificuldade na vigilância dessa doença com todos os seus pressupostos, está na confirmação etiológica. Outras doenças respiratórias agudas, virais ou bacterianas, podem provocar a "síndrome pertussis" ou "doenças coqueluchóides" (ítem 7). Aparecem, com maior frequência, nos mesmos grupos populacionais onde ocorre a coqueluche, e também apresentam maior gravidade nos lactentes e crianças menores de dois anos. Esses agravos podem, então, serem confundidos e classificados como coqueluche, clinicamente. Dessa forma, um sistema de notificação passivo para a coqueluche tem baixo valor preditivo positivo, ou seja, confirma casos (clinicamente e/ou por métodos laboratoriais não específicos) que não o são, podendo induzir à investigação e adoção de medidas de controle de epidemias que de fato não tenham ocorrido, provocando custos desnecessários ao sistema de vigilância. O que se propõe no presente documento é a implantação de um sistema sentinela de vigilância para a coqueluche no Estado de São Paulo


Assuntos
Coqueluche/prevenção & controle , Coqueluche/terapia , Monitoramento Epidemiológico , Coqueluche/etiologia
5.
São Paulo; s.n; 2001. 24 p. ilus.
Não convencional em Português | LILACS, Coleciona SUS, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ACVSES | ID: biblio-932945

RESUMO

A coqueluche, também conhecida pela designação expressiva de "tosse comprida" é uma doença infecciosa aguda e transmissível que compromete predominantemente o aparelho respiratório, caracterizando-se por típicos acessos paroxísticos de tosse. Sendo um agravo de notificação nacional, a principal dificuldade na vigilância dessa doença com todos os seus pressupostos, está na confirmação etiológica. Outras doenças respiratórias agudas, virais ou bacterianas, podem provocar a "síndrome pertussis" ou "doenças coqueluchóides" (ítem 7). Aparecem, com maior frequência, nos mesmos grupos populacionais onde ocorre a coqueluche, e também apresentam maior gravidade nos lactentes e crianças menores de dois anos. Esses agravos podem, então, serem confundidos e classificados como coqueluche, clinicamente. Dessa forma, um sistema de notificação passivo para a coqueluche tem baixo valor preditivo positivo, ou seja, confirma casos (clinicamente e/ou por métodos laboratoriais não específicos) que não o são, podendo induzir à investigação e adoção de medidas de controle de epidemias que de fato não tenham ocorrido, provocando custos desnecessários ao sistema de vigilância. O que se propõe no presente documento é a implantação de um sistema sentinela de vigilância para a coqueluche no Estado de São Paulo


Assuntos
Monitoramento Epidemiológico , Coqueluche/etiologia , Coqueluche/prevenção & controle , Coqueluche/terapia
6.
São Paulo; s.n; 2001. 24 p. ilus.
Não convencional em Português | LILACS, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-480954

RESUMO

A coqueluche, também conhecida pela designação expressiva de "tosse comprida" é uma doença infecciosa aguda e transmissível que compromete predominantemente o aparelho respiratório, caracterizando-se por típicos acessos paroxísticos de tosse. Sendo um agravo de notificação nacional, a principal dificuldade na vigilância dessa doença com todos os seus pressupostos, está na confirmação etiológica. Outras doenças respiratórias agudas, virais ou bacterianas, podem provocar a "síndrome pertussis" ou "doenças coqueluchóides" (ítem 7). Aparecem, com maior frequência, nos mesmos grupos populacionais onde ocorre a coqueluche, e também apresentam maior gravidade nos lactentes e crianças menores de dois anos. Esses agravos podem, então, serem confundidos e classificados como coqueluche, clinicamente. Dessa forma, um sistema de notificação passivo para a coqueluche tem baixo valor preditivo positivo, ou seja, confirma casos (clinicamente e/ou por métodos laboratoriais não específicos) que não o são, podendo induzir à investigação e adoção de medidas de controle de epidemias que de fato não tenham ocorrido, provocando custos desnecessários ao sistema de vigilância. O que se propõe no presente documento é a implantação de um sistema sentinela de vigilância para a coqueluche no Estado de São Paulo...


Assuntos
Coqueluche/etiologia , Coqueluche/prevenção & controle , Coqueluche/terapia
7.
In. São Paulo(Estado). Secretaria da Saúde. Coordenação dos Institutos de Pesquisa. Centro de Vigilância Sanitária. Curso Básico em Vigilância Sanitária: Unidade Didático Pedagógica VI. São Paulo, s.n, 1998. p.[148-166]. , v.2
Não convencional em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CVSPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-6264
8.
In. São Paulo(Estado). Secretaria da Saúde. Coordenação dos Institutos de Pesquisa. Centro de Vigilância Sanitária. Curso básico em vigilância sanitária: Unidade didático pedagógica VI: v.2. São Paulo, s.n, out. 1998. p.148-166.
Não convencional em Português | LILACS, SESSP-CVSPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-440858
14.
s.l; s.n; 1992. 162 p. tab.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-117672

RESUMO

Tem a finalidade de verificar algumas características dos alunos matriculados nas escolas públicas do sub-distrito de Santana, Município de Säo Paulo e a interferência dessas características e da escola na utilizaçäo de serviços de saúde. Inicialmente fêz-se uma síntese dos aspectos históricos da Saúde Escolar principalmente do ocorrido no Estado de Säo Paulo, ressaltando-se as açöes a nível municipal. A seguir, estäo colocados os objetivos da dissertaçäo. A apresentaçäo e discussäo da metodologia utilizada neste estudo vem logo após, descrevendo-se o processo de amostragem, as variáveis de pesquisa e critérios de mensuraçäo. A exposiçäo e discussäo dos resultados obtidos säo feitos na seqüência, finalizando-se com as conclusöes possíveis e uma relaçào da bibliografia utilizada


Assuntos
Criança , Humanos , Masculino , Feminino , Serviços de Saúde Escolar , Brasil , Acesso aos Serviços de Saúde , Cobertura de Serviços de Saúde , Serviços de Saúde Escolar/história , Serviços de Saúde Escolar/legislação & jurisprudência , Fatores Socioeconômicos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA