Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 153
Filtrar
1.
Psico (Porto Alegre) ; 54(1): 39900, 2023.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1526418

RESUMO

Este estudo realizou uma revisão sistemática da literatura brasileira e internacional publicada entre 2015 e 2020 sobre bibliométricos, operacionalização teórica e metodológica e direcionalidade de efeitos das relações entre a parentalidade e o temperamento infantil em estudos sobre crianças de quatro a sete anos. A busca nas bases de dados BVS-Psi, Portal Regional da BVS, MEDLINE, Academic Search Premier, SocINDEX, SCOPUS, ScienceDirect, PsycInfo e PsycArticles, a partir das palavras-chave "parenting", "child temperament" e "infant temperament" resultou em 24 estudos selecionados para análise. Predominaram pesquisas norte-americanas, com delineamento quantitativo, uso de questionários e mães respondentes. O referencial teórico-metodológico utilizado para avaliar a parentalidade mostrou-se diversificado, enquanto o Modelo Psicobiológico destacou-se na avaliação do temperamento. Constatou-se que temperamento e parentalidade possuem associação direta e indireta e os efeitos dessa relação reverberam no desenvolvimento infantil. Destaca-se a importância de programas de intervenção para a promoção da parentalidade positiva e o desenvolvimento de habilidades regulatórias infantis


This study carried out a systematic review of literature published between 2015 and 2020 on bibliometrics; theoretical and methodological operationalization and directionality of the effects of the relationships between parenting and child temperament in studies about 4-7 years children. The search in BVS-Psi, Portal Regional da BVS, MEDLINE, Academic Search Premier, SocINDEX, SCOPUS, ScienceDirect, PsycInfo e PsycArticles databases, using the keywords "parenting", "child temperament" and "infant temperament" resulted in 24 studies selected for analysis. North American studies predominated, with a quantitative design, with mothers responding questionnaires. The theoretical-methodological framework used to assess parenting proved to be diversified, while the Psycho-biological Model stood out in the assessment of temperament. It was found that temperament and parenting have a direct and indirect association and the effects of this relationship reverberate in child development. The importance of intervention programs to promote positive parenting and the development of child regulatory skills is highlighted


Este estudio realizó una revisión sistemática de la literatura publicada entre 2015 y 2020 sobre bibliometría, operacionalización teórica y metodológica y direccionalidad de los efectos de las relaciones entre parentalidad y tempera-mento infantil en estudios sobre niños de 4 a 7 años. Se buscó en las bases de datos BVS-Psi, Portal Regional de la BVS, MEDLINE, Academic Search Premier, SocINDEX, SCOPUS, ScienceDirect, PsycInfo y PsycArticles, las palabras clave "parenting", "child temperament" y "infant temperament" con 24 estudios seleccionados para analizar. Predominaron los estudios norteamericanos, cuantitativos, con cuestionarios y madres respondedoras. El marco teórico-metodológico utilizado para evaluar la parentalidad fue diversificado, mientras que el Modelo Psicobiológico se destacó en la evaluación del temperamento. El temperamento y la parentalidad tienen una asociación directa e indirecta y essa relación repercute en el desarrollo infantil. Se destaca la importancia de los programas de intervención sobre parentalidad positiva y el desarrollo de habilidades regulatorias infantiles


Assuntos
Temperamento , Poder Familiar , Desenvolvimento Infantil
2.
Psicol. teor. prát ; 24(1): 14268, 22/12/2022.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1434147

RESUMO

A qualidade da relação coparental após o divócio dos pais afeta significativamente a relação pai-filhos e o desenvolvimento infantil. Com o objetivo de analisar a literatura científica recente a respeito das relações entre coparentalidade e comportamento da criança em famílias divorciadas, conduziu-se uma revisão sistemática de acordo com as recomendações metodológicas do Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). As buscas foram realizadas em seis bases de dados, nacionais e internacionais, com os termos coparentalidade, divórcio e comportamento da criança, e termos correlatos, em português, inglês e espanhol. Foram incluídos 11 artigos publicados entre 2010 e junho de 2020. Por meio da análise dos resultados desses artigos, constatou-se que o apoio coparental após o divórcio favorece desfechos positivos no comportamento infantil. Por outro lado, a existência de conflito coparental representa fator de risco para problemas de comportamento na criança, inclusive em famílias onde há apoio e comunicação coparental.


The quality of the coparental relationship after parental divorce significantly affects the parents-children relationship and the child development. The objective of the study was to conduct a systematic review on the relationship between coparenting and child behavior in divorced families. The systematic review was conducted according to the methodological recommendations of the Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). The searches were carried out in six national and international databases, using the words coparenting, divorce and child behavior, and similar terms, in Portuguese, English and Spanish. Eleven articles published between 2010 and June 2020 were included. The main results of the studies showed that coparental support after divorce favors more positive outcomes in child behavior. On the other hand, the existence of coparental conflict represents risk factor for child behavioral problems, including in families whit coparental support and communication exist.


La calidad de la relación coparental después del divorcio de los padres afecta significativamente la relación entre padres e hijos y el desarrollo infantil. El objetivo del estudio fue realizar una revisión sistemática sobre la relación entre coparentalidad y comportamiento del niño en familias divorciadas. La revisión sistemática se realizó conforme las recomendaciones metodológicas del Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). Las búsquedas se realizaron en seis bases de datos, nacionales e internacionales, con los términos coparentalidad, divorcio y comportamiento infantil en portugués, inglés y español. Se incluyeron 11 artículos publicados entre 2010 y junio de 2020. Los principales resultados de los estudios mostraron que el apoyo coparental después del divorcio favorece resultados más positivos en el comportamiento infantil. Sin embargo, la existencia de conflicto coparental representa factor de riesgo para problemas de comportamiento en niños, incluso en familias que existe el apoyo y la comunicación coparental.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Divórcio , Criança , Poder Familiar , Família , Comportamento Infantil , Comunicação , Relações Familiares , Revisão Sistemática
3.
Rev. SPAGESP ; 23(2): 37-54, jul.-dez. 2022. tab
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1449313

RESUMO

Este estudo qualitativo buscou compreender as repercussões de um treinamento parental (Programa ACT) na parentalidade, coparentalidade, conjugalidade e no comportamento infantil. O Programa tem como foco a melhoria das práticas educativas dos pais e a sigla ACT significa ação, devido ao caráter dinâmico da intervenção, que abrange orientações, atividades e discussões em grupo. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com três casais heteroafetivos que participaram da intervenção e foram submetidos à análise categorial temática. Os resultados indicaram melhoria na parentalidade e redução de problemas de comportamento dos filhos. A participação de ambos os pais promoveu repercussões favoráveis não apenas na coparentalidade e na conjugalidade, mas na dinâmica familiar como um todo. Este estudo sugere que a participação de duplas coparentais em programas de treinamento tende a potencializar a aplicação do conhecimento, beneficiando o desenvolvimento da criança.


This qualitative research sought to understand the repercussions of the ACT Program on parenting, coparenting, conjugality, and child behavior. ACT is a parenting training program focused on improving parenting practices. Data were collected through semi-structured interviews with three heteroaffective couples who participated in the intervention and submitted to thematic categorical analysis. The results indicated an improvement in parenting and a reduction in children's behavior problems. The participation of both parents promoted favorable repercussions not only on coparenting and conjugality but on family dynamics as a whole. This study suggests that the participation of coparental pairs in training programs tends to enhance the application of knowledge, benefiting the child's development.


Esta investigación cualitativa buscó comprender las repercusiones del Programa ACT en la crianza, la crianza compartida, la conyugalidad y el comportamiento del niño. ACT es un programa de capacitación para padres enfocado en mejorar las prácticas de crianza. Los datos fueron recolectados a través de entrevistas semiestructuradas con tres parejas heteroafectivas que participaron de la intervención, y sometidas a análisis temático categórico. Los resultados indicaron una mejora en la crianza de los hijos y una reducción en los problemas de conducta de los niños. La participación de ambos progenitores promovió repercusiones favorables no solo en la coparentalidad y la conyugalidad, sino en la dinámica familiar en su conjunto. Este estudio sugiere que la participación de parejas coparentales en los programas de capacitación tiende a mejorar la aplicación del conocimiento, beneficiando el desarrollo del niño.


Assuntos
Humanos , Psicologia da Criança , Poder Familiar , Relações Familiares
4.
Acta colomb. psicol ; 25(2): 78-89, July-Dec. 2022. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1393770

RESUMO

Resumo Esta pesquisa leve como principal objetivo verificar as relações entre os estilos parentais predominantes, as dimensões da coparentalidade e os problemas de comportamento em crianças com transtomo do espectro autista (TEA). Caracterizou-se como de caráter exploratório, descritivo e correlacionai, da qual participaram pais (n=45) e mães (n=45) de crianças diagnosticadas com TEA com média de idade de 59 meses. Os dados foram coletados no Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual, no Sul do Brasil. Primeiramente, foi aplicado um questionário socio demográfico e. posteriormente, aplicaram-se. com cada membro do casal, os seguintes instrumentos: Questionário de Dimensões dos Estilos Parentais, Escala da Relação Coparental e Questionário de Capacidades e Dificuldades. Por meio de análises estatísticas de correlação, constatou-se que os estilos parentais permissivo e autoritário foram associados a uma relação coparental negativa com pouco apoio do(a) companheiro (a), exposição a conflitos e boicote das funções parentais. Além disso, esse tipo relação coparental teve relação positiva com problemas de comportamento da criança com TEA. Esta pesquisa avança no conhecimento dos estudos no campo da parentalidade por evidenciar a relação bidirecional do comportamento da criança com TEA e os subsistemas parental e coparental. Contudo, os resultados não podem ser generalizados para todas as familias de crianças com TEA, devido à limitação do número da amostra e aos instrumentos e análises empregados.


Abstract This research had as main objective to verify the relationships between the predominant parenting styles, the dimensions of coparenting and the behavior problems in children with Autistic Spectrum Disorder (ASD). This investigation is characterized as exploratory, descriptive and correlational. Fathers (n=45) and mothers (n=45) of children diagnosed with ASD, with a mean age of 59 months, participated. Data were collected at the Specialized Center for Physical and Intellectual Rehabilitation in southern Brazil. First, a sociodemographic questionnaire was applied and then the following instruments were applied to each member of the couple: Questionnaire on Dimensions of Parenting Styles, Coparental Relationship Scale and Capacity and Difficulties Questionnaire. Through statistical correlation analyzes, it was found that the permissive and authoritarian parenting styles were associated with a negative coparental relationship with little partner support, exposure to conflicts and a boycott of parental functions. In addition, this type of coparental relationship had a positive relationship with behavioral problems of children with ASD. This research advances the knowledge of studies in the field of parenting by highlighting the bidirectional relationship between the behavior of children with ASD and the parental and coparental subsystems. However, the results cannot be generalized to all families of children with ASD, due to the limited sample size, instruments and analyzes used.


Resumen Esta investigación tiene como objetivo principal verificar las relaciones entre los estilos de crianza predominantes, las dimensiones de la coparentalidad y los problemas de conducta de los niños con trastorno del espectro autista (TEA). Es de tipo exploratorio, descriptivo y correlacional, en la que participaron padres (n=45) y madres (n=45) de niños diagnosticados con TEA, con una edad media de 59 meses. Los datos fueron recolectados en el Centro Especializado de Rehabilitación Física e Intelectual en el sur de Brasil. Primero, se aplicó un cuestionario sociodemográfico y luego se aplicaron los siguientes instrumentos a cada miembro de la pareja: Cuestionario sobre las Dimensiones de los Estilos de Crianza, Escala de Relación Coparental y Cuestionario de Capacidad y Dificultades. A través de análisis de correlación estadística, se descubrió que los estilos de crianza permisivos y autoritarios se asociaron con una relación coparental negativa con poco apoyo de la pareja, exposición a conflictos y un boicot a las funciones parentales. Además, este tipo de relación coparental tuvo una relación positiva con los problemas de conducta de los niños con TEA. Esta investigación avanza el conocimiento de estudios en el campo de la crianza de los hijos al destacar la relación bidireccional entre el comportamiento de los niños con TEA y los subsistemas parental y coparental. Sin embargo, los resultados no pueden generalizarse a todas las familias de niños con TEA, debido al tamaño limitado de la muestra y a los instrumentos y análisis utilizados.

5.
Psicol. (Univ. Brasília, Online) ; 38: e38311, 2022. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1394503

RESUMO

Resumo As relações estabelecidas na família, como a relação de ativação pai-criança, interferem no comportamento da criança. Para compreender as relações entre padrões de ativação pai-criança, funcionamento familiar e comportamento da criança, realizou-se um estudo com 12 famílias biparentais heteroafetivas com crianças pré-escolares. Utilizou-se: Questionário Sociodemográfico; Observação da Situação de Risco; Escala de Avaliação da Coesão e Adaptabilidade Familiar; e Questionário de Capacidades e Dificuldades. Constatou-se que: oito crianças foram classificadas como ativadas, três como subativadas e uma como superativada; o funcionamento das famílias está rigidamente coeso e/ou equilibrado; e, no comportamento das crianças, houve elevada pró-sociabilidade e baixos escores em dificuldades. Além da relação de ativação, o funcionamento familiar foi fundamental para a compreensão dos comportamentos da criança.


Abstract Relationships established in the family, such as the father-child activation relationship, interfere in the child's behavior. To understand the relationships between father-child activation, family functioning and child behavior, a study was conducted with 12 two-parent hetero-affective families with preschool children. It was used: Sociodemographic Questionnaire; Risk Situation; Family Adaptability and Cohesion Evaluation Scales; and Strengths and Difficulties Questionnaire. It was found that: eight children were classified as activated, three as under-activated and one as over-activated; the functioning of families is balanced and/or rigidly cohesive; and in the child's behavior it was verified high prosocial behavior and low scores in difficulties. Besides the activation relationship, family functioning was fundamental to understand the child's behavior.

6.
Psicol. (Univ. Brasília, Online) ; 38: e38513, 2022. tab, graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1406337

RESUMO

Resumo Este estudo buscou investigar as relações entre envolvimento, práticas parentais e jornada de trabalho de mães de pré-escolares por meio de uma pesquisa exploratória, quantitativa e transversal. Mães residentes no Sul do Brasil (171) responderam a quatro questionários. Por meio da análise dos resultados, constatou-se que as mães com jornada de trabalho integral e extensa tinham significativamente maior envolvimento com as crianças em comparação com mães que exerciam atividade remunerada parcial e às que não exerciam trabalho remunerado. No entanto, elas utilizaram significativamente mais punição, uso de práticas parentais menos democráticas e apresentaram menor suporte emocional. Discute-se as implicações da conciliação/conflitos dos papéis desempenhados pelas mães quando estão envolvidos os cuidados com as crianças e o trabalho remunerado.


Abstract This study aimed to investigate the relations among parental engagement, parenting practices and work hours of mothers of preschool children, through an exploratory, quantitative and cross-sectional study. Mothers living in the South of Brazil (171) answered to four surveys. The data analysis demonstrated that mothers whose work hours are full and extensive have major engagement with their children' activities towards those who perform partial paid activities or towards those who perform unpaid activities. Nevertheless, they use significantly more punishment, less democratic parenting practices and offer less emotional support. There is discussed the implications of how occurs the conciliation/conflicts of roles developed by the mothers when engaged in the care of their children and in paid activities.

7.
Av. psicol. latinoam ; 39(1): 1-15, ene.-abr. 2021. tab
Artigo em Português | LILACS, COLNAL | ID: biblio-1367000

RESUMO

O Gatekeeping materno é um fator importante a ser considerado para avaliar a proximidade e qualidade da relação do pai com os filhos. Este consiste em crenças e comportamentos maternos que podem facilitar ou di-ficultar o envolvimento paterno com a criança. Dentre vários fatores que afetam esses comportamentos mater-nos encontra-se a personalidade do pai. Como poucos estudos investigaram a relação entre estas variáveis, esta pesquisa objetivou comparar as percepções de pais e mães do gatekeeping materno e investigar os efeitos da percepção paterna de sua personalidade nas percepções materna e paterna do gatekeeping da mãe em famílias com crianças de quatro a seis anos. Participaram 171 casais do Sul do Brasil que responderam ao Questio-nário de Gatekeeping Materno e Inventário dos Cinco Grandes Fatores de Personalidade. Os resultados apon-taram níveis moderados de gatekeeping materno, e eleva-dos níveis de conscienciosidade e amabilidade paterna. As análises comparativas indicaram que pais perceberam maiores níveis de confirmação da identidade materna em comparação às próprias mães, e as mães perceberam em maior nível que os pais que tarefas domésticas e cui-dados com as crianças fazem parte do papel materno. A regressão linear múltipla indicou que quanto mais neuroticismo, maior foi a percepção paterna do controle materno pelas normas e responsabilidades domésticas; e quanto mais extroversão, menos as mães relataram realizar o controle pelas normas e responsabilidades domésticas. Reforça-se a relação entre características pessoais em interação com construções histórico-so-ciais de gênero que afetam crenças e comportamentos maternos sobre tarefas domésticas e cuidados infantis, influenciando o envolvimento paterno


El gatekeeping materno es considerado un factor im-portante para evaluar la cercanía y la calidad de la relación del padre con sus hijos. Se trata de creencias y comportamientos maternos que pueden facilitar o difi-cultar la participación paterna con el niño. Entre varios factores que afectan estos comportamientos maternos se encuentra la personalidad del padre. Como pocos estu-dios han investigado la relación entre estas variables, esta investigación tuvo como objetivo comparar las percepciones de padres y madres sobre el gatekeepingmaterno e investigar los efectos de la percepción pater-na de su personalidad en las percepciones maternas y paternas sobre el gatekeeping materno en familias con hijos de cuatro a seis años. En el estudio participa-ron 171 parejas del sur de Brasil que respondieron el Cuestionario de Gatekeeping materno y el Inventario de los Cinco Grandes Factores de Personalidad. Los resultados mostraron niveles moderados de gatekeeping materno, altos niveles de escrupulosidad y amabilidad paterna. Los análisis comparativos indicaron que los padres percibieron niveles más altos de confirmación de la identidad materna en comparación con las propias madres, y las madres percibieron a un nivel más alto que los padres, que las tareas del hogar y el cuidado de los niños son parte del rol materno. La regresión lineal múltiple indicó que cuanto más neuroticismo, mayor era la percepción paterna del control materno por las normas y responsabilidades domésticas; y cuanto más extroversión, menos madres informaron tener control sobre las normas y responsabilidades domésticas. Se refuerza la relación entre características personales en interacción con construcciones histórico-sociales de género que inciden en las creencias y comportamien-tos maternos sobre las tareas domésticas y el cuidado de los niños, incidiendo en la participación paterna


Maternal Gatekeeping is an important factor to consider when assessing the closeness and quality of the father's relationship with his children. It consists of maternal beliefs and behaviors that can facilitate or hinder the paternal involvement with the child. Among several factors that affect these maternal behaviors is the fa-ther's personality. As few studies have investigated the relationship between these variables. This research was aimed at comparing fathers' and mothers' perceptions of maternal gatekeeping and investigate the effects of paternal perception of their personality on maternal and paternal perceptions of mother's gatekeeping in families with children aged four to six years old. A total of 171 couples from southern Brazil who answered the Maternal Gatekeeping Questionnaire and the Big Five Personality Factors Inventory participated in the study. The results showed moderate levels of maternal gatekeeping and high levels of conscientiousness and paternal kindness. Comparative analyzes indicated that fathers perceived higher levels of confirmation of maternal identity compared to mothers themselves, and mothers perceived at a higher level than fathers that household chores and childcare are part of the maternal role. Multiple linear regressions indicated that the more neuroticism, the greater was the paternal perception of maternal control by norms and domestic responsibilities, and the more extroversion, the fewer mothers reported having control over domestic norms and responsibili-ties. The relationship between personal characteristics in interaction with historical-social constructions of gender that affect maternal beliefs and behaviors about household chores and childcare, influencing paternal involvement is reinforced


Assuntos
Humanos , Pré-Escolar , Relações Pais-Filho , Paternidade , Personalidade , Brasil , Desenvolvimento Infantil , Relações Familiares , Relações Interpessoais
8.
Gerais (Univ. Fed. Juiz Fora) ; 14(1): 1-28, jan.-abr. 2021. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1279119

RESUMO

Este estudo teve como objetivo investigar as produções científicas internacionais que relacionam as temáticas família, gênero e jornada de trabalho publicadas no período de 2012 a 2016. Realizou-se uma busca sistemática nas bases de dados SciELO, Lilacs, APA PsycNet, Scopus e Web of Science, por meio dos descritores family, gender e work hours e seus correspondentes em espanhol e português. Selecionaram-se 12 estudos, os quais integraram a amostra final desta revisão sistemática. Constatou-se que as mães são as principais responsáveis pelas atividades do lar e cuidados das crianças, o que evidencia a desigualdade de gênero nas atribuições de pais e mães no ambiente familiar. Destaca-se que a jornada de trabalho tem implicações no desempenho das funções parentais, em relação à saúde mental e física dos pais e mães, diminuição dos momentos de lazer e menor qualidade de tempo na assistência e cuidado das crianças.


This study aimed to investigate the scientific production international that relate the themes family, gender and work hours published during the period of 2012 to 2016. A systematic search was conducted in the databases SciELO, Lilacs, APA PsycNet, Scopus and Web of Science through the descriptors family, gender, and work hours and their correspondents in Spanish and Portuguese. There were selected 12 studies, which integrated the final sample of this systematic review. It was found that mothers are primarily responsible for the household activities and care of children, which evidences the gender inequality in the roles of fathers and mothers in the family environment. It is noteworthy that the work hours have implications in the performance of parental functions, in relation to the mental and physical health of the parents, decreased leisure time and lower quality of time in the assistance and care of children.


Assuntos
Jornada de Trabalho , Família , Identidade de Gênero , Características da Família , Equidade de Gênero
9.
Interaçao psicol ; 24(1): 98-110, jan.-abr. 2020.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1511732

RESUMO

Este estudo tem como objetivo apresentar uma revisão sistemática da literatura sobre envolvimento paterno e temperamento infantil, entre os anos de 2006 e 2017. Realizou-se uma busca nas seguintes bases de dados: LILACS, PePSIC, SciELO, Web of Science e PsycINFO (APA), por meio dos descritores father e temperament e seus respectivos termos em português e espanhol. Foram examinados 19 artigos cujo foco de investigação foram a relação entre o envolvimento do pai e o temperamento do(a) filho(a). Os resultados foram divididos em duas categorias: parentalidade, avaliação e influência no temperamento infantil e paternidade e temperamento infantil. Verificou-se que o tema vem sendo pouco estudado no Brasil, em comparação com outros países. A partir dos estudos analisados, pode-se inferir que o pai tem influência direta em todas as fases do desenvolvimento infantil e no temperamento do(a) filho(a), especialmente no que concerne a socialização e regulação do humor. Portanto, aponta-se para a necessidade de ampliação de pesquisas com este foco, a fim de favorecer e estimular a elaboração de políticas públicas e possibilitar novos modos de fomentar o envolvimento paterno na vida dos(as) filhos(as), considerando as variáveis que interferem nesse fenômeno, como o temperamento da criança.


This study aims to present a systematic review of the literature on paternal involvement and child temperament, between the years of 2006 and 2017. A search was carried out in the following databases: LILACS, PePSIC, SciELO, Web of Science and PsycINFO (APA), through the descriptors father and temperament and their respective terms in Portuguese and Spanish. Nineteen articles were examined whose focus of investigation was the relationship between the involvement of the father and the temperament of the child. The results were divided into two categories: parenthood, evaluation and influence on child's temperament and fatherhood and child temperament. It was verified that the subject has been insufficiently researched in Brazil, in comparison with other countries. From the studies analyzed, it can be inferred that the father has a direct influence on all phases of child development and on the child temperament, especially regarding socialization and mood regulation. Therefore, it is necessary to expand researches with this focus in order to favor and stimulate the elaboration of public policies and to enable new ways to foster paternal involvement in the children's lives, considering the variables that interfere in this phenomenon, such as the temperament of the child.

10.
Psicol. Estud. (Online) ; 25: e44897, 2020. graf
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1091758

RESUMO

RESUMO O objetivo desse estudo foi compreender a percepção de pais e mães com filhos diagnosticados com transtorno do espectro autista, de sua relação coparental. Essa investigação caracteriza-se como de caráter exploratória e descritiva com uma abordagem qualitativa. Participaram nove casais, pais (n=9) e mães (n=9) de crianças com TEA com idades entre três a sete anos. Os dados foram coletados em um serviço de atendimento especializado no sul do Brasil. Primeiramente foi aplicado um questionário sociodemográfico e depois foi aplicado com cada membro do casal uma entrevista semiestruturada sobre o relacionamento coparental. Para o tratamento dos dados, utilizou-se o método da análise de conteúdo de Bardin. A análise dessas entrevistas com os casais permitiu a construção de categorias conforme as dimensões do modelo teórico da estrutura interna e contexto ecológico da coparentalidade de Feinberg. O acordo nas práticas parentais se destacou no discurso dos casais, embora as mães destaquem que os companheiros têm uma tendência de apresentar uma disciplina relaxada com a criança com TEA. A divisão do trabalho evidencia um desequilíbrio de tarefas exercidas pelos membros do casal, o que demonstra um sentimento de estresse nas mães sobre os cuidados do filho. Apesar disso, os cônjuges reconhecem o suporte parental e reconhecem os esforços do(a) companheiro(a) nas atividades parentais com poucos momentos de sabotagem do(a) parceiro(a) e exposição da criança aos conflitos do casal. Ao final são apontadas as limitações dessa pesquisa e levantadas algumas sugestões de futuros estudos na área, bem como as implicações dos resultados para a intervenção.


RESUMEN El propósito de este estudio fue comprender la percepción de los padres de niños con trastorno del espectro autista (TEA) sobre la relación coparental. Esta investigación se caracteriza como de carácter exploratorio y descriptivo con un abordaje cualitativo. En el caso de los niños con TEA con edades entre 3 y 7 años, participaron 9 parejas, padres (n = 9) y madres (n = 9). Los datos fueron recolectados en un servicio de atención especializada en el sur de Brasil. Primero se aplicó un cuestionario sociodemográfico y luego se aplicó con cada miembro de la pareja una entrevista semiestructurada sobre la relación coparental. Para el tratamiento de los datos, se utilizó el método del análisis de contenido de Bardin. El análisis de estas entrevistas con las parejas permitió la construcción de categorías según las dimensiones del modelo teórico de la Estructura Interna y Contexto Ecológico de la Coparentalidad de Feinberg. El acuerdo en las prácticas parentales se destacó en el discurso de las parejas, aunque las madres destacan que los compañeros tienen una tendencia a presentar una disciplina relajada con el niño con TEA. La división del trabajo evidencia un desequilibrio de tareas ejercidas por los miembros de la pareja, lo que evidencia un sentimiento de estrés en las madres sobre los cuidados del hijo. A pesar de ello, los cónyuges reconocen el apoyo parental y reconocen los esfuerzos del compañero en las actividades parentales con pocos momentos de sabotaje del compañero y exposición del niño a los conflictos de la pareja. Al final se apuntan las limitaciones de esa investigación y se plantean algunas sugerencias de futuros estudios en el área, así como las implicaciones de los resultados para la intervención.


ABSTRACT. The purpose of this study was to understand the perception of the parents of children with Autism Spectrum Disorder (ASD) on the coparenting relationship. This research is characterized as exploratory and descriptive with a qualitative approach. Participants included 9 couples, fathers (n = 9) and mothers (n = 9) of children with ASD aged 3 to 7 years. Data were collected in a specialized care service in the south of Brazil. First, a sociodemographic questionnaire was applied and then a semi-structured interview was applied with each member of the couple on the coparenting relationship. For the data treatment, the Bardin content analysis method was used. The analysis of these interviews with the couples allowed the construction of categories according to the dimensions of the theoretical model of the Internal Structure and Ecological Context of Coparentingby Feinberg. Agreement on parenting practices was highlighted in the discourse of couples, although mothers emphasize that partners have a tendency to present a relaxed discipline with the child with ASD. The division of labor evidences an imbalance of tasks performed by the members of the couple, which evidences a feeling of stress in the mothers on the care of their child. Nonetheless, the spouses recognize parental support and recognize the efforts of their partners in parental activities with few moments of sabotage of the partner and exposure of the child to the couple's conflicts. At the end, the limitations of this research are pointed out and some suggestions for future studies in the area are raised, as well as the implications of the results for the intervention.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pré-Escolar , Adulto , Características da Família , Poder Familiar/psicologia , Transtorno do Espectro Autista/psicologia , Relações Pais-Filho , Comportamento , Cuidadores/psicologia , Comunicação , Emoções , Relações Familiares/psicologia , Angústia Psicológica , Relações Mãe-Filho/psicologia
11.
Estud. Psicol. (Campinas, Online) ; 37: e190143, 2020. tab, graf
Artigo em Inglês | Index Psicologia - Periódicos, LILACS | ID: biblio-1133841

RESUMO

Research on atypical developing parenting usually investigates only the mother. This happens even if the investigation outcome points to the influence of the parenting style and the child's relationship with the father on his/her perception of well-being. This investigation aimed to understand the relationships between the behavior of children with Autistic Spectrum Disorder, parenting styles and coparenting of 45 biparental families with children aged, on mean, 59 months, according to defined profiles based on children's behavioral differences. Data was reviewed by hierarchical clustering. Among the four profiles found, those characterized by behavioral difficulties showed more authoritarian/permissive parenting styles and negative impacts on coparenting; profiles with greater prosociability had a more authoritative parenting style and better coparenting quality. The behavioral assessment of children should drive the formulation of interventions/public policies to promote positive parenting in this population.


Pesquisas sobre parentalidade em desenvolvimento atípico costumam investigar apenas a mãe, mesmo seus resultados apontando para a influência do estilo parental e do relacionamento com o pai na percepção de bem-estar da criança. Esta pesquisa objetivou compreender as relações entre o comportamento de crianças com Transtorno do Espectro Autista, os estilos parentais e o relacionamento coparental de 45 famílias biparentais com crianças com idade média de 59 meses em função dos perfis definidos a partir das diferenças comportamentais infantis. Os dados foram analisados por clusterização hierárquica. Dentre os quatro perfis encontrados, os que se caracterizavam por dificuldades comportamentais apresentaram estilos parentais mais autoritários/permissivos e impactos negativos na coparentalidade; aqueles com maior prossociabilidade evidenciaram um estilo parental mais autoritativo e uma melhor qualidade na coparentalidade. A avaliação comportamental da criança deve pautar a formulação de intervenções/políticas públicas de promoção de parentalidade positiva nessa população.


Assuntos
Comportamento Infantil , Poder Familiar , Relações Familiares , Transtorno do Espectro Autista
12.
rev. psicogente ; 22(42): 211-235, jul.-dic. 2019. tab
Artigo em Português | LILACS, COLNAL | ID: biblio-1094669

RESUMO

Resumo Objetivo: Analisar sistematicamente a produção científica acerca do apego e a parentalidade sob o enfoque transcultural. Método: Realizou-se o levantamento de produções indexadas, a partir de buscas em bases de dados nacionais -Scielo Brasil- e CAPES -Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-; e internacionais -PsycINFO-, mediante os seguintes descritores: Apego OR Bowlby AND parentalidade OR "relação parental"; Attachment OR Bowlby AND Parenting OR Parenthood; e por fim, Apego OR Bowlby AND Parentalidad OR "Relaciones parentales". Foram considerados os estudos nos idiomas português, inglês e espanhol, entre o período de 2013 a outubro de 2017. Após a definição dos critérios de inclusão, os cinco artigos retidos foram analisados com base nos aspectos metodológicos (dados da amostra, tipo de abordagem, tipo de estudo e técnica de coleta de dados), e posteriormente, foram submetidos a análise semântica, da qual derivou-se duas categorias temáticas: 1) Fatores que influenciam a formação do apego e a parentalidade e 2) Apego e relações parentais. Resultados: Apontaram-se lacunas existentes no que se refere à produção científica especificamente ao tema elencado; tendo em vista a diversidade de estudos que englobam os sistemas de apego e temas transversais, como apego e desenvolvimento infantil, apego e psicopatologia, apego e maternidade, entre outros. Além disso, não foram encontrados estudos nacionais sobre a temática, assim como pesquisas transculturais a respeito. Em relação ao delineamento dos estudos encontrados, todos caracterizam-se pelo enfoque quantitativo e estudos longitudinais do tipo prospectivosfollow-up. As técnicas de coleta de dados que mais se sobressaíram foram a Entrevista de Apego Adulto (AAI), seguida da Situação Estranha em pesquisas com amostras infantis. Conclusão: Destaca-se que a Teoria do Apego necessita estar aberta para a revisão e a consideração das dimensões relacionadas à cultura. Isso implica ajustá-la à diferentes contextos culturais, históricos e sociais. Sugere-se, portanto, o incremento de novos estudos que contemplem a formação do apego, os quais venham disseminar intervenções parentais positivas para o ciclo de vida pessoal e familiar dos sujeitos.


Abstract Objective: This paper aims to analyze systematically the scientific production related to attachment behavioral and parenting based on a cross-cultural approach. Method: A survey of indexed productions based on national databases such as: Scielo Brasil and CAPES -Coordination of Improvement of Higher Level Personnel-; and international -PsycINFO-, using the following descriptors: Apego OR Bowlby AND parenting OR "parental relationship"; Attachment OR Bowlby AND Parenting OR Parenthood; and finally, Apego OR Bowlby AND Parentality OR "Parental relationships" was performed. Studies translated into Portuguese, English and Spanish between 2013 and October 2017 were considered. After defining the inclusion criteria, the five retained articles were analyzed based on the methodological aspects (sample data, type of approach, type of study and data collection technique), and afterwards, they were submitted to semantic analysis, from which we derived two thematic categories: 1) Factors that influence the formation of attachment and parenting, and 2) Attachment and parental relationships. Results: Gaps corresponding to the scientific production according to the topics suggested were identified; identifying the diversity of studies related to attachment behavioral systems and cross-cutting themes, such as: child attachment behavioral and development, attachment behavioral and psychopathology, attachment behavioral and motherhood, among others, were taken into account. In addition, there is no national studies based on these topics, as well as cross-cultural surveys. A quantitative approach and prospective longitudinal studies (follow-up) were conducted in these studies. In order to collect the data, Adult Attachment Interview (AAI) followed by The Strange Situation Survey used with children sampled, were highlighted. Conclusion: It should be noted that the Theory of Attachment needs to be open to the review and consideration of dimensions related to culture. This implies adjusting it to different cultural, historical and social contexts. It is suggested, therefore, the increase of new studies that contemplate the formation of attachment, which will disseminate positive parental interventions for the individuals' personal and family life cycle.


Resumen Objetivo: Analizar sistemáticamente la producción científica acerca del apego y la parentalidad bajo el enfoque transcultural. Método: Se realizó el levantamiento de producciones indexadas a partir de búsquedas en bases de datos nacionales -Scielo Brasil- y CAPES -Coordinación de Perfeccionamiento de Personal de Nivel Superior-; e internacionales -PsycINFO-, mediante los siguientes descriptores: Apego OR Bowlby AND parentalidad OR "relación parental". Y por último, Apego OR Bowlby AND Parentalidad OR "Relaciones parentales". Se consideraron los estudios en portugués, inglés y español, entre el período de 2013 a octubre de 2017. Después de la definición de los criterios de inclusión, los cinco artículos retenidos se analizaron sobre la base de los aspectos metodológicos (datos de la muestra, tipo de enfoque, tipo de estudio y técnica de recolección de datos), y posteriormente se sometieron al análisis semántico; se derivaron dos categorías temáticas: 1) Factores que influencian la formación del apego y la parentalidad, y 2) Apego y relaciones parentales. Resultados: Se señalaron las lagunas existentes en lo que se refiere a la producción científica específicamente al tema enumerado, identificando la diversidad de estudios que engloban los sistemas de apego y temas transversales, como apego y desarrollo infantil, apego y psicopatología, apego y maternidad, entre otros. Además, no se encontraron estudios nacionales sobre la temática, así como investigaciones transculturales al respecto. En relación al delineamiento de los estudios encontrados, todos se caracterizan por el enfoque cuantitativo y estudios longitudinales del tipo prospectivo follow-up. Las técnicas de recolección de datos que más sobresalieron fueron la Entrevista de Apego Adulto (AAI), seguida de la Situación Extraña en investigaciones con muestras infantiles. Conclusión: Se destaca que la Teoría del Apego necesita estar abierta para la revisión y la consideración de las dimensiones relacionadas a la cultura. Esto implica ajustarla a diferentes contextos culturales, históricos y sociales. Se sugiere, por lo tanto, el incremento de nuevos estudios que contemplen la formación del apego, los cuales vengan a diseminar intervenciones parentales positivas para el ciclo de vida personal y familiar de los sujetos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Lactente , Poder Familiar , Literatura de Revisão como Assunto , Família , Desenvolvimento Infantil , Inquéritos e Questionários , Estudos Longitudinais
13.
Trends Psychol ; 27(4): 865-878, Oct.-Dec. 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1059166

RESUMO

Abstract The aim of this review was to analyze the empirical studies that have measured temperament and coparenting. Accordingly, we sought to answer the question: "What is the relationship between the variables of coparenting and temperament in empirical studies, considering the different theoretical approaches, the different instruments used and families with children between zero and 11 years of age?" The databases chosen for this review were VHL-Psi, PsycINFO, PubMed, Scopus and Web of Science. The VHL-Psi database was searched, however, no articles were found. A total of 28 articles were selected, which were analyzed in their entirety and described regarding the number of participants, method, instruments used and other variables measured. The results regarding the relationship between coparenting and temperament were organized into six categories. Only two articles indicated a lack of significant relationships between the two variables. Temperament as a predictor of coparenting and the moderating role of coparenting as a risk and protection factor were highlighted. Bidirectional relationships between variables were addressed in only three articles and the lack of studies in this direction was evident. Differences in the coparenting of fathers and mothers highlight the importance of gender discussions.


Resumo O objetivo desta revisão foi analisar os estudos empíricos que mediram temperamento e coparentalidade. Para tanto, buscou-se responder à pergunta: "qual a relação entre as variáveis coparentalidade e temperamento em estudos empíricos, considerando as diferentes abordagens teóricas, os diferentes instrumentos utilizados em famílias com crianças entre zero e 11 anos?". As bases de dados escolhidas para a revisão foram BVS-PSI, Psycinfo, Pubmed, Scopus e Web of Science. Na base de dados nacional BVS-PSI nenhum artigo foi encontrado. Foram selecionados 28 artigos, os quais foram analisados na íntegra e descritos quanto ao número de participantes, o método, os instrumentos utilizados e outras variáveis mensuradas. Os resultados a respeito da relação entre coparentalidade e temperamento foram organizados em seis categorias. Apenas dois artigos apontaram a não existência de relações significativas entre as duas variáveis. Destaca-se que a maioria dos artigos indicou o temperamento como preditor da coparentalidade, bem como o papel moderador da coparentalidade enquanto fator de risco e proteção. As relações bidirecionais entre as variáveis foram abordadas em apenas três artigos e questiona-se a escassez de estudos nessa direção. As diferenças na coparentalidade de pais e mães apontam para a importância das discussões sobre gênero.


Resumen El objetivo de esta revisión fue analizar los estudios empíricos que midieron temperamento y coparentalidad. Para ello, se buscó responder a la pregunta "¿cuál es la relación entre las variables coparentalidad y temperamento en estudios empíricos, considerando los diferentes enfoques teóricos, los diferentes instrumentos utilizados y familias con niños entre cero y 11 años?". Las bases de datos elegidas para esta revisión fueron BVS-PSI, Psycinfo, Pubmed, Scopus e Web of Science. La base de datos BVS-PSI fue investigada, pero no se encontró ningún artículo. Se seleccionaron 28 artículos, los cuales fueron analizados en la integración y descritos en cuanto al número de participantes, el método, los instrumentos utilizados y otras variables mensuradas. Los resultados sobre la relación entre coparentalidad y temperamento se organizaron en seis categorías. Sólo dos artículos apuntaron a la no existencia de relaciones siginificativas entre las dos variables. Se destaca el mayor número de artículos que apuntan al temperamento como predictor de la coparentalidad y el papel moderador de la coparentalidad como factor de riesgo y protección. Las relaciones bidireccionales entre las variables se abordaron en sólo tres artículos y se cuestiona la escasez de estudios en esa dirección. Las diferencias en la coparentalidad de padres y madres apuntan a importancia de las discusiones sobre género.

14.
Rev. SPAGESP ; 20(1): 113-125, jan.-jun. 2019.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1003120

RESUMO

Este artigo objetivou descrever uma proposta de grupo reflexivo com pais, mães e/ou cuidadores de crianças para promover práticas parentais positivas. Foram realizados dois grupos, um com cinco e outro com sete encontros e a periodicidade foi semanal. A duração foi de uma hora e meia cada encontro e foram coordenados por duas terapeutas e uma equipe reflexiva. Os eixos temáticos dos encontros foram: parentalidade, coparentalidade, características das crianças, limites e relação família-escola. Por meio da análise dos relatos dos participantes constatou-se que o grupo reflexivo foi um importante espaço de troca de experiências com outros cuidadores e uma oportunidade para refletir sobre as preocupações, desafios, expectativas e experiências de ser responsável pela criação e educação de criança.


This article describes the execution of therapeutic groups (reflexive) with parents and/or caregivers of children to promote positive parenting practices. Two groups were carried out, with five and seven meetings each and weekly periodicity. Each meeting had an hour and a half duration, which was coordinated by two therapists and a reflective team. The thematic axes of the meetings were parenting, co-parenting, children's characteristics, limits and family-school relationship. Through the analysis of the participants' reports, it was verified that the reflective group was an important space for exchanging experiences with other caregivers and an opportunity to reflect on their concerns, challenges, expectations and experiences of being responsible for raise a kid.


Este artículo objetivó describir grupos reflexivos con padres, madres y/o cuidadores de niños para promover prácticas parentales positivas. Se realizaron dos grupos semanales, con cinco y siete encuentros cada uno. La duración fue de una hora y media cada encuentro, coordinados por dos terapeutas y un equipo reflexivo compuesto por seis integrantes. Los ejes temáticos de los encuentros fueron: parentalidad, coparentalidad, características de los niños, límites y relación familia-escuela. A través del análisis de los relatos de los participantes se constató que el grupo reflexivo fue un importante espacio de intercambio de experiencias con otros cuidadores y una oportunidad para reflexionar sobre sus preocupaciones, desafíos, expectativas y experiencias de ser responsable por la creación y educación de niños.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Psicoterapia de Grupo , Educação Infantil , Relações Familiares
15.
Estud. pesqui. psicol. (Impr.) ; 18(1): 383-361, jan.-abr. 2018. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-982137

RESUMO

As atividades exercidas pelas figuras parentais, que visam a sobrevivência e o desenvolvimento dos filhos, sofrem interferência de diferentes determinantes, entre eles a personalidade parental. Investigar essa relação pode contribuir com informações sobre as características individuais mais propensas a fornecer os cuidados e aquelas associadas a fatores de risco. O objetivo desse artigo foi revisar os resultados de estudos sobre personalidade parental e parentalidade. A busca foi realizada nas bases de dados Capes Periódicos, PubMed e BVS-Psi com os descritores "parenting" e "parental personality. Foram encontrados 137 estudos e 18 satisfizeram os critérios de inclusão. Encontrou-se apenas estudos internacionais e verificou-se que há uma tendência de os estudos utilizarem o termo "parental personality" sem diferenciar nos resultados os aspectos relacionados ao pai e à mãe. O modelo teórico predominante foi o Cinco grandes fatores da personalidade. As dimensões da personalidade extroversão e amabilidade se relacionaram à uma parentalidade calorosa e responsiva; o neuroticismo à rigidez ou permissividade; a abertura à experiência à flexibilidade; e a conscienciosidade à imposição de limites na educação. Concluiu-se que as características de personalidade de pais e mães podem ressoar em diferentes comportamentos em relação à parentalidade. Recomenda-se para pesquisas futuras a investigação de aspectos relacionados apenas ao pai e à mãe, que diferenciem o tipo de interação pais-filhos em relação ao gênero da criança.(AU)


Las actividades ejercidas por las figuras parentales orientadas a la supervivencia y el desarrollo de los hijos sufren interferencias de diferentes determinantes, entre ellos, la personalidad de los padres. Investigar esa relación puede contribuir con informaciones sobre las características individuales más propensas a fortalecer los cuidados y aquellas asociadas a los factores de riesgo. El objetivo de este artículo fue examinar los resultados de estudios sobre personalidad parental y parentalidad. La búsqueda fue realizada en las bases de datos Capes Periódicos, PubMed e BVS-Psi con los descriptores "parenting" e "parental personality". Fueron encontrados 137 estudios y apenas 18 satisficieron los criterios de inclusión. Se encontraron apenas estudios internacionales e se corroboró que hay una tendencia a usar la categoría "parental personality" sin que los resultados diferencien los aspectos relacionados con las madres o los padres. El modelo teórico predominante fue el de los cinco grandes factores de la personalidad. Las dimensiones de la personalidad extroversión y amabilidad se relacionaron con una parentalidad cálida y responsable; el neuroticismo a la rigidez o permisividad; la apertura a la experiencia y a la flexibilidad; y la responsabilidad a la imposición de límites en la educación. Se concluyó que las características de personalidad de padres y madres pueden repercutir en diferentes comportamientos en relación con la parentalidad. Se recomienda a investigaciones futuras el estudio de aspectos circunscritos al padre y a la madre, que distingan el tipo de interacción padres-hijos, de acuerdo con el género del niño.(AU)


The activities carried out by parental that aim at the survival and the development of the children suffer interference from different factors, between them the parental personality. Investigating this relationship may contribute with information about the individual characteristics that are most likely to provide care and those associated with risk factors. The objective of this article was to review the results of studies about parental personality and parenting. The search was performed in Capes Periódicos, PubMed and BVS-Psi databases with the keywords: "parenting" and "parental personality". Among the 137 studies found, 18 have met the inclusion criteria. It has been found only international papers and it was noted a trend to use the term "parental personality" was shown, without differentiating the aspects related to the father and the mother in the results. The predominant theoretical model was the Big Five Factor Model. The personality dimensions of extroversion and amability were related to warm and responsive parenting; neuroticism to stiffness or permissiveness; openness to experience to flexibility; and conscientiousness to the imposition of limits in education. It was concluded that the personality characteristics of fathers and mothers can have repercussions on different behaviors in relation to parenthood. It is recommended for future research the investigation of aspects related only to the father and the mother that differentiate the type of interaction parents-children with respect to the gender of the child.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pré-Escolar , Criança , Adolescente , Personalidade , Poder Familiar/psicologia , Crescimento e Desenvolvimento , Pais , Comportamento , Mães
16.
Arq. bras. psicol. (Rio J. 2003) ; 70(1): 260-275, jan./mar. 2018.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-913151

RESUMO

A cultura e os contextos sociais são aspectos importantes na investigação de fenômenos concernentes ao desenvolvimento humano. Tem-se como objetivo apresentar considerações teórico-metodológicas, baseadas na experiência de uma pesquisa realizada por pesquisadores brasileiros e canadenses, acerca dos procedimentos adotados na produção científica envolvendo a Psicologia Transcultural e a Psicologia do Desenvolvimento, apontando desafios e possibilidades para superá-los. Salienta-se a importância da adequação da pesquisa para diferentes culturas e recomenda-se atentar para os seguintes procedimentos: definição do tema de pesquisa, escolha e adaptação dos instrumentos de medida, definição do construto, treinamento dos pesquisadores e estudo piloto. A indicação de critérios dessa natureza tem como objetivo aprimorar a sistematização e descrição de estudos transculturais na área da Psicologia do Desenvolvimento para que se possam produzir resultados consistentes e válidos


The culture and social contexts are important in the investigation of aspects related to human development. The objective was to present theoretical and methodological considerations, based on our experience related to a research carried out by Brazilian and Canadian researchers, on the procedures adopted in the scientific literature involving the Transcultural Psychology and Developmental Psychology, pointing challenges and possibilities of overcoming them. The importance of adequacy of research for different cultures was stressed and it is recommended be attentive to the following: definition of the research topic, choice of the measuring instrument, definition of the construct, instrument adaptation, training researchers and pilot study. Indication criteria of this nature aims to improve the systematization and description of cross-cultural studies in Developmental Psychology, in order to make possible to produce consistent and valid results


La cultura y los contextos sociales son aspectos importantes en la investigación de fenómenos concernientes al desarrollo humano. Se tiene como objetivo presentar consideraciones teórico-metodológicas, basadas en la experiencia de una investigación realizada por investigadores brasileños y canadienses, acerca de los procedimientos adoptados en la producción científica envolviendo la Psicología Transcultural y la Psicología del Desarrollo, apuntando desafíos y posibilidades. Se destaca la importancia de la adecuación de la investigación para diferentes culturas y se recomienda atentar para los siguientes procedimientos: definición del tema de investigación, elección y adaptación de los instrumentos de medida, definición del constructo, entrenamiento de los investigadores y estudio piloto. La indicación de criterios de esa naturaleza tiene como objetivo mejorar la sistematización y descripción de estudios transculturales en el área de la Psicología del Desarrollo para que se puedan producir resultados consistentes y válidos


Assuntos
Humanos , Comparação Transcultural , Competência Cultural/psicologia , Etnopsicologia , Avaliação de Programas e Instrumentos de Pesquisa , Psicologia do Desenvolvimento
17.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1020138

RESUMO

RESUMO O objetivo deste estudo foi analisar as percepções parentais sobre o temperamento de crianças com idade entre quatro e seis anos e a sua relação com as variáveis sociodemográficas. Participaram da pesquisa 104 famílias biparentais, totalizando 208 mães e pais respondentes. Os instrumentos aplicados foram o Questionário Sociodemográfico e o Children's Behavior Questionnaire (CBQ), que avalia o temperamento infantil. Os resultados indicaram o afeto negativo como o fator do temperamento mais fortemente relacionado a diferentes variáveis sociodemográficas. Assim, obteve-se que, quanto maior o número de filhos e de membros da família, bem como menor a renda e a escolaridade parental, maiores os indicativos de reações infantis de desconforto, tristeza, medo, raiva e baixa capacidade de se acalmar.


ABSTRACT The aim of this study was to analyze parental perceptions of the temperament of children aged between four and six years and its relation to sociodemographic variables. Participants were 104 two-parent families, totaling 208 respondents. The instruments were a Sociodemographic Questionnaire and the Children's Behavior Questionnaire (CBQ), which assesses infant temperament. The results indicated negative affect as the factor of temperament most strongly related to different sociodemographic variables. Thus, results suggest that the higher the number of children and family members, and the lower the income and level of education of the parents, the stronger are indications of children's reactions of discomfort, sadness, fear, anger, and low soothability.

18.
Psicol. (Univ. Brasília, Online) ; 34: e3439, 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1020152

RESUMO

Abstract This study aimed to investigate the internal structure and reliability indices of the Questionnaire d'Engagement Paternel (QEP). It describes the process of cross-cultural adaptation and results of the evaluation of the psychometric proprieties of the instrument. The sample consisted of 300 participants (150 mothers and 150 fathers), who formed two-parent families. The psychometric analyses involved procedures including back translation, factor analysis, and reliability analyses of the instrument. The Brazilian version of the QEP is presented, containing a total of 36 items, divided into five dimensions. Twenty items were excluded, according to statistical and theoretical criteria. The results demonstrated satisfactory evidence of validity of the scale. Considerations regarding limitations of the study and recommendations for use in future research were indicated.


Resumo Este estudo teve como objetivo investigar a estrutura interna e os índices de confiabilidade do Questionário de Engajamento Paterno (QEP). Propõe-se descrever o processo de adaptação transcultural e os resultados da avaliação das propriedades psicométricas do instrumento. A amostra foi composta por 300 participantes (150 mães e 150 pais), que formavam famílias biparentais. Nas análises psicométricas, foram seguidos procedimentos envolvendo back translation, análise fatorial e análise da confiabilidade do instrumento. Apresenta-se a versão brasileira do QEP, contendo o total de 36 itens, divididos em cinco dimensões. Houve exclusão de 20 itens, conforme critérios estatísticos e teóricos. Os resultados demonstraram evidências satisfatórias de validade e precisão da escala. Considerações sobre limitações do estudo e indicações de uso para pesquisas futuras foram apontadas.

19.
Psico USF ; 23(2): 215-227, 2018. tab, il
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-910510

RESUMO

Coparenting refers to mothers and fathers articulating their efforts to raise their children. Currently, there are no instruments to measure this construct in Brazil. In this study, the adequacy of a cross-cultural adaptation of the Coparenting Relationship Scale (CRS) (Escala da Relação Coparental - ERC) was evaluated, examining evidence of semantic, conceptual, cultural, idiomatic, operational and measurement equivalence, and face validity. Two independent research groups adapted the CRS and then produced a unified version, completed by 171 couples with at least one child between 4 to 6 years of age. The precision of the subscales, measured using Cronbach's alpha, varied between .16 ­ .83. Four subscales had good precision in the Brazilian sample, but the precision of the "Division of Labor", "Coparenting Closeness", and "Coparenting Agreement" subscales needs to be improved and additional evidence of the validity of this instrument must be examined, so the CRS can be used in Brazil. (AU)


A coparentalidade envolve a articulação entre mães e pais para criar os filhos. Ainda não existem instrumentos para mensurar este construto, no Brasil. Nesse estudo, foi verificada a adequação de uma adaptação transcultural do Coparenting Relationship Scale (CRS) (Escala da Relação Coparental - ERC), por meio da avaliação das equivalências semântica, conceitual, cultural, idiomática, operacional e de mensuração e da validade aparente. Dois grupos de pesquisa independentes adaptaram a CRS e, depois, produziram uma versão unificada, respondida por 171 casais, com pelo menos um filho de 4 a 6 anos. Os índices de precisão, mensurados por meio do alfa de Cronbach para cada subescala, variaram entre 0,16 e 0,83. Quatro subescalas apresentaram boa precisão de mensuração da coparentalidade no contexto brasileiro, mas será necessário reformular as subescalas "Divisão de Tarefas", "Proximidade Coparental" e "Concordância Coparental", além de avaliar evidências adicionais de validade, para que a ERC possa ser usada no Brasil. (AU)


La coparentalidad implica articulación entre madres y padres para criar a los hijos. Todavía en Brasil no existen instrumentos para medir este constructo. En este estudio fue verificada la adecuación de una adaptación transcultural del Coparenting Relationship Scale (CRS) (Escala da Relação Coparental - ERC), por medio de evaluación de equivalencias semántica, conceptual, cultural, idiomática, operativa, de medición y validez aparente. Dos grupos de investigación independientes adaptaron CRS y, después, produjeron una versión unificada, respondida por 171 parejas con por lo menos un hijo de 4 a 6 años. Los índices de precisión, medidos por medio de alfa de Cronbach para cada subescala, oscilaron entre 0,16 y 0,83. Cuatro subescalas presentaron buena precisión de medición de coparentalidad en el contexto brasileño, pero será necesario reformular las subescalas "División de Tareas", "Proximidad Coparental" y "Concordancia Coparental", además de evaluar evidencias adicionales de validez, para que la ERC pueda ser utilizada en Brasil. (AU)


Assuntos
Humanos , Pré-Escolar , Criança , Adulto , Relações Pais-Filho , Reprodutibilidade dos Testes , Poder Familiar , Tradução , Comparação Transcultural
20.
Psicol. teor. pesqui ; 33: e3342, 2017. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-842317

RESUMO

RESUMO: O presente artigo teve como objetivo analisar a relação entre envolvimento paterno com filhos adotivos e estrutura familiar. Participaram do estudo quatro pais de crianças que foram adotadas até um ano de idade. Esta pesquisa qualitativa teve como instrumentos um questionário sociodemográfico e duas entrevistas semiestruturadas. Constata-se que esses pais brincam, cuidam, conversam, demonstram afeto e têm lazer com seus filhos. Eles também buscam ser participativos quando estão disponíveis, dividindo tarefas e responsabilidades com suas esposas, destacando-se seu papel de provedor. No que se refere à estrutura familiar, predominam nas famílias o relacionamento harmônico ou muito estreito. Conclui-se que, nas famílias investigadas, os pais mostraram-se envolvidos com seus filhos.


ABSTRACT: The present article aimed to analyze the relationship between father involvement with adopted children and family structure. Participated four fathers of children who were adopted until a year old. This qualitative research used as instruments a questionnaire and two semistructured interviews. It is verified that these fathers play, take care, talk, show affection and have leisure with their children. They also seek to be participants when they are available, and share some tasks and responsibilities with their wives, highlighting their role as providers of financial support. Concerning the family structure, harmonic or too narrow relationships predominate in the families. It is concluded that, in investigated families, fathers get involved with their children.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...