Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 33
Filtrar
1.
Rev. saúde pública (Online) ; 58: 07, 2024. tab, graf
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-1536770

RESUMO

ABSTRACT OBJECTIVE To evaluate the effectiveness of vaccines developed against covid-19 in reducing mortality in people hospitalized with severe acute respiratory syndrome (SARS) caused by SARS-CoV-2. METHODS This is a retrospective cohort that evaluated risk factors and the effectiveness of the two-dose vaccination schedule in reducing the mortality of people hospitalized for covid-19 in the state of Paraíba from February to November 2021. The explanatory variables were vaccination status, presence of comorbidities, socioeconomic and demographic characteristics. Descriptive analyses and bivariate and multivariable logistic regression were performed. RESULTS Most hospitalizations and deaths occurred until May 2021. The percentage of patients with a complete vaccination schedule was similar across patients admitted to public and private hospitals and higher in residents of less developed municipalities. Multivariable analysis demonstrated that women (OR = 0.896; 95%CI 0.830-0.967) and people admitted to private hospitals (OR = 0.756; 95%CI 0.679-0.842) were less likely to die. Presence of any comorbidity (OR = 1.627; 95%CI 1.500-1.765) and age ≥ 80 years (OR = 7.426; 95%CI 6.309-8.741) were risk factors for death. Patients with complete vaccination schedule at the time of admission were 41.7% less likely to die (OR = 0.583; 95% CI 0.501-0.679) from covid-19 in the adjusted analysis, as compared to unvaccinated patients. CONCLUSIONS The study reveals that immunization was effective in reducing the likelihood of death from covid-19. The results suggest that greater vaccination coverage in the first half of 2021 would prevent thousands of deaths in the country.


RESUMO OBJETIVO Avaliar a efetividade das vacinas desenvolvidas contra a covid-19 na redução da mortalidade em pessoas internadas com síndrome respiratória aguda grave (SRAG) causada pelo SARS-CoV-2. MÉTODOS Trata-se de uma coorte retrospectiva que avaliou fatores de riscos e a efetividade do esquema vacinal com duas doses na redução da mortalidade de pessoas internadas por covid-19 no estado da Paraíba entre fevereiro e novembro de 2021. As variáveis explicativas foram situação vacinal, presença de comorbidades, características socioeconômicas e demográficas. Foram realizadas análises descritivas e regressão logística bivariada e multivariável. RESULTADOS A maior parte das internações e óbitos ocorreram até maio de 2021. O percentual de pacientes com esquema vacinal completo foi similar entre pacientes internados em hospitais públicos e privados e superior em residentes de municípios com menor desenvolvimento. A análise multivariável demonstrou que mulheres (OR = 0,896; IC95% 0,830-0,967) e pessoas internadas em hospitais privados (OR = 0,756; IC95% 0,679-0,842) apresentaram menor chance de morte. A presença de alguma comorbidade (OR = 1,627; IC95% 1,500-1,765) e idade ≥ 80 anos (OR = 7,426; IC95% 6,309-8,741) foram fatores de risco de óbito. Pacientes com esquema vacinal completo no momento da internação apresentaram uma chance 41,7% menor de morte (OR = 0,583; IC95% 0,501-0,679) por covid-19 na análise ajustada, quando comparados com pacientes não vacinados. CONCLUSÕES O estudo revela que a imunização foi efetiva na redução da chance de óbito por covid-19. Os resultados sugerem que uma maior cobertura vacinal no primeiro semestre de 2021 evitaria milhares de mortes no país.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Adulto Jovem , Estudos de Coortes , Mortalidade , Estudos Observacionais como Assunto , Vacinas contra COVID-19 , COVID-19
2.
Epidemiol. serv. saúde ; 33: e2023214, 2024. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1534444

RESUMO

ABSTRACT Objective to analyze the vaccine effectiveness in preventing deaths attributed to severe acute respiratory syndrome due to COVID-19 (SARS/COVID-19) in adults and the elderly, in Blumenau, state of Santa Catarina, Brazil, 2021. this was a population-based study conducted among individuals aged 20 years and older hospitalized with SARS/COVID-19; each death due to SARS/COVID-19 was considered a "case", and every survivor was considered a "control"; the association between vaccination status and the outcome of "death" was estimated using logistic regression, and vaccine effectiveness was estimated as (1-OR)*100. The study included 1,756 cases of SARS/COVID-19 (59.2% male, mean age of 56 years, 50.4% with elementary education, 68.4% with comorbidities and 39.1% in intensive care), of whom 398 died (cases) and 1,358 survived (controls); vaccine effectiveness was 74% and 85% (20-59 years old) and 72% and 75% (≥ 60 years old), respectively, for those who were partially vaccinated and fully vaccinated. Conclusion vaccines proved to be effective in reducing case fatality ratio due to SARS/COVID-19 in individuals ≥ 20 years old.


RESUMEN Objetivo analizar la efectividad de la vacuna para prevención de muertes por SRAG-COVID en adultos y ancianos de Blumenau, Santa Catarina, Brasil, 2021. Método estudio de base poblacional con personas hospitalizadas por SRAG-COVID mayores de 20 años; las muertes por SRAG-COVID se consideraron casos y todos los supervivientes, controles; la asociación entre el estado de vacunación y la muerte se estimó mediante regresión logística; la efectividad de la vacuna se estimó por (1-OR)*100. Resultados participaram do estudo 1.756 casos de SRAG-COVID (59,2% del sexo masculino, edad media de 56 años, 50,4% con estudios primarios, 68,4% con comorbilidades y 39,1% en cuidados intensivos), dos quais 398 foram a óbito (casos) e 1.358 sobreviveram (controles); la efectividad de la vacuna fue del 74% y el 85% (20 a 59 años) y del 72% y el 75% (60 y más años), entre los que tenían vacunación parcial y completa, respectivamente. Conclusión las vacunas fueran efectivas para reducir la letalidad del SRAG-covid.


RESUMO Objetivo Analisar a efetividade vacinal na prevenção de óbitos atribuídos a síndrome respiratória aguda grave por covid-19 (SRAG-covid) em adultos e idosos, em Blumenau, Santa Catarina, Brasil, 2021. Métodos Estudo populacional, entre maiores de 20 anos de idade internados por SRAG-covid; considerou-se "caso" cada óbito por SRAG-covid, e "controle", todo sobrevivente; estimou-se a associação entre a condição vacinal e o desfecho "óbito" por regressão logística, e a efetividade vacinal, por (1-OR)*100. Resultados Participaram do estudo 1.756 casos de SRAG-covid (59,2% do sexo masculino, idade média de 56 anos, 50,4% com ensino fundamental, 68,4% com comorbidades e 39,1% em cuidado intensivo), dos quais 398 foram a óbito (casos) e 1.358 sobreviveram (controles); a efetividade vacinal foi de 74% e 85% (20-59 anos) e de 72% e 75% (≥ 60 anos), respectivamente, para quem possuía vacinação parcial e vacinação completa. Conclusão Vacinas mostraram-se efetivas na redução da letalidade por SRAG-covid em indivíduos com idade ≥ 20 anos.

3.
Saúde Redes ; 9(3): 1-18, set. 2023.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1516101

RESUMO

Objetivou-se analisar o acesso e usabilidade, na perspectiva da gestão, equipe de imunização e usuários Aracatienses, do sistema de cadastramento de vacina contra Covid-19 pela plataforma "Saúde Digital" do Governo do Estado do Ceará. Sob aprovação ética (CAEE: 57225822.1.0000.5037), foi realizado estudo qualitativo do tipo entrevista semiestruturada, em duas fases: A primeira aplicada aos técnicos do setor de imunização e enfermeiros que participaram da vacinação contra a Covid-19, no Município de Aracati. Segunda fase com busca, identificação e entrevista dos usuários do serviço que tiveram seu nome divulgado, múltiplas vezes na lista de convocação para a vacinação, visando identificar o perfil socioeconômico e sua visão sobre o acesso ao cadastro e chamamento à vacinação. Os dados qualitativos foram analisados por análise de conteúdo de Bardin. Notou-se que para a equipe da gestão e da imunização a plataforma Saúde Digital apresentou-se como uma boa estratégia de organização e otimização dos dados. Apesar disso, notou-se a ausência de treinamento e capacitação da equipe para o uso de tal ferramenta. Já os usuários, apesar de um maior número que precisaram ser convocados múltiplas vezes para a vacinação, apenas dois deles encontravam-se vinculados a uma unidade de atenção primária à saúde, sem acesso à internet e desconhecendo os múltiplos chamamentos. No caso discutido neste trabalho, é imperativa a importância do acesso aos meios digitais e a vinculação do usuário à unidade de atenção primária à saúde adscrita, de modo a assegurar o acompanhamento oportuno do usuário, vislumbrando um SUS de fato universal e igualitário.

4.
Saude e pesqui. (Impr.) ; 16(1): e-11424, jan.-mar. 2023.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1438112

RESUMO

Este estudo teve como objetivo analisar o número de casos e óbitos por Covid-19 em relação a gênero e idade, quantidade total de vacinas aplicadas e relação entre a aplicação das vacinas e número de mortes, de janeiro a novembro de 2021, na cidade e região de Viçosa, Minas Gerais. Os dados foram fornecidos pelo Setor de Vigilância Epidemiológica do município e pelos boletins diários da prefeitura. Em média, houve mais de mil casos de infectados/mês de janeiro a julho, a maior parte adultos do gênero feminino. A mortalidade também foi maior entre as mulheres. Foi registrada queda do número de casos e de mortes coincidente com a aplicação da primeira dose de vacina em pessoas sem comorbidades e com início de aplicação da segunda dose nos grupos prioritários. Tal achado indica a importância da imunização coletiva no controle da pandemia.


This study aimed to analyze the number of cases and deaths from Covid-19 in relation to gender and age, the total vaccines applied, and the relationship between the vaccine application and the number of deaths between January and November 2021, in the municipality and region of Viçosa, state of Minas Gerais. Data were provided by the Epidemiological Surveillance Sector of the municipality of Viçosa and by the Daily Bulletins, published by the city hall. On average, there were more than 1,000 cases per month from January to July, mostly female adults. Mortality was also higher for females. There was a drop in the number of cases and deaths, coincident with the application of the first dose of vaccine in people without comorbidities and the initial period of application of the second dose in priority groups, indicating the importance of collective immunization to control the pandemic.

5.
Rev. panam. salud pública ; 47: e122, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1508785

RESUMO

ABSTRACT Objective. To estimate the early impact of coronavirus disease 2019 (COVID-19) vaccination on cases in older populations in four countries (Chile, Colombia, Guatemala, and the United States of America), and on deaths in Chile and Guatemala. Methods. Data were obtained from national databases of confirmed COVID-19 cases and deaths and vaccinations between 1 July 2020 and 31 August 2021. In each country, pre- and post-vaccination incidence ratios were calculated for COVID-19 cases and deaths in prioritized groups (50-59, 60-69, and ≥70 years) compared with those in the reference group (<50 years). Vaccination effect was calculated as the percentage change in incidence ratios between pre- and post-vaccination periods. Results. The ratio of COVID-19 cases in those aged ≥50 years to those aged <50 years decreased significantly after vaccine implementation by 9.8% (95% CI: 9.5 to 10.1%) in Chile, 22.5% (95% CI: 22.0 to 23.1%) in Colombia, 20.8% (95% CI: 20.6 to 21.1%) in Guatemala, and 7.8% (95% CI: 7.6 to 7.9%) in the USA. Reductions in the ratio were highest in adults aged ≥70 years. The effect of vaccination on deaths, with time lags incorporated, was highest in the age group ≥70 years in both Chile and Guatemala: 14.4% (95% CI: 11.4 to 17.4%) and 37.3% (95% CI: 30.9 to 43.7%), respectively. Conclusions. COVID-19 vaccination significantly reduced morbidity in the early post-vaccination period in targeted groups. In the context of a global pandemic with limited vaccine availability, prioritization strategies are important to reduce the burden of disease in high-risk age groups.


RESUMEN Objetivo. Estimar el impacto temprano sobre los casos de enfermedad por coronavirus 2019 (COVID-19) obtenido con la vacunación contra la COVID-19 en los grupos poblacionales de edad avanzada en cuatro países (Chile, Colombia, Estados Unidos de América y Guatemala), así como el efecto en la mortalidad en Chile y Guatemala. Métodos. Los datos se obtuvieron a partir de las bases de datos nacionales sobre vacunaciones y sobre casos de COVID-19 y muertes debidas a esta enfermedad entre el 1 de julio del 2020 y el 31 de agosto del 2021. Para cada país, se calcularon las razones de incidencia de casos de COVID-19 y de muertes por COVID-19 anteriores y posteriores a la vacunación en los grupos priorizados (50-59, 60-69 y ≥70 años) en comparación con las del grupo de referencia (<50 años). Se calculó el efecto de la vacunación expresado en forma de variación porcentual de la razón de las incidencias entre el período anterior y el posterior a la vacunación. Resultados. Tras la introducción de la vacuna, la razón de los casos de COVID-19 entre las personas ≥50 años y las <50 disminuyó significativamente en un 9,8% (IC del 95%: 9,5% a 10,1%) en Chile, en un 22,5% (IC del 95%: 22,0% a 23,1%) en Colombia, en un 7,8% (IC del 95%: 7,6% a 7,9%) en Estados Unidos de América y en un 20,8% (IC del 95%: 20,6% a 21,1%) en Guatemala. Las reducciones de la razón fueron máximas en las personas adultas ≥70 años. El efecto de la vacunación sobre las muertes, una vez incorporados los desfases cronológicos, fue máximo en el grupo de personas ≥70 años, tanto en Chile como en Guatemala: 14,4% (IC 95%: 11,4% a 17,4%) y 37,3% (IC 95%: 30,9% a 43,7%), respectivamente. Conclusiones. La vacunación contra la COVID-19 redujo significativamente la morbilidad en el período inmediato posterior a la vacunación en los grupos destinatarios. En el contexto de una pandemia con disponibilidad limitada de vacunas a nivel mundial, las estrategias de asignación de prioridades son un factor importante para reducir la carga de morbilidad en los grupos etarios de alto riesgo.


RESUMO Objetivo. Estimar o impacto inicial da vacinação contra a doença pelo coronavírus 2019 (COVID-19) nos casos em populações idosas de quatro países (Chile, Colômbia, Guatemala e Estados Unidos da América) e nas mortes no Chile e na Guatemala. Métodos. Os dados foram obtidos de bancos de dados nacionais de casos e mortes confirmados por COVID-19 e de vacinações entre 1º de julho de 2020 e 31 de agosto de 2021. Em cada país, foram calculadas taxas de incidência pré e pós-vacinação de casos e mortes por COVID-19 em grupos priorizados (50 a 59, 60 a 69 e ≥70 anos) em comparação com o grupo de referência (<50 anos). O efeito da vacinação foi calculado como a mudança percentual nas taxas de incidência entre os períodos pré e pós-vacinação. Resultados. A incidência de casos de COVID-19 em pessoas com idade ≥50 anos em relação às com idade <50 anos diminuiu significativamente após a implementação da vacina, em 9,8% (IC 95%: 9,5 a 10,1%) no Chile, 22,5% (IC 95%: 22,0 a 23,1%) na Colômbia, 20,8% (IC 95%: 20,6 a 21,1%) na Guatemala e 7,8% (IC 95%: 7,6 a 7,9%) nos EUA. As reduções na incidência foram maiores em adultos com idade ≥70 anos. O efeito da vacinação sobre as mortes, com defasagens temporais incorporadas, foi maior na faixa etária ≥70 anos no Chile e na Guatemala, 14,4% (IC de 95%: 11,4 a 17,4%) e 37,3% (IC de 95%: 30,9 a 43,7%), respectivamente. Conclusões. A vacinação contra a COVID-19 reduziu significativamente a morbidade no início do período pós-vacinação nos grupos-alvo. No contexto de uma pandemia mundial com disponibilidade limitada de vacinas, estratégias de priorização são importantes para reduzir a carga de doença em grupos etários de alto risco.

6.
Rev. panam. salud pública ; 47: e129, 2023. graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1508789

RESUMO

ABSTRACT Objective. This study aimed to describe and critically evaluate the COVID-19 vaccination program for high-risk children in Curacao and provide information about important factors such as parents' vaccination hesitancy and effective strategies for communicating and delivering information about vaccination. Methods. This was a cross-sectional study. It was important to identify children aged 12-17 years who were at high risk of severe COVID-19 infection because of the limited medical facilities on the island; children considered to be at high risk were those with diseases such as obesity, hypertension or diabetes mellitus type 2. These children or their caregivers were invited by their pediatricians to be vaccinated as part of a program run by the Public Health Department of Curacao. These high-risk patients were vaccinated between 30 May 2021 and 25 February 2022 in designated child-friendly spaces, with a pediatrician present for guidance and reassurance. Children received the Pfizer-BioNTech COVID-19 vaccine at the recommended dose for their age. The primary outcome was a description and evaluation of the attendance for vaccination. The secondary outcomes were side effects after vaccination for the age groups 12-15 years and 16-17 years. Reasons for refusal or nonadherence were also registered. Results. Altogether 51% (24/47) of those aged 16-17 years who were invited were vaccinated compared with 42% (26/69) of those aged 12-15 years who were invited. Altogether, 46% of these high-risk children were vaccinated compared with 48% of children aged 12-17 years without risk factors. In our population, most patients did not experience any side effects and if they did, the side effects were mild. No cases of myocarditis or pericarditis were observed. A lack of trust in the vaccine and a lack of prioritization of vaccination when scheduling daily activities were important factors in refusal and nonadherence. Conclusions. To organize a successful vaccination program in a small community with limited resources for treating high-risk children it is crucial for medical professionals to provide reliable information. Public health initiatives should focus on assuaging parents' fears about vaccines. In addition, ensuring there is good cooperation between doctors and the Public Health Department can help to make implementation successful. Finally, involving pediatricians and using dedicated areas for vaccinating children can help build trust with parents and caregivers.


resumen está disponible en el texto completo


RESUMO Objetivo. Este estudo teve como objetivo descrever e avaliar de maneira crítica o programa de vacinação contra a COVID-19 para adolescentes de alto risco em Curaçao e dar informações sobre fatores importantes, como a hesitação vacinal dos pais e estratégias efetivas para comunicar e fornecer informações sobre a vacinação. Métodos. Este foi um estudo transversal. Era importante identificar os adolescentes entre 12 e 17 anos que tinham alto risco de infecção grave por COVID-19 devido à escassez de estabelecimentos de saúde na ilha; os adolescentes considerados de alto risco tinham obesidade, hipertensão arterial ou diabetes mellitus tipo 2. Esses adolescentes e seus cuidadores foram convidados por seus pediatras a serem vacinados como parte de um programa do Departamento de Saúde Pública de Curaçao. Esses pacientes de alto risco foram vacinados entre 30 de maio de 2021 e 25 de fevereiro de 2022 em espaços adaptados para adolescentes e com a presença de um pediatra para orientação e segurança. Os adolescentes receberam a vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 na dose recomendada para a idade. O desfecho primário foi a descrição e a avaliação do comparecimento à vacinação. Os desfechos secundários foram os efeitos colaterais após a vacinação nas faixas etárias de 12 a 15 anos e de 16 a 17 anos. Os motivos de recusa ou não adesão também foram registrados. Resultados. No total, 51% (24/47) dos adolescentes convidados de 16 a 17 anos de idade foram vacinados, em comparação com 42% (26/69) dos adolescentes convidados de 12 a 15 anos de idade. No total, 46% desses adolescentes de alto risco foram vacinados, em comparação com 48% dos adolescentes de 12 a 17 anos sem fatores de risco. Na população do estudo, a maioria dos pacientes não apresentou nenhum efeito colateral e, quando presentes, os efeitos colaterais foram leves. Não foram observados casos de miocardite ou pericardite. A falta de confiança na vacina e a falta de priorização da vacinação ao programar as atividades diárias foram fatores importantes para recusa e não adesão. Conclusões. Para organizar um programa de vacinação bem-sucedido em uma pequena comunidade com recursos limitados para o tratamento de adolescentes de alto risco, é fundamental que os profissionais médicos apresentem informações confiáveis. As iniciativas de saúde pública devem se concentrar em aliviar o medo dos pais em relação às vacinas. Além disso, garantir que haja boa cooperação entre os médicos e o Departamento de Saúde Pública pode ajudar no sucesso da implementação. Por fim, o envolvimento de pediatras e o uso de áreas exclusivas para a vacinação de adolescentes podem ajudar a criar confiança nos pais e cuidadores.

7.
Cad. Saúde Pública (Online) ; 39(10): e00159122, 2023. graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1550172

RESUMO

Resumo: Objetiva-se desvelar os motivos para hesitação vacinal de pais e/ou responsáveis de crianças e adolescentes para prevenção da COVID-19. Trata-se de um estudo descritivo, de abordagem qualitativa, que busca analisar as respostas da pergunta aberta "por que você não vai vacinar, não vacinou ou está na dúvida em vacinar as crianças e os adolescentes sob sua responsabilidade para prevenção da COVID-19?". A pesquisa incluiu indivíduos adultos, brasileiros, residentes no país, responsáveis por crianças e adolescentes menores de 18 anos. A coleta de dados aconteceu de forma eletrônica entre os meses de novembro e dezembro de 2021. As respostas foram organizadas e processadas com suporte do software Iramuteq. O corpus textual desta pesquisa foi composto pela resposta de 1.896 participantes, constituído por 87% de hesitantes (1.650) e 13% (246) de pais que têm intenção de vacinar, mas que esboçaram algumas dúvidas e considerações a respeito da vacinação de crianças e adolescentes. São motivos pelos quais pais e/ou responsáveis não vacinaram ou estão na dúvida em vacinar as crianças e os adolescentes sob sua responsabilidade para prevenção da COVID-19: receio em razão de a vacina estar em fase experimental e medo das reações adversas e dos efeitos a longo prazo. Já os motivos para ausência de intenção de vacinar decorrem dos entendimentos dos participantes de que a COVID-19 em crianças não é grave, os riscos da vacinação são maiores do que os benefícios e o direito de escolha em não vacinar.


Abstract: The objective is to unveil the reasons for vaccine hesitancy among parents and/or guardians of children and adolescents toward the prevention of COVID-19. This is a descriptive study, with a qualitative approach that seeks to analyze the answers to the open question "Why will you not vaccinate or have not vaccinated or are in doubt about vaccinating the children and adolescents under your responsibility, for the prevention of COVID-19?". The research included adult individuals, Brazilians, living in the country, responsible for children and adolescents under 18 years of age. Data collection took place electronically in November and December 2021. The answers were organized and processed with the support of the software Iramuteq. The textual corpus of this research was composed of the response of 1,896 participants, consisting of 87% who were hesitant (1,650) and 13% (246) of parents who intend to vaccinate but who outlined some doubts and considerations about the vaccination of children and adolescents. These are reasons why parents and/or guardians have not vaccinated or are in doubt about vaccinating the children and adolescents under their responsibility for the prevention of COVID-19: fears about vaccination regarding the conception that the vaccine is in the experimental phase, fear of adverse reactions and long-term effects. The reasons for the lack of intention to vaccinate stem from the understanding of the participants that COVID-19 in children is not serious, the risks of vaccination are greater than the benefits, and the right of choice not to vaccinate.


Resumen: El objetivo es revelar los motivos de la indecisión a las vacunas de padres y/o responsables de niños y adolescentes para la prevención de COVID-19. Se trata de un estudio descriptivo con enfoque cualitativo, que busca analizar las respuestas a la pregunta abierta "¿Por qué no va a vacunar o no vacunó o tiene dudas en vacunar a los niños y los adolescentes bajo su responsabilidad para la prevención del COVID-19?". La investigación incluyó individuos adultos, brasileños, residentes en el país, responsables de niños y adolescentes menores de 18 años. La recolección de datos se realizó de forma electrónica entre los meses de noviembre y diciembre de 2021. Las respuestas se organizaron y procesaron con ayuda del software Iramuteq. El corpus textual de esta investigación fue compuesto por la respuesta de 1.896 participantes, siendo constituido por el 87% de indecisos (1.650) y el 13% (246) de padres que tienen la intención de vacunar, pero que esbozaron algunas dudas y consideraciones respecto a la vacunación de niños y adolescentes. Son motivos por los cuales los padres y/o responsables no vacunaron o están en duda en vacunar a los niños y adolescentes bajo su responsabilidad para prevención del COVID-19: temores con la vacunación en cuanto a la concepción de que la vacuna está en fase experimental, miedo a las reacciones adversas y los efectos a largo plazo. Los motivos de la ausencia de intención en vacunar se deben a que los participantes entienden que el COVID-19 en niños no es grave, que los riesgos de la vacunación son mayores que los beneficios y que tienen derecho a decidir no vacunarse.

8.
Rev. bras. enferm ; 76(supl.1): e20220597, 2023. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1529806

RESUMO

ABSTRACT Objective: The study aimed to analyze the factors that affect the community's attitude towards COVID-19 vaccination in Tangerang District. Methods: A cross-sectional study was used. Convenience sampling was used to select 400 respondents. Inclusion criteria are living in Tangerang District, aged between 18 and 55, and earning a living. An online questionnaire was used and passed validity and reliability tests. This study received ethical approval. Results: Most respondents had a high level of education (48.50%), low income (72.50%), high knowledge (78%), and a positive attitude (76.50%) regarding vaccination against COVID-19. The Chi-square test revealed a correlation between knowledge and attitudes towards COVID-19 vaccination (p=0.001), as well as education levels (p=0.001), but there was no correlation between income and attitudes (p=0.094). Conclusions: Health professionals should engage in extensive socialization and face-to-face visits with people with limited access to information to promote a positive attitude and expand the scope of COVID-19 vaccination.


RESUMO Objetivo: o objetivo deste estudo foi analisar os fatores que afetam a atitude da comunidade em relação à vacinação contra COVID-19 no distrito de Tangerang. Métodos: Estudo transversal com uso da amostragem por conveniência para selecionar 400 respondentes. Os critérios de inclusão foram residir no distrito de Tangerang, idade entre 18 e 55 anos e trabalhar. O questionário online utilizado foi aprovado nos testes de validade e confiabilidade. O estudo recebeu aprovação ética. Resultados: A maioria dos entrevistados possuía alta escolaridade (48,50%), baixa renda (72,50%), alto conhecimento (78%) e atitude positiva (76,50%) em relação à vacinação contra a COVID-19. O teste do qui-quadrado revelou correlação entre conhecimento e atitudes em relação à vacinação contra COVID-19 (p=0,001) e níveis de escolaridade (p=0,001). Não houve correlação entre renda e atitudes (p=0,094). Conclusões: Os profissionais de saúde devem realizar ampla socialização e visitas presenciais com indivíduos que possuem acesso limitado a informações para promover uma atitude positiva e expandir o escopo da vacinação contra a COVID-19.


RESUMEN Objetivo: El objetivo de este estudio fue analizar los factores que afectan la actitud de la comunidad hacia la vacunación contra el COVID-19 en el distrito de Tangerang. Métodos: Estudio transversal en el que se utilizó un muestreo por conveniencia para seleccionar a 400 encuestados. Los criterios de inclusión fueron vivir en el distrito de Tangerang, edad 18-55 años y trabajar. Se utilizó un cuestionario en línea, el cual pasó pruebas de validez y confiabilidad. Este estudio recibió aprobación ética. Resultados: La mayoría de los encuestados tenía un alto nivel de educación (48,50%), bajos ingresos (72,50%), alto conocimiento (78%) y una actitud positiva (76,50%) respecto a la vacunación contra el COVID-19. La prueba chi-cuadrado reveló una correlación entre el conocimiento y las actitudes hacia la vacunación contra el COVID-19 (p=0,001) y los niveles educativos (p=0,001). No hubo correlación entre los ingresos y las actitudes (p=0,094). Conclusiones: Los profesionales de la salud deben realizar una amplia socialización y visitas cara a cara con personas con acceso limitado a la información para promover una actitud positiva y ampliar el alcance de la vacunación contra el COVID-19.

9.
Rev. bioét. (Impr.) ; 31: e3410PT, 2023. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1449532

RESUMO

Resumo A pandemia de covid-19 causou uma grave crise de saúde pública e a vacinação se tornou uma importante ação para o enfrentamento da doença. Entretanto, a hesitação vacinal representa uma barreira no esforço para alcançar a imunidade coletiva. Deve-se considerar que tal recusa é um direito decorrente da autonomia do paciente e pode ser influenciada por fatores como política, confiança nos governantes, ceticismo em relação à indústria farmacêutica e exposição midiática, no contexto da pandemia. Diante disso, conhecer tais aspectos faz-se necessário a fim de minimizar esse problema e promover maior aceitação da vacina, por meio de amplos esforços das autoridades de saúde pública.


Abstract Amidst the serious public health crises caused by the COVID-19 pandemic, vaccination became a key measure to combat the disease; however, vaccination refusal or hesitancy hinders the efforts to reach collective immunity. Such refusal is a right arising from patient autonomy and can be influenced by political factors, trust in governments, skepticism towards the pharmaceutical industry, and media exposure. Thus, knowledge of these aspects added to public health efforts is paramount to mitigate refusal and promote vaccination acceptance.


Resumen La pandemia de la covid-19 causó una grave crisis de salud pública, y la vacunación es una acción importante para enfrentar la enfermedad. Sin embargo, la vacilación ante la vacuna representa una barrera en el esfuerzo por lograr la inmunidad colectiva. Se puede considerar que esta negativa es un derecho que surge de la autonomía del paciente y que puede estar influenciada por los factores como la política, la confianza en los gobernantes, el escepticismo hacia la industria farmacéutica y la exposición a los medios en el contexto de la pandemia. Por lo tanto, conocer estos aspectos es necesario para minimizar el problema y promover una mayor aceptación de la vacuna mediante un gran esfuerzo por parte de las autoridades de salud pública.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Saúde Pública , Bioética , Confiança
10.
Epidemiol. serv. saúde ; 32(4): e2023128, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1528583

RESUMO

ABSTRACT Objective To analyze the clinical and sociodemographic characteristics and survival of individuals with severe acute respiratory syndrome due to COVID-19 according to the COVID-19 vaccination schedule, Brazil, 2021-2022. Methods This was a cohort study based on data from the Influenza Epidemiological Surveillance Information System; the Kaplan-Meier and Survival Tree methods were used to analyze survival. Results Among the 559,866 hospitalized cases, a higher proportion of vaccinated individuals was found among female (15.0%), elderly people aged ≥ 80 (34.5%), people from the Southeast region (15.7%), those who did not undergo respiratory support (21.2%) and those who did progress to death (15.2%); the survival curve showed that risk of death for unvaccinated individuals was higher in all age groups (p-value < 0.001); elderly people aged ≥ 80, who did not undergo mechanical ventilation and who had a booster dose had lower risk when compared to their peers who had two doses or were unvaccinated (hazard ratio = 0.64; 95%CI 0.62;0.67). Conclusion Lowest risk of death was found in vaccinated individuals, especially those who had two doses or a booster dose as well.


RESUMEN Objetivo Analizar las características clínicas, sociodemográficas y supervivencia de individuos con síndrome respiratoria aguda grave por COVID-19, según el esquema de vacunación contra COVID-19, Brasil, 2021-2022. Métodos Estudio de cohorte con datos del Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica de la Gripe; se utilizó el método de Kaplan-Meier y el árbol de supervivencia para analizar la supervivencia. Resultados Entre los 559.866 casos hospitalizados, se observó una mayor proporción de vacunados entre el sexo femenino (15,0%), ancianos ≥ 80 (34,5%), región Sudeste (15,7%), quienes no recibieron soporte ventilatorio (21,2%) y no fallecidos (15,2%); la curva de supervivencia mostró que los no inmunizados presentaron un mayor riesgo de óbito en todos los grupos de edad (p-valor < 0,001); los ancianos ≥ 80, que no recibieron ventilación mecánica, con dosis de refuerzo, tienen un menor riesgo en comparación con sus pares con dos dosis o no vacunados (HR = 0,64; IC95% 0,62;0,67). Conclusión El menor riesgo de óbito se observó en individuos vacunados, especialmente aquellos con dos dosis o refuerzo.


RESUMO Objetivo Analisar as características clínicas e sociodemográficas e a sobrevida de indivíduos com síndrome respiratória aguda grave por covid-19, segundo esquema vacinal contra covid-19, Brasil, 2021-2022. Métodos Estudo de coorte, com dados do Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe; métodos de Kaplan-Meier e árvore de sobrevivência foram utilizados para analisar a sobrevida. Resultados Dos 559.866 casos internados, observou-se maior proporção de vacinados entre sexo feminino (15,0%), idosos ≥ 80 anos (34,5%), na região Sudeste (15,7%), entre os que não receberam suporte ventilatório (21,2%) e os não evoluídos a óbito (15,2%); na curva de sobrevida, não imunizados apresentaram maior risco de óbito, independentemente da faixa etária (p-valor < 0,001); idosos que não realizaram ventilação mecânica, com dose de reforço, apresentaram menor risco, comparados a seus pares com duas doses ou não imunizados (hazard ratio = 0,64; IC95% 0,62;0,67). Conclusão Observou-se menor risco de ocorrência de óbito nos indivíduos vacinados, especialmente com duas doses ou reforço.

11.
Rev. panam. salud pública ; 47: e44, 2023. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1432092

RESUMO

ABSTRACT Objectives. To identify the factors contributing to coronavirus disease 2019 (COVID-19) vaccine hesitancy in Grenada. Methods. A phenomenological study was conducted using semi-structured interviews at vaccination and pop-up testing clinics during a spike in COVID-19 cases on the island. Interview questions were developed using the health belief model related to perceived threat of COVID-19, perceived benefits of and barriers to COVID-19 vaccination, and cues to action. Data were analyzed using a deductive approach to identify themes, categories, and subcategories. Results. Twenty-five interviews were transcribed and coded. In all, 68% of participants were unvaccinated, 12% were partially vaccinated, and 20% were fully vaccinated. Data analysis revealed two main themes: facilitators and barriers. Factors more likely to encourage vaccination (facilitators) included trust in medical advice and vaccine efficacy, social responsibility, and vaccine mandates for travel, employment, and social activities. Factors hindering vaccination (barriers) included: perceived low threat of COVID-19; preference for natural remedies; concerns about contraindications because of underlying health conditions; fear; mistrust of vaccines and related messaging; vaccine accessibility; and the many different information sources. Conclusions. Overcoming vaccine hesitancy is key to combating the detrimental effects of COVID-19 in Grenada. Public health interventions and policies that address barriers and capitalize on facilitators can increase vaccine uptake.


RESUMEN Objetivos. Determinar cuáles son los factores que contribuyen con la reticencia a la vacunación contra la enfermedad por el coronavirus del 2019 (COVID-19) en Granada. Métodos. Se realizó un estudio fenomenológico utilizando entrevistas semiestructuradas realizadas en puestos transitorios de prueba y vacunación durante un aumento en el número de casos de COVID-19 en la isla. Se elaboraron las preguntas de la entrevista según el modelo de creencias de salud en relación con la amenaza percibida respecto de la COVID-19, los obstáculos y los beneficios percibidos respecto de la vacunación contra la COVID-19 y los incentivos para la acción. Los datos se analizaron mediante un enfoque deductivo con el fin de determinar los principales temas, categorías y subcategorías. Resultados. Se transcribieron y codificaron veinticinco entrevistas. En total, el 68% de los participantes no estaban vacunados, el 12% estaban parcialmente vacunados y el 20% tenían el esquema completo de vacunación. El análisis de los datos reveló dos temas principales: los factores facilitadores y los obstáculos. Entre los factores con mayores probabilidades de incentivar la vacunación (factores facilitadores) se encuentran la confianza en el asesoramiento médico y la eficacia de la vacuna, la responsabilidad social y los mandatos de vacunación para viajes, empleo y actividades sociales. Entre los factores que obstaculizan la vacunación (obstáculos) se encuentran la percepción de que la COVID-19 no es una amenaza grave; la preferencia por los remedios naturales; las preocupaciones por las contraindicaciones debido a afecciones de salud subyacentes; el miedo; la desconfianza en las vacunas y los mensajes relacionados; la accesibilidad a las vacunas; y las muy diferentes fuentes de información. Conclusiones. Es necesario superar la reticencia a la vacunación para combatir los efectos nocivos de la COVID-19 en Granada. Las políticas e intervenciones de salud pública que abordan los obstáculos y capitalizan los factores facilitadores pueden aumentar el uso efectivo de las vacunas.


RESUMO Objetivos. Identificar os fatores que contribuem para a hesitação em relação à vacina contra a doença por coronavírus 2019 (covid-19) em Granada. Métodos. Realizou-se um estudo fenomenológico com entrevistas semiestruturadas em clínicas de vacinação e testagem rápida durante um pico de casos de covid-19 na ilha. As perguntas da entrevista foram elaboradas com base no modelo de crenças em saúde relacionado à percepção de ameaça da covid-19, à percepção de benefícios e barreiras relativos à vacinação contra a covid-19, e aos estímulos para ação. Os dados foram analisados por um método dedutivo para identificar temas, categorias e subcategorias. Resultados. Vinte e cinco entrevistas foram transcritas e codificadas. No total, 68% dos participantes não eram vacinados, 12% eram parcialmente vacinados e 20% eram totalmente vacinados. A análise dos dados evidenciou dois temas principais: facilitadores e barreiras. Os fatores mais propensos a incentivar a vacinação (facilitadores) foram confiança na orientação médica e na eficácia da vacina, responsabilidade social e exigência de vacinação em viagens, no emprego e em atividades sociais. Entre os fatores que impediam a vacinação (barreiras) estavam: percepção de baixa ameaça da covid-19; preferência por remédios naturais; preocupação com contraindicações em razão de problemas de saúde preexistentes; medo; desconfiança das vacinas e mensagens relacionadas; acessibilidade da vacina; e as muitas diferentes fontes de informação. Conclusões. Superar a hesitação vacinal é imprescindível para combater as consequências negativas da covid-19 em Granada. As intervenções e políticas de saúde pública que afastam barreiras e promovem facilitadores podem aumentar a aceitação da vacina.

12.
Cad. Saúde Pública (Online) ; 39(8): e00041423, 2023. tab, graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1447801

RESUMO

Resumo: A vacinação tem papel relevante para conter os avanços da pandemia de COVID-19. No entanto, a hesitação vacinal com os imunizantes que agem contra o SARS-CoV-2 tem causado preocupação em âmbito global. Esta revisão de escopo tem como objetivo mapear a literatura científica sobre a hesitação vacinal contra a COVID-19 na América Latina e África sob uma perspectiva da Saúde Global, observando as particularidades do Sul Global e o uso de parâmetros validados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O relato da revisão segue as recomendações do protocolo PRISMA para Revisões de Escopo (PRISMA-ScR). O levantamento foi realizado nas bases de dados PubMed, Scopus, Web of Science e Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), selecionando estudos publicados entre 1º de janeiro de 2020 e 22 de janeiro de 2022, os quais indicam que a hesitação vacinal contra a COVID-19 envolve fatores como o cenário político, a disseminação de desinformação, diferenças regionais referentes ao acesso à Internet, falta de acesso à informação, o histórico de resistência à vacinação, falta de informações sobre a doença e a vacina, preocupação com eventos adversos, eficácia e segurança dos imunizantes. Quanto ao uso dos referenciais conceituais e metodológicos da OMS sobre hesitação vacinal, poucos estudos (apenas 6 de 94) utilizam instrumentos de pesquisa baseado neles. Desta forma, a replicação de parâmetros conceituais e metodológicos elaborados por expertises do Norte Global em contextos do Sul Global tem sido criticada pela perspectiva da Saúde Global, em decorrência da possibilidade de não considerar as especificidades políticas e socioculturais, as diferentes nuances de hesitação vacinal e questões de acesso às vacinas.


Resumen: La vacunación tiene un papel relevante para frenar los avances de la pandemia de COVID-19. Sin embargo, la indecisión a las vacunas contra el SARS-CoV-2 ha causado preocupación a nivel global. Esta revisión de alcance tiene como objetivo mapear la literatura científica sobre la indecisión a las vacunas contra COVID-19 en América Latina y África desde una perspectiva de la Salud Global, observando las particularidades del Sur Global y el uso de parámetros validados por la Organización Mundial de la Salud (OMS). El informe de la revisión sigue las recomendaciones del protocolo PRISMA para Revisiones de Alcance (PRISMA-ScR). La encuesta se realizó en las bases de datos PubMed, Scopus, Web of Science e Biblioteca Virtual en Salud (BVS), seleccionando los estudios publicados entre 1º de enero de 2020 y 22 de enero de 2022. Los estudios seleccionados indican que la indecisión a las vacunas de COVID-19 involucra factores como el escenario político, la diseminación de desinformación, las diferencias regionales de cada territorio referente al acceso a Internet, la falta de acceso a la información, el historial de resistencia a la vacunación, la falta de informaciones sobre la enfermedad y la vacuna, la preocupación por los eventos adversos, la eficacia y la seguridad de los inmunizantes. En cuanto al uso de los referenciales conceptuales y metodológicos de la Organización Mundial de la Salud (OMS) sobre la indecisión a las vacunas, pocos estudios (6/94) utilizan instrumentos de investigación basados en esos referenciales. Así, la replicación de parámetros conceptuales y metodológicos elaborados por expertos del Norte Global en contextos del Sur Global ha sido criticada por la perspectiva de la Salud Global, por la posibilidad de no considerar las especificidades políticas y socioculturales, los diferentes matices de la indecisión a las vacunas y cuestiones de acceso a las vacunas.


Abstract: Vaccination has played an important role in the containment of COVID-19 pandemic advances. However, SARS-CoV-2 vaccine hesitancy has caused a global concern. This scoping review aims to map the scientific literature on COVID-19 vaccine hesitancy in Latin America and Africa from a Global Health perspective, observing the particularities of the Global South and using parameters validated by the World Health Organization (WHO). The review reporting observes the recommendations of the PRISMA for Scoping Reviews (PRISMA-ScR) model. Search was conducted in PubMed, Scopus, Web of Science, and Virtual Health Library (VHL) databases, selecting studies published from January 1, 2020 to January 22, 2022. Selected studies indicate that COVID-19 vaccine hesitancy involves factors such as political scenario, spread of misinformation, regional differences in each territory regarding Internet access, lack of access to information, history of vaccination resistance, lack of information about the disease and the vaccine, concern about adverse events, and vaccine efficacy and safety. Regarding the use of conceptual and methodology references from the WHO for vaccine hesitancy, few studies (6/94) use research instruments based on these references. Then, the replication in Global South of conceptual and methodological parameters developed by experts from the Global North contexts has been criticized from the perspective of Global Health because of it may not consider political and sociocultural particularities, the different nuances of vaccine hesitancy, and issues of access to vaccines.

13.
Rev. panam. salud pública ; 47: e76, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1450273

RESUMO

ABSTRACT Objective. To describe the variation in COVID-19 mortality among residents of Cali, Colombia, in the second wave of the pandemic, before vaccines, and in the fourth wave, with vaccination roll-out in process, taking into account variables of sex, age group, comorbidities, and interval between onset of symptoms and death, and to estimate the number of deaths averted by vaccination. Methods. A cross-sectional study of second wave and fourth wave deaths and vaccination coverage. The frequencies of attributes of deceased population in the two waves were compared, including comorbidities. Machado's method was used to calculate an estimate of the number of deaths averted in the fourth wave. Results. There were 1 133 deaths in the second wave and 754 deaths in the fourth wave. It was calculated that approximately 3 763 deaths were averted in the fourth wave in Cali in the context of vaccination roll-out. Conclusions. The decline in COVID-19-associated mortality observed supports the continuation of the vaccination program. Given the lack of data to explain other possible reasons for this decline, such as on the severity of novel viral variants, the limitations of the study are discussed.


RESUMEN Objetivo. Describir la variación en la mortalidad por COVID-19 en los residentes de Cali, Colombia, en la segunda ola de la pandemia (antes de las vacunas) y en la cuarta ola (durante el despliegue de las vacunas). Se tomaron en cuenta las variables referidas al sexo, grupo de edad, comorbilidades e intervalo entre el inicio de los síntomas y la muerte y se estimó el número de muertes evitadas por la vacunación. Métodos. Estudio transversal sobre las muertes en la segunda y cuarta olas de la pandemia de COVID-19 y la cobertura de vacunación. Se compararon las frecuencias de los atributos correspondientes a la población fallecida durante las dos olas, incluidas las comorbilidades. Se utilizó el método de Machado para estimar el número de muertes evitadas en la cuarta ola. Resultados. Se registraron 1 133 muertes en la segunda ola y 754 en la cuarta. Se calculó que, en el contexto del despliegue de las vacunas, en la cuarta ola se evitaron aproximadamente 3 763 muertes en Cali. Conclusiones. La disminución observada en la mortalidad asociada a la COVID-19 respalda la continuación del programa de vacunación. Dada la falta de datos para explicar otras posibles causas de esta disminución, como puede ser la gravedad causada por las nuevas variantes virales, se analizan las limitaciones del estudio.


RESUMO Objetivo. Descrever a variação da mortalidade por COVID-19 entre residentes de Cali, Colômbia, na segunda onda da pandemia (antes das vacinas) e na quarta onda (com a implantação da vacinação já em andamento), considerando as variáveis sexo, faixa etária, comorbidades e intervalo entre início dos sintomas e óbito, bem como estimar o número de óbitos evitados pela vacinação. Métodos. Estudo transversal de mortes e cobertura vacinal na segunda e quarta ondas da pandemia. Foram comparadas as frequências dos atributos da população que foi a óbito durante as duas ondas, incluindo comorbidades. Foi utilizado o método de Machado para estimar o número de mortes evitadas na quarta onda. Resultados. Houve 1.133 mortes na segunda onda e 754 mortes na quarta onda. Calcula-se que cerca de 3.763 mortes foram evitadas na quarta onda em Cali, no contexto da disponibilização das vacinas. Conclusões. A queda observada na mortalidade associada à COVID-19 apoia a continuidade do programa de vacinação. Considerando a falta de dados para explicar outros possíveis motivos para esta queda, como a gravidade das novas variantes do vírus, discutem-se as limitações do estudo.

14.
Arch. pediatr. Urug ; 94(1): e209, 2023. ilus
Artigo em Espanhol | LILACS, UY-BNMED, BNUY | ID: biblio-1439321

RESUMO

La pandemia por la infección por el nuevo coronavirus SARS-CoV-2 determinó que en Uruguay a inicio de marzo de 2020 el gobierno diseñara el Plan Nacional de Contingencia para la enfermedad COVID-19 causada por este virus. Este plan incluyó medidas preventivas no farmacológicas como: higiene de manos, distanciamiento físico, uso de mascarilla de diferentes tipos de acuerdo al riesgo de quien debía utilizarlos, en algunos períodos restricciones varias sobre circulación de personas, actividades educativas o espectáculos públicos, y tránsitos por tierra, aire o mar. Se apeló fuertemente a la libertad responsable. A partir de diciembre 2020 se decidió incorporar a la prevención primaria una Estrategia de Vacunación. El 1/3/2021 se inició la Campaña Vacunación COVID-19 2021, que fue no obligatoria, poblacional, inicialmente para personas mayores de 18 años y a partir de junio incluyó adolescentes entre 12 y 17 años y mujeres embarazadas. El Grupo Asesor Científico Honorario (GACH) del Gobierno Nacional junto a la Comisión Nacional Asesora de Vacunas (CNAV) del Ministerio de Salud Pública (MSP) que cuenta con largos años de aconsejar a las autoridades sanitarias en decisiones científicas sobre la introducción de vacunas, y una Comisión ad Hoc creada para vacunas COVID-19 reunieron a expertos del país para asesorar sobre la estrategia de vacunación. La Comisión Honoraria para la Lucha Antituberculosa y Enfermedades Prevalentes (CHLA-EP) como brazo operativo del Departamento de Inmunizaciones del MSP estuvo desde el mes de diciembre involucrada con todos los actores para implementar la Campaña de Vacunación poblacional COVID-19 sin descuidar las tareas que le competen en la vacunación para prevenir otras enfermedades infecciosas. Metodología: se realizó un estudio descriptivo, retrospectivo de las estrategias implementadas por el Dpto. Operativo de Inmunizaciones (brazo operativo del Departamento de Inmunizaciones del MSP), Laboratorio A. Calmette, Comisión Honoraria, Coordinación General y los departamentos administrativos: entre los meses de noviembre de 2020 a julio de 2021. Fuente de datos: informes difundidos o aportados especialmente para este trabajo por el Dpto. Operativo de Inmunizaciones, Laboratorio A. Calmette, Dpto. de Inmunizaciones del Ministerio de Salud Pública, Recursos Humanos, Recursos Materiales, Servicio de Apoyo, Comunicación y Diseño, Centros Periféricos, Dirección Ejecutiva y Secretaría General. Resultados: se muestran los resultados de 4 períodos: 1) planificación (noviembre-diciembre 2020); 2) capacitación, contratación de recursos humanos y asesoramiento para la adquisición de recursos materiales (enero-febrero 2021); 3) apertura de centros (hubs), puestos de vacunación COVID-19 y puesta en marcha de la Campaña COVID-19 (marzo 2021); 4) superposición campaña antigripal 2021 (abril-junio 2021) y mantenimiento coberturas de las vacunas del (PNI) 1. Planificación: se tomaron en cuenta las características de las vacunas que se recibirían vacunas a virus muertos, vacunas vectoriales y en particular la RNAm con requerimiento de almacenamiento a -70ºC, traslado y distribución a -25ºC, y reconstitución y uso a +28ºC en los diferentes escenarios. Se realizó análisis de riesgo y análisis de costo. Se intercambió con diferentes empresas que brindan dicho servicio, participando de actividades de capacitación con alguna de ellas, fundamentales a la hora de diseñar una cadena de frío sólida y sin fallas (por ejemplo actividad de entrenamiento con Vac-Q-tec). Se diseñó el traslado de las vacunas hacia los hubs, vacunatorios terciarios o centros periféricos de vacunación. Teniendo en cuenta el sitio de llegada de las vacunas, se plantearon los diferentes escenarios posibles, no solo a nivel central (Montevideo-Aeropuerto Internacional de Carrasco), sino también a nivel nacional utilizando las diferentes terminales aéreas. Así también se planificaron estrategias de distribución de las vacunas por vía terrestre involucrando diferentes actores (públicos o privados), basados en la experiencia de la institución debido al cotidiano trabajo que realizan, tanto en campaña de vacunación como en el mantenimiento del PNI. Se realizó la previsión de compras de insumos para el almacenamiento y distribución de la vacuna, como para la vacunación en sí. Se trabajó en conjunto con Departamento de Compras de Ministerio de Economía y Dirección de Secretaria del MSP. Se participó en la conformación de equipos de vacunación con la consigna de vacunación rápida, universal, gratuita y segura. Se estableciendo roles por equipo de vacunación constituidos por 6 personas. 2. Capacitación, contratación de recursos humanos y asesoramiento para la adquisición de recursos materiales. Se confeccionaron cursos y materiales en calidad y cantidad para que el personal adquiriera conocimientos actualizado sobre SARS-CoV-2 y COVID-19, mecanismos de transmisión, utilización y planificación de uso de equipos de protección personal (EPP) y seguimiento detallado de las vacunas en desarrollo. Análisis minucioso de los posibles candidatos a llegar a Uruguay, focalizándose en tres de ellos (Pfizer BioNtech, CoronaVac, Oxford AZ). Se realizó capacitación por roles (vacunadores, preparadores, administradores, referente de puesto, backup). Especial énfasis tuvo la capacitación en el cuidado de la persona a vacunar, registro del acto vacunal, cadena de frío en todos sus puntos, descarte de materiales utilizados y llenado de planillas de fiscalización. Todos los contenidos y materiales quedaron disponibles en la página web de la institución. Recursos humanos: se destinaron funcionarios para la confección, firma y papeleo de altas de 1.463 nuevos contratos de los equipos de todo el país, RRHH dedicados no sólo a la vacunación en sí, sino a participar activamente en cada uno de los puestos de vacunación. Esto significó que el trabajo se multiplicó por seis para las tareas requeridas durante este período. El Dpto. Recursos Materiales pasó de empaquetar y distribuir de 7 a 15 paquetes a 80 paquetes mensuales para cada centro periférico/vacunatorio. El envío habitual de materiales se cuadruplicó y en los comienzos de la campaña se llegó a quintuplicar y sextuplicar. Algunas de las cifras a destacar son: 3.300.000 jeringas con aguja, 8.800 Litros de alcohol eucaliptado, 852.000 guantes de látex y nitrilo y 141.000 sobreáticos. 3. Apertura de centros (hubs), puestos de vacunación COVID-19 y puesta en marcha de la Campaña COVID-19. Esto generó en forma progresiva la habilitación de centros (hubs) de máxima respuesta (vacunación masiva): ocho en Montevideo, uno en Canelones y uno en Maldonado. Dado que se decidió vacunar de 3 a 5 personas cada 15 minutos, en el hub del Hospital de Clínicas se administaron 211.153 dosis en sus 32 puestos de vacunación y en el hub Antel Arena se administraron 615.637 dosis en sus 15 puestos de vacunación. Al 31 de julio habían 144 puestos de vacunación COVID 19 habilitados en todo el territorio Nacional. La distribución se realizó a nivel nacional: 3.229. 320 dosis de vacuna Sinovac, 97.790 dosis de vacunas AstraZeneca y 1.585452 de vacuna Pfizer. Se participó en la conformación de 60 equipos con un referente (identificación, registro, control), preparador, 2 vacunadores y chofer para la vacunación en los Establecimientos de Larga Estadía de Personas Mayores (ELEPEM) y personas con situaciones especiales. Se participó activamente en la vacunación en ELEPEM, refugios y escuelas especiales, visitándose un total de 1679 Instituciones y se vacunaron 35.006 personas. 4. Superposición campaña antigripal 2021 (abril-junio 2021) y mantenimiento coberturas de las vacunas del (PNI). A partir del 24/04/2021 comenzó la Campaña Antigripal 2021, superponiéndose a la campaña descripta de COVID-19, lo que implicó reforzar las estrategias y ampliar las acciones para poder cumplir con ambas campaña paralelamente, siempre con el objetivo de no desatender el Programa Nacional de Inmunizaciones. Dentro de ésta se llevó a cabo la vacunación en los ELEPEM, como anualmente realiza la comisión y vacunación en territorio de vacunas COVID-19, antigripal y del PNI. Según los datos recibidos al 17 de Julio en el informe de la Unidad de Inmunizaciones del MSP (semana 12), fueron 605.802 dosis registradas, de las cuales al menos 87.802 dosis fueron administradas por la institución. Esta diferencia en relación a las campañas anteriores podría ser atribuida al intenso trabajo realizado en la estrategia de vacunación COVID-19. En el marco de la actividad interinstitucional barrio a barrio las personas vacunadas con vacuna antigripal en el móvil de la CHLA-EP en Montevideo fueron 7.225. La CHLA-EP ha contribuido desde la logística y la vacunación con esquema de dos dosis para las tres plataformas y una dosis de refuerzo para los que recibieron vacunas a virus muertos. La CHLA-EP ha contribuido para alcanzar las cifras de la Campaña de Vacunación COVID-19 entre el 1/3 y el 29/8/21: 5.487.181 dosis aplicadas, 2.65.269 personas que recibieron una dosis de vacuna y de ellas 2.496.290 tienen dos dosis y han recibido dosis de refuerzo 333.662. Conclusiones: la planificación, capacitación, provisión de recursos humanos y materiales lograron llevar a cabo dos campañas de vacunación coexistentes en hubs, vacunatorios, ELEPEM y en territorio que se han considerado exitosas e históricas.


The new Coronavirus SARS CoV-2 pandemic was declared at the beginning of March 2020 when the Uruguayan government appointed the National Contingency Plan for the COVID-19 disease caused by this virus. This plan included non-pharmacological preventive measures such as: hand hygiene, physical distancing, use of different types of masks according to the risk of who should wear them, in some periods, restrictions to mobility, educational activities or public shows, and movement by land, air or sea. Responsible freedom was strongly called for. In December 2020, the Vaccination Strategy was included as a primary prevention mechanism. On 3/1/2021, the COVID-19 2021 Vaccination Campaign began, it was non-mandatory, population-based, initially for people over 19 years of age, and for adolescents between 12 and 17 years of age and pregnant women since June. The National Honorary Scientific Advisory Group (GACH) together with the National Vaccine Advisory Committee (CNAV) of the Ministry of Public Health (MSP) that has vast experience in advising health authorities in scientific decisions on the introduction of vaccines, and an ad-Hoc Commission created for COVID-19 vaccines, brought together experts to advise on the vaccination strategy. The Honorary Commission for the Fight Against Tuberculosis and Prevalent Diseases (CHLA-EP), as the operational branch of the MSP's Department of Immunizations, has participated with all stakeholders since December to implement the COVID-19 Population Vaccination Campaign without neglecting their tasks regarding the vaccination to prevent other infectious diseases. Methodology: a descriptive, retrospective study was carried out regarding the strategies implemented by the Immunization Operational Department (operational branch of the Ministry of Health's Immunization Department), A. Calmette Laboratory, Honorary Commission, General Coordination and Administrative Departments between November, 2020 and July 2021. Data source: reports were issued or provided specially for this work by the Immunization Operational Department, A. Calmette Laboratory, by the Ministry of Public Health's immunization Department, Human Resources, Material Resources, Support, Communication and Design Service, Peripheral Centers, Executive Board and General secretariat. Results: the results of the 4 periods are as follows: 1- Planning (Period November - December 2020), 2- Training, hiring of human resources and advice for the acquisition of qualitative and quantitative material resources (January - February 2021), 3- Opening of COVID-19 vaccination centers (Hubs), posts and launch of the COVID-19 Campaign (March 2021), 4- Overlap of the 2021 flu campaign (April-June) and maintenance of vaccine coverage (National Immunization Programme - PNI). 1- Planning: The characteristics of the different vaccines (dead virus vaccines, vector vaccines and in particular mRNA vaccines, with storage requirements of -70ºC, transfer and distribution requirements of -25ºC, and reconstitution and use of +2 + 8ºC) were taken into account in the different scenarios. Risk and costs analysis were performed. We interchanged data with different companies that provided this service, we participated in training activities with some of them, mainly in the design of a solid cold chain without failures (e.g. a Vac-Q-tec training activity). The transfer of vaccines to hubs, tertiary vaccination centers or peripheral vaccination centers was designed. The different destination site of the vaccines, the different possible scenarios were taken into account, both at local central level (Montevideo - Carrasco International Airport), but also at National level using the different air terminals. Similarly, strategies for the distribution of vaccines by land were planned involving different public or private actors based on the institutions' experience, both regarding the vaccination campaign and in the PNI maintenance. We made a supply acquisition plan for the vaccine's storage and distribution, for the vaccination itself, and for the purchase of supplies jointly with the Procurement Department of the Ministry of Economy and Executive Secretariat of the MSP. Six-people vaccination teams were created with clear roles and with the slogan of rapid, universal, free and safe vaccination for all. 2- Training: Courses and materials were organized for the staff to acquire updated knowledge about SARS CoV 2 and COVID-19, transmission mechanisms, use and planning of use of personal protective equipment (PPE) and of course, a detailed monitoring of the vaccines being developed. We carried out a thorough analysis of the vaccine companies to arrive in Uruguay, we focused on 3 of them (Pfizer BioNtech, CoronaVac, Oxford AZ). Training was carried out by roles (vaccinators, preppers, administrators, position referents, backups). Special emphasis was placed on the training of the care of the person to be vaccinated, registration of the vaccination act, end-to-end cold chain, disposal of used materials and filing out inspection forms. All the contents and materials were available on the Institution's webpage. Human resources: human resources were allocated for the creation, signature and registration of the paperwork for 1,463 new contracts for teams across the country. These resources were allocated not only to vaccination itself, but also to actively participate in each of the vaccination posts. This meant that the work was multiplied by 6 for the tasks required during this period. The Department of Material Resources, went from packaging and distributing from 7 to 15 packages a month to 80 packages a month for each Peripheral/Vaccination Center. Material shipment quadrupled at the beginning of the campaign and it eventually grew by five and sixfold. Some of the key figures to highlight are: 3, 300,000 needle syringes, 8,800 liters of Eucalyptus Alcohol, 852,000 latex and nitrile gloves and 141,000 isolation gowns. 3. COVID-19 Vaccination Hubs, Posts and Campaigns. We gradually opened maximum response mass vaccination Hubs in Montevideo (8), Canelones (1) and Maldonado (1). Since it was had been decided to vaccinate 3 to 5 people every 15 minutes, the primary results at the Hospital de Clínicas Hub were 211,153 doses administered in 32 vaccination posts, and at Antel Arena Hub 615,637 doses were administered in its 15 vaccination posts. As of July 31, there were 144 COVID 19 vaccination posts throughout the national territory. The distribution was made nationwide: 3,229,320 Sinovac vaccine doses, 97,790 Oxford-Astra Zeneca vaccine doses, and 1,585,452 Pfizer-BioNtech vaccine doses. We devised 60 teams including a referent (identification, registration, control), a trainer, 2 vaccinators and vaccination driver for Homes for the Elderly at ELEPEM and people needing special care. They actively participated in the vaccination at ELEPEM, Shelters and Schools for Children with Special Needs and visited a total of 1679 Institutions and overall, 35,006 people were vaccinated. 4- Overlap of the 2021 flu campaign (April-June) and the maintenance of the COVID vaccine coverage (National Immunization Programme - PNI). Since 04/24/2021, the Anti-Flu Campaign began, and it overlapped the COVID-19 campaign described above, which meant reinforcing strategies and expanding actions to be able to carry out both campaigns simultaneously, always with the objective of maintaining the National Immunization Program. Vaccination was carried out at the ELEPEM, as it is performed annually by the commission and vaccination of COVID-19, influenza and PNI was performed on the territory. According to the data received on July 17 in the Ministry of Public Health Immunization Unit Report (week 12), there were 605,802 registered doses, of which at least 87,802 had been administered by the Institution. This difference regarding previous campaigns could have been caused by the intense work carried out during the COVID19 Vaccination Campaign. Within the framework of the inter-institutional activity "Barrio a Barrio" (Vaccination in all Neighborhoods), 7,225 people were vaccinated with the influenza vaccine at the CHLA-EP mobile vaccination bus in Montevideo. The CHLA-EP has contributed with logistics and vaccination with a 2-dose schedule for the 3 platforms and a booster dose for those who received virus vaccines. The CHLA-EP has contributed to achieving the target of the COVID-19 Vaccination Campaign between 1/3 and 8/29/21: 5,487,181 doses were applied, 2,065,269 people received 1 dose of vaccine and 2,496,290 of them received 2 doses and 333,662 have received booster doses. Conclusion: the planning, training, provision of human and material resources has enabled us to successfully carry out two historical simultaneous vaccination campaigns in hubs, vaccination centers, ELEPEM and all along the territory.


A pandemia causada pela infecção pelo novo Coronavírus SARS CoV-2 determinou que no Uruguai no início de março de 2020 o governo elaborasse o Plano Nacional de Contingência para a doença COVID-19 causada por este vírus. Este plano incluía medidas preventivas não farmacológicas como: higiene das mãos, distanciamento físico, uso de diferentes tipos de máscaras dependendo do risco de quem as deve usar, em alguns períodos várias restrições à circulação de pessoas, atividades educativas ou espetáculos públicos e a trânsito por terra, ar ou mar). Foi feito um forte apelo à liberdade responsável. A partir de dezembro de 2020, decidiu-se incorporar uma Estratégia de Vacinação à prevenção primária. Em 01/03/2021 teve início a Campanha de Vacinação COVID-19 2021, não obrigatória, de base populacional, inicialmente para maiores de 18 anos e a partir de junho contempla adolescentes entre 12 e 17 anos e gestantes. O Grupo Honorário de Assessoramento Científico do Governo Nacional juntamente com a Comissão Nacional de Assessoramento de Vacinas (CNAV) do Ministério da Saúde Pública (MSP), que assessora autoridades de saúde em decisões científicas sobre a introdução de vacinas, e uma Comissão ad hoc criada para vacinas contra a COVID-19 reuniu especialistas do país para aconselhar sobre a estratégia de vacinação. A Comissão Honorária de Luta contra a Tuberculose e Doenças Prevalentes (CHLA-EP) como braço operacional do Departamento de Vacinação do MSP envolveu-se desde dezembro com todos os intervenientes na implementação da Campanha de Vacinação da População COVID-19, aliás de realizar as tarefas de vacinação para prevenir outras doenças infecciosas. Metodologia: foi realizado um estudo descritivo e retrospectivo das estratégias implementadas pelo Departamento Operacional de Imunizações (braço operacional do Departamento de Imunizações do MSP), Laboratório A. Calmette, Comissão Honorária, Coordenação Geral e departamentos administrativos: entre os meses de novembro de 2020 a julho de 2021. Fonte de dados: relatórios divulgados ou oferecidos especialmente para este trabalho pelo Departamento Operacional de Imunizações, Laboratório A. Calmette, Departamento de Imunizações do Ministério da Saúde Pública, Recursos Humanos, Recursos Materiais, Serviço de Apoio, Comunicação e Design, Centros Periféricos, Direção Executiva e Secretaria Geral. Resultados: são apresentados os resultados de 4 períodos: 1- Planejamento (novembro - dezembro de 2020), 2- Capacitação, contratação de recursos humanos e assessoria para aquisição de recursos materiais em qualidade e quantidade (janeiro - fevereiro de 2021), 3- Abertura de centros (Hubs), postos de vacinação COVID-19 e implementação da Campanha COVID-19 (março 2021), 4- Sobreposição da campanha da gripe 2021 (abril-junho 2021) e manutenção da cobertura vacinal (PNI) 1- Planejamento: As características das vacinas a receber eram vacinas de vírus mortos, vacinas vetoriais e em particular mRNA com requisitos de armazenamento de temperaturas de -70ºC, transferência e distribuição de -25ºC, e reconstituição e uso de +2 +8ºC nos diferentes cenários. Análise de risco e análise de custo foram realizadas. Realizaram-se intercâmbios com diferentes empresas que prestam este serviço, participando em ações de formação com algumas delas, essenciais na criação de uma cadeia de frio sólida e sem falhas (ex. ação de formação com Vac-Q-tec). Foi projetada a transferência de vacinas para os hubs, centros de vacinação terciários ou periféricos. Tendo em conta o local de chegada das vacinas, foram considerados os diferentes cenários possíveis, não só a nível central (Montevidéu - Aeroporto Internacional de Carrasco), mas também a nível nacional utilizando os diferentes terminais aéreas. Da mesma forma, foram planejadas estratégias de distribuição de vacinas por via terrestre envolvendo diferentes atores (públicos ou privados), com base na experiência da instituição, tanto na campanha de vacinação quanto na manutenção do PNI. A previsão de compra de insumos foi feita tanto para o armazenamento e distribuição da vacina, quanto para a própria vacinação, como também na tomada de decisão na compra de insumos, atuando em conjunto com o Departamento de Compras do Ministério da Economia e Gestão Secretário do MSP. Eles participaram da formação de equipes de 6 pessoas com funções especificas de vacinação com o slogan de vacinação rápida, universal, gratuita e segura. 2- Capacitação, contratação de recursos humanos e assessoria para aquisição de recursos materiais em qualidade e quantidade. Foram organizados cursos e materiais para que os funcionários adquirissem conhecimento atualizado sobre SARS CoV2 e COVID-19, mecanismos de transmissão, uso e planejamento de uso de equipamentos de proteção individual (EPI) e também para o acompanhamento minucioso das vacinas em desenvolvimento. Fizemos a análise minuciosa das possíveis vacinas candidatas para chegar ao Uruguai, e focamos em 3 delas (Pfizer BioNtech, CoronaVac, Oxford AZ). O treinamento foi realizado por funções (vacinadores, treinadores, administradores, posição de referência, backup). Foi dado especial destaque à formação no cuidado da pessoa a vacinar, registo do ato vacinal, rede de frio em todos os seus pontos, eliminação de materiais utilizados e preenchimento de fichas de controlo. Todos os conteúdos e materiais foram disponibilizados na página web da Instituição. Recursos humanos: funcionários foram alocados para a preparação, assinatura e registro de 1.463 novos contratos para complementar as equipes em todo o país, estes recursos humanos estiveram dedicados não apenas à vacinação em si, mas a participar ativamente de cada um dos postos de vacinação. Isso significou que o trabalho se multiplicou por 6 para as tarefas exigidas durante esse período. O Departamento de Recursos Materiais, passou de embalar e distribuir de 7 para 15 embalagens por mês, passando para 80 embalagens para cada Periférico/Centro de Vacinação. A remessa habitual de materiais se quadruplicou e no início da campanha aumentou cinco e seis vezes. Alguns dos números a destacar são: 3.300.000 seringas com agulha, 8.800 litros de álcool de eucalipto, 852.000 luvas de látex e nitrílica e 141.000 túnicas. 3. Abertura de centros e postos de vacinação COVID-19 e lançamento da Campanha COVID-19. Isso gerou progressivamente o estabelecimento de centros de resposta máxima (Hubs) (vacinação em massa) 8 em Montevidéu, um em Canelones e um em Maldonado. Já que decidiu-se vacinar de 3 a 5 pessoas a cada 15 minutos, no Hub. O Hospital de Clínicas administrou 211.153 doses em seus 32 postos de vacinação e na Arena Hub Antel foram administradas 615.637 doses em seus 15 postos de vacinação. Até 31 de julho, havia 144 postos de vacinação contra a COVID 19 habilitados em todo o território nacional. A distribuição foi realizada, 3.229 foram distribuídos em todo o país, 320 doses de vacina Sinovac, 97.790 doses de vacinas AstraZeneca e 1.585452 de vacina Pfizer. Participaram no treinamento de 60 equipes de referência (identificação, registo, controle), treinador, 2 vacinadores e motorista para vacinação em estabelecimentos de longa permanência para idosos (ELEPEM) e pessoas com situações especiais em albergues e escolas especiais, visitando um total de 1.679 Instituições e vacinando a 35.006 pessoas. 4- Sobreposição da campanha de gripe de 2021 (abril a junho de 2021) e manutenção da cobertura vacinal (PNI). A partir de 24/04/2021 teve início a Campanha da Gripe 2021, sobrepondo-se à campanha COVID-19 descrita, o que implicou o reforço de estratégias e ampliação das ações para poder cumprir ambas campanhas em paralelo, sempre com o objetivo de não descurar o Programa Nacional de Imunizações. Foi realizada a vacinação no ELEPEM, conforme anualmente realizada pela comissão e a vacinação no território das vacinas COVID-19, influenza e PNI. De acordo com os dados recebidos até 17 de julho no relatório da Unidade de Imunizações dos Ministérios da Saúde Pública (semana 12), foram registradas 605.802 doses, das quais pelo menos 87.802 doses foram administradas pela Instituição. Essa diferença em relação às campanhas anteriores pode ser atribuída ao intenso trabalho realizado na estratégia de Vacinação COVID19. No âmbito da atividade interinstitucional Bairro a Bairro, 7.225 pessoas foram vacinadas com a vacina contra gripe no celular do CHLAEP de Montevidéu. O CHLA-EP tem contribuído desde a logística e vacinação com um esquema de 2 doses para as 3 plataformas e uma dose de reforço para quem recebeu vacinas de vírus mortos. O CHLA-EP contribuiu para atingir os números da Campanha de Vacinação COVID-19 entre 1/3 e 29/8/21: 5.487.181 doses aplicadas, 2.065.269 pessoas que receberam 1 dose de vacina e delas 2.496.290 têm 2 doses e 333.662 receberam doses de reforço. Conclusões: O planejamento, capacitação, disponibilização de recursos humanos e materiais permitiram a realização de duas campanhas de vacinação coexistentes nos hubs, vacinatórios, ELEPEM e no território, o que pode ser considerado um processo bem sucedido e histórico.


Assuntos
Humanos , Programas de Imunização/organização & administração , Vacinas contra COVID-19/administração & dosagem , COVID-19/prevenção & controle , Uruguai , Estudos Retrospectivos
15.
Natal; s.n; 2023. 59 p. ilus.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-1552635

RESUMO

A pandemia da COVID-19 trouxe consigo inúmeros desafios no que diz respeito à descoberta de fatores condicionantes para agravamento da doença e suas formas de tratamento, como também a busca pelo rápido desenvolvimento de imunizantes seguros e eficazes no combate ao vírus, para contribuírem com a redução dos casos de mortalidade no Brasil. O estudo objetiva avaliar a cobertura vacinal da COVID-19 e sua associação com o indicador de mortalidade na população adolescente, adulta e idosa no Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Trata-se de um estudo ecológico, quantitativo, sobre a população vacinada no estado do Rio Grande do Norte, mediante dados disponibilizados pelos sistemas de informação em saúde e-SUS Vigilância Epidemiológica (e-SUS-VE), no período de janeiro de 2021 a março de 2022. Os dados foram analisados por meio do software Microsoft Excel, utilizado para agrupamento dos dados, bem como foi usado o software JoinPoint usado na análise estatística. A meta de cobertura vacinal estabelecida pelo PNI é de ao menos 90% da população-alvo vacinada. Os resultados revelaram que a média estadual de cobertura vacinal no período estudado foi de 81,8%. As seguintes regiões tiveram destaque em sua cobertura vacinal: Alto Oeste - VI e Seridó - IV, com 91% e 83%, respectivamente. A região com maior índice de casos, durante o período do estudo, foi a Região do Seridó - IV com 23,9%, seguida da VI região do Alto Oeste de saúde com 19,1%. Quanto ao número de óbitos, as regiões Metropolitana VII e do Vale do Açu VIII, tiveram os números mais expressivos, com 1,8% e 1,6%, respectivamente. Os resultados encontrados evidenciaram que, quanto menor a cobertura vacinal, maior a incidência de óbitos, excetuando-se a região metropolitana (Regional VII), que mesmo apresentando o terceiro maior percentual de cobertura vacinal dentre as oito regionais, registrou o maior percentual de óbitos. Portanto, considerando a maioria dos achados, pode-se afirmar que há relação entre a cobertura vacinal e o número de casos e de óbitos por COVID-19 entre as regiões de saúde do estado do Rio Grande do Norte (RN). Conclui-se que no período analisado o Rio Grande do Norte teve uma cobertura abaixo da média nacional desejada de 90%, entretanto, pode-se perceber um impacto positivo na redução da mortalidade no mesmo período estudado (AU).


The pandemic of COVID-19 brought with it numerous challenges regarding the discovery of conditioning factors for the worsening of the disease and its forms of treatment, as well as the search for the rapid development of safe and effective immunizers to combat the virus, to contribute to the reduction of mortality cases in Brazil. The study aims to evaluate the vaccination coverage of COVID-19 and its association with the mortality indicator in the adolescent, adult and elderly population in the state of Rio Grande do Norte, Brazil. This is an ecological, quantitative study on the vaccinated population in the state of Rio Grande do Norte, through data made available by the health information systems e-SUS Epidemiological Surveillance (e-SUS-VE), in the period from January 2021 to March 2022. The data were analyzed using Microsoft Excel software, used for data grouping, as well as JoinPoint software used for statistical analysis. The vaccination coverage goal set by the PNI is at least 90% of the target population vaccinated. The results revealed that the statewide average vaccination coverage in the period studied was 81.8%. The following regions had outstanding vaccination coverage: Alto Oeste - VI and Seridó - IV, with 91% and 83%, respectively. The region with the highest rate of cases during the study period was the Seridó - IV region, with 23.9%, followed by the Alto Oeste health region VI, with 19.1%. As for the number of deaths, the Metropolitan VII and Vale do Açu VIII regions had the most expressive numbers, with 1.8% and 1.6%, respectively. The results found showed that the lower the vaccination coverage, the higher the incidence of deaths, except for the metropolitan region (Regional VII), which even presenting the third highest percentage of vaccination coverage among the eight regions, recorded the highest percentage of deaths. Therefore, considering most of the findings, it can be said that there is a relationship between vaccination coverage and the number of cases and deaths from COVID-19 among the health regions of the state of Rio Grande do Norte (RN). It is concluded that in the period analyzed Rio Grande do Norte had a coverage below the national average of 90%, however, a positive impact on the reduction of mortality in the same period studied can be seen (AU).


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Idoso , Inquéritos Epidemiológicos , Cobertura Vacinal , Vacinas contra COVID-19/imunologia , COVID-19/epidemiologia , Brasil/epidemiologia , Saúde Pública , Interpretação Estatística de Dados , Morbidade , Estudos Ecológicos , Sistemas de Informação em Saúde
16.
Bauru; s.n; 2023. 23 p. graf.
Tese em Português | CONASS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLACERVO, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1419046

RESUMO

A COVID-19 ainda é um problema de saúde pública com sintomatologia variando desde casos assintomáticos até quadros graves. As vacinas se mostraram importantes ferramentas para redução de eventos críticos. No momento, existem várias vacinas no mercado possibilitando diferentes protocolos vacinais. O comportamento imunológico frente a protocolos vacinais heterogêneos e infecção natural é pouco compreendido. Comparamos o efeito da infecção natural pelo SARS-CoV-2 com a dose de reforço (vacina Janssen) na resposta imune de profissionais da saúde previamente imunizados com as vacinas CoronaVac e Pfizer-BioNTech.A resposta imune específica foi avaliada comparando-se os níveis séricos de anticorpos contra o SARS-CoV-2 e a produção de citocina sem culturas de PBMCs estimuladas com antígenos virais. Em relação à imunidade humoral, foram observados níveis semelhantes de anticorpos em indivíduos que receberam a dose de reforço e aqueles que foram infectados pelo coronavírus. Quanto à imunidade celular, verificamos maior produção de IL-6, TNF e IL-1ß nas culturas estimuladas com o antígeno viral em ambos os grupos. Por outro lado, a produção de IL-10 e IL-17 foi menor nas culturas estimuladas com o SARS-CoV-2, independente do grupo estudado. A produção de IL-2, IL-4 e IL-5 foram baixas e não houve diferenças entre os grupos e/ou estímulos, enquanto IL-9, IL-12p70 e IFN-γ não foram detectados. Os dados obtidos apontam semelhanças entre os dois grupos quanto a resposta frente ao SARS-CoV-2, sugerindo que a aplicação de doses de reforço aos esquemas vacinais heterólogos é capaz mimetizar a resposta imune induzida pela infecção natural em indivíduos já vacinados.


Assuntos
Imunidade Humoral , Vacinas contra COVID-19 , COVID-19/imunologia , Imunidade Celular , Estudos de Casos e Controles , Imunidade
17.
Arq. Asma, Alerg. Imunol ; 6(4): 541-543, out.dez.2022. ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1509559

RESUMO

The COVID-19 pandemic has forced the development of vaccines to fight SARS-CoV-2. After vaccination began, reports of adverse reactions, including anaphylaxis, emerged. This raised concerns about the safety of COVID-19 vaccines in patients diagnosed with mastocytosis. The authors share their experience in administering different COVID-19 vaccines to patients diagnosed with mastocytosis.


A pandemia por COVID-19 obrigou ao rápido desenvolvimento de vacinas para combate ao SARS-CoV-2. Após o início da vacinação começaram a surgir relatos de reações adversas às vacinas, incluindo reações anafiláticas, surgindo dúvidas sobre a segurança das vacinas em doentes com mastocitose. Os autores apresentam a sua experiência em relação à administração de diferentes vacinas contra a COVID-19 em doentes com diagnóstico de mastocitose.


Assuntos
Humanos
18.
Rev. Bras. Psicoter. (Online) ; 24(2): 61-73, out. 2022.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1412970

RESUMO

INTRODUÇÃO: A vacinação contra a COVID-19 é um dos principais recursos de saúde pública para mitigar a pandemia globalmente. As taxas de vacinação dependem diretamente da aceitação e adesão da população. Sabese que a aceitação vacinal é muito heterogênea entre as diferentes regiões do globo, mas há poucos estudos avaliando a percepção geral das vacinas contra a COVID-19 no Brasil. OBJETIVO: Avaliar a intenção de vacinação contra COVID-19 entre moradores do Rio Grande do Sul (RS), Brasil, durante o início da campanha de vacinação no país, e identificar fatores associados à hesitação vacinal. MÉTODOS: Foi realizada uma pesquisa com coleta de dados online, que recrutou um total de 953 respondentes. O questionário foi divulgado em mídias digitais de março a maio de 2021, por meio do método de amostragem bola de neve. RESULTADOS: Aproximadamente 96% da amostra informou que pretendia tomar a vacina contra a COVID-19. A hesitação vacinal foi positivamente associada a ser casado, ter filhos e ser mais velho. Indivíduos sem intenção de se vacinar também foram mais propensos a não respeitar o distanciamento social e outras ações de proteção individual. CONCLUSÕES: Nossos achados estão de acordo com os dados atuais de cobertura vacinal no RS. Embora o Brasil esteja apresentando taxas de vacinação superiores à maioria dos países do mundo, devemos atentar para os grupos populacionais que não aderem à vacinação. Reforçamos a importância da constante divulgação científica e educação em saúde para toda a população como aliadas no fortalecimento das políticas públicas de vacinação.(AU)


INTRODUCTION: The vaccination against COVID-19 is one of the major public health resources to mitigate the global pandemic. Vaccination rates directly depends on the acceptance and adherence by the population. It is known that the vaccine acceptancy is very heterogeneous among different regions of the globe, but there are few studies evaluating the general perception of COVID-19 vaccines in Brazil. AIM: To evaluate the intention of vaccination against COVID-19 among residents of Rio Grande do Sul (RS), Brazil, during the beginning of the campaign in the country, and to identify factors associated with vaccine hesitancy. METHODS: An online survey was conducted, ending in a sample of 953 respondents. The questionnaire was divulgated through digital medias from March to May 2021, via a snowball sampling method. RESULTS: Approximal 96% of the sample informed they intended to take COVID-19 vaccine. Vaccine hesitancy was positively associated with being married, having children, and being older. Subjects with no intention to get vaccinated were also more likely to not respect social distancing and other individual protection actions. CONCLUSIONS: Our findings are in line with current vaccination coverage data in RS. Although Brazil is showing vaccination rates higher than most countries in the world, we must pay attention to population groups that do not adhere to vaccination. We reinforce the importance of constant science communication and health education for the whole population as allies in strengthening public policies for vaccination.(AU)


INTRODUCCIÓN: La vacunación contra el COVID-19 es uno de los principales recursos de salud pública para mitigar la pandemia. Las tasas de vacunación dependen directamente de la aceptación y adherencia por parte de la población. Se sabe que la aceptación de la vacuna es muy heterogénea entre las diferentes regiones del mundo, pero hay pocos estudios que evalúen la percepción general de las vacunas contra la COVID-19 en Brasil. OBJETIVO: Evaluar la intención de vacunación contra la COVID-19 entre los residentes de Rio Grande do Sul (RS), Brasil, e identificar factores asociados a la reticencia vacunal. MÉTODOS: Se realizó una encuesta en línea, finalizando en una muestra de 953 encuestados. El cuestionario fue divulgado a través de medios digitales de marzo a mayo de 2021, mediante un método de muestreo de bola de nieve. RESULTADOS: Aproximadamente 96% de la muestra informó que tenía la intención de recibir la vacuna COVID-19. La reticencia a la vacuna se asoció positivamente con estar casado, tener hijos y ser mayor. Los sujetos sin intención de vacunarse también tenían más probabilidades de no respetar el distanciamiento social y otras medidas de protección individual. CONCLUSIONES: Nuestros hallazgos están en línea con los datos actuales de cobertura de vacunación en RS. Debemos prestar atención a los grupos de población que no se adhieren a la vacunación. Reforzamos la importancia de la comunicación científica constante y la educación en salud para toda la población como aliados en el fortalecimiento de las políticas públicas de vacunación.(AU)


Assuntos
Vacinas contra COVID-19 , COVID-19
19.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 44(9): 821-829, Sept. 2022. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1423289

RESUMO

Abstract Regulations for the vaccination of pregnant women in Brazil occurred in March 2021. Despite the absence of robust data in the literature on the coronavirus disease 2019 (COVID-19) vaccinations in pregnant women, it is understood that the benefit-risk ratio tends to be favorable when considering the pandemic and the high burden of the disease. However, it is still important to monitor for Events Supposedly Attributable to Vaccination or Immunization (ESAVI) and to draw safety profiles of the different platforms used in pregnant and postpartum women. The present study aims to describe the main characteristics of ESAVIs related to COVID-19 vaccines occurring in pregnant women in the first months of the vaccination campaign in Brazil. During the evaluation period, 1,674 notifications of ESAVIs in pregnant women were recorded, and 582 notifications were included for the analysis. Of the 582 ESAVIs identified, 481 (82%) were classified as non-serious adverse events and 101 (17%) as serious adverse events. Ten deaths were identified, including one death which was considered to be causally related to the vaccine. The other nine maternal deaths had causality C, that is, without causal relationship with the vaccine, and most were due to complications inherent to pregnancy, such as pregnancy-specific hypertensive disorder (PSHD) in 4 cases and 3 due to COVID-19. Despite some limitations in our study, we believe it brings new insights into COVID-19 vaccines in this group and will add to the available evidence.


Resumo As determinações vacinação nas gestantes foram estabelecidas em março de 2021, no Brasil. Apesar da ausência de dados robustos na literatura da vacinação contra coronavirus disease 2019 (COVID-19) nesse grupo, entende-se que a relação de benefício versus risco tende a ser favorável considerando a situação pandêmica e a elevada carga de doença, tendo justificado o uso dessas vacinas em ampla escala nas gestantes de todo o mundo. Entretanto, o monitoramento dos eventos adversos pós vacinação (EAPVs) torna-se ainda mais importante para traçar um perfil de segurança das diferentes plataformas nas gestantes e puérperas. O presente estudo tem como objetivo descrever as principais características dos EAPVs contra COVID-19 ocorridos nas gestantes nos primeiros meses de campanha da vacinação no Brasil. Foram identificadas 1.674 notificações em gestantes, com a inclusão de 582 EAPVs analisados. Dos 582 EAPVs identificados, 481 (82%) foram classificados como eventos adversos não-graves e 101 (17%) como eventos adversos graves, sendo 10 (9,9%) destes referentes aos óbitos. Apenas um caso de óbito materno teve relação causal com a vacinação comprovada (causalidade A1), e foi secundário à síndrome trombocitopênica trombótica (TTS) após a vacina AstraZeneca/Fiocruz. Os outros nove óbitos maternos tiveram causalidade C, ou seja, sem relação causal com a vacina, e a maioria por complicações inerentes à gravidez, como a doença hipertensiva específica da gestação (DHEG) e COVID-19. Apesar de algumas limitações em nosso estudo, acreditamos que ele traz dados importantes sobre as vacinas COVID-19 neste grupo aumentando as evidências disponíveis.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Brasil , Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos , Doenças Preveníveis por Vacina , Vacinas contra COVID-19/efeitos adversos
20.
Arq. Asma, Alerg. Imunol ; 6(2): 292-294, abr.jun.2022. ilus
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-1400225

RESUMO

O artigo aborda o primeiro relato de caso que associa o desenvolvimento de pitiríase liquenoide com a vacinação contra a COVID-19. Em uma revisão literária foram encontrados escassos estudos que associam a pitiríase liquenoide como reação a outras vacinas. O mecanismo de desenvolvimento da doença ainda não é bem conhecido. Sabe-se apenas que se trata de uma reação inflamatória imunomediada. O diagnóstico da pitiríase liquenoide é clínico e é considerado um desafio, devido ao grande número de diagnósticos diferenciais e das diferentes formas de apresentação da doença. Desse modo, a maioria dos casos exige amparo na biópsia e em exames laboratoriais. As opções terapêuticas podem incluir o uso de antibióticos e imunossupressores. Destaca-se ainda a efetividade da fototerapia como tratamento de escolha da pitiríase liquenoide, podendo proporcionar uma resolução quase que completa das lesões e não causar efeitos sistêmicos que outras terapias poderiam trazer.


This study addresses the first case report of pityriasis lichenoides development after COVID-19 vaccination. A literature review found few studies describing pityriasis lichenoides as an adverse reaction to other vaccines. Although it is an immune-mediated inflammatory response, the development mechanism of this disease remains not well known. The diagnosis of pityriasis lichenoides is clinical and is considered a challenge due to the considerable number of differential diagnoses and the different forms of presentation of the disease. Thus, most cases require confirmation by biopsy and laboratory tests. Therapeutic options may include the use of antibiotics and immunosuppressants. The effectiveness of phototherapy is also highlighted as the treatment of choice for pityriasis lichenoides, as it can promote an almost complete resolution of lesions without causing systemic effects, unlike other therapies.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto Jovem , Fototerapia , Pitiríase Liquenoide , Vacinas contra COVID-19 , COVID-19 , Terapêutica , Biópsia , Diagnóstico Diferencial , Imunossupressores , Antibacterianos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...