Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 53.647
Filtrar
1.
São Paulo; s.n; 20240301. 130 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1532240

RESUMO

O reconhecimento por meio da reconstrução facial forense é possível graças às pesquisas sobre as espessuras dos tecidos moles e características dos anexos faciais (olhos, boca, nariz e orelhas) e, a fidelidade dessas características são essenciais no processo do reconhecimento e posterior identificação. Na literatura científica, poucos trabalhos relacionam as orelhas à reconstrução facial forense. Este estudo tem como objetivo analisar as particularidades das orelhas, avaliando formato, tamanho, inclinação e posição, propor uma metodologia de classificação com vistas a uma maior reprodutibilidade que a forma atual existente e estabelecer relação com o biotipo facial. Diante da já referida dificuldade em se avaliar o formato da orelha foi elaborada uma abordagem mais objetiva que se mostrou eficaz quando da comparação entre o Índice Kappa (Cohen) realizado entre a forma atual e a forma proposta (de 0,63 para 0,83 intraexaminador e de 0,19 para 0,61 interexaminador). Foi também observada a predominância da orelha do tipo oval da população estudada. Foram avaliadas 99 fotografias de uma amostra de conveniência obtidas em um Pronto Socorro Odontológico particular da zona sul da cidade de São Paulo, composta por indivíduos de ambos os sexos com idade superior a 18 anos. Quanto às mensurações, o ICC intra e interexaminador obtiveram o mesmo resultado de 0,99. A análise comparativa entre os sexos revelou que o sexo masculino possui orelhas maiores quando comparado ao feminino. O estudo da inclinação da orelha em relação ao crânio mostrou um ângulo médio formado entre seu longo eixo e o Plano de Frankfurt de 73º para 76% dos homens e 69,76% das mulheres. Quanto à relação da orelha com outras estruturas, em 81,6% dos casos, o ponto mais superior da orelha coincide com a sobrancelha.


Assuntos
Cirurgia Plástica , Orelha Externa , Odontologia Legal , Medicina Legal
2.
São Paulo; s.n; 20240301. 104 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1532259

RESUMO

A fim de conter o avanço das lesões incipientes de cárie (LMB: lesões de mancha branca) e, oportunamente, de minimizar seu aspecto estético insatisfatório, a infiltração com material resinoso fotopolimerizável de baixa viscosidade e alto coeficiente de penetração vem sendo indicada. Contudo, nem sempre se consegue mascarar as LMB por completo, talvez principalmente em dentes escurecidos. Avaliou-se, pois, in vitro, o efeito do clareamento como complementação à infiltração resinosa, na dissimulação (diferença de cor do esmalte tratado vs. adjacente) de LMB em esmalte bovino artificialmente escurecido, comparativamente ao normal. Fragmentos de 6 x 3 mm, obtidos de incisivos bovinos, foram planificados e polidos, avaliados quanto à microdureza superficial (KHN, 50 g, 10 s), e distribuídos em sete grupos (n=15): N.L, N.LI, NB.LIB, E.L, E.LI, EB.LIB e C. O esmalte dos espécimes dos grupos E foi artificialmente escurecido (100 ml de água destilada / 25 g de café solúvel, 15 dias; E: escurecido), e o daqueles dos grupos N, não (N: normal). Na metade direita (região tratada - 3 x 3 mm) de todos eles, então, determinou-se uma LMB (tampão de acetato 50 mM, 64 horas, 37 oC), que não recebeu qualquer tratamento (L: lesão nenhum tratamento), ou foi apenas infiltrada H3PO4 37% / 10 s; Icon®-Dry / 30 s; Icon®- Infiltrant / 3 min + 1 min; LI: lesão infiltrada), ou infiltrada e, como o esmalte adjacente (metade esquerda, região referência/baseline - 3 x 3 mm), submetida a clareamento/bleaching (Opalescence Boost 40%, 3x de 20 min cada; LIB: lesão infiltrada e clareada; NB e EB: esmalte adjacente normal ou escurecido clareado). O esmalte de ambas as metades dos espécimes do grupo C (C: controle) não foi submetido a nada além da planificação e do polimento. Determinou-se os valores de E00, L, a e b (fórmula CIEDE2000), considerando-se como referência/baseline, em um mesmo espécime, a superfície de esmalte adjacente (metade esquerda) àquela devidamente desmineralizada / desmineralizada e tratada (metade direita) e, como a referência, submetida, ou não, a clareamento dentário. Para o grupo controle, tal diferença foi determinada entre suas duas metades. Considerando-se como fatores experimentais a condição inicial do esmalte (em 2 níveis) e o tratamento da LMB, bem como do esmalte adjacente, quando pertinente (em 3 níveis), analisou-se estatisticamente os dados por meio de ANOVA a 2 critérios e teste de Tukey. Para comparar cada um dos grupos experimentais entre si e com o grupo C, empregou-se o teste de Kruskal-Wallis e o de Dunn para E00, L e a, e ANOVA a 1 fator e teste de Tukey para b. Em todos os casos adotou-se =0,05. Independentemente se o clareamento é realizado, ou não, a infiltração resinosa é capaz de mascarar as LMB tanto no esmalte normal, quanto no escurecido. Ora, é indiferente realizar o clareamento como complementação à infiltração resinosa na dissimulação de LMB.


Assuntos
Clareamento Dental , Cor , Estética
3.
São Paulo; s.n; 20240222. 73 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531643

RESUMO

O carcinoma secretório em glândula salivar é uma neoplasia recentemente descrita que tem os mesmos aspectos morfológicos, imuno-histoquímicos e genéticos do carcinoma secretório de origem mamária. O carcinoma secretório tem características celulares reminiscentes de uma célula secretora lactacional, isto é, um citoplasma vacuolado repleto de gotas lipídicas e um material secretado, por vezes de forma apócrina, que pode lembrar o leite. Mais recentemente, algum nível de diferenciação lactacional foi sugerida no carcinoma secretório de origem salivar. O objetivo do estudo foi verificar se existe uma diferenciação do tipo lactacional em carcinomas secretórios de origem salivar, comparando a outros tipos de carcinomas salivares mais comuns. Foram realizadas reações imuno-histoquímicas para as seguintes proteínas: receptores hormonais (receptor de prolactina e receptor do hormônio do crescimento), proteínas associadas ao produto de secreção da glândula mamária lactacional (mucina-1 (MUC-1), MUC4, globulina de gordura 1 do leite humano, lactoferrina) e proteínas associadas à via Akt-mTOR (PTEN, p-Akt, p-mTOR, p4EBP1, eIF4E, pS6). A maioria dos casos de carcinoma secretório foi negativa para receptor de prolactina e de hormônio do crescimento. Lactoferrina foi positiva em todos os grupos tumorais, porém somente em carcinoma secretório observou-se um padrão de marcação intensa, difuso tanto em célula como em secreção. Todos os casos de carcinoma secretório foram positivos para globulina de gordura do tipo 1, porém o mesmo padrão de marcação foi observado em outros tumores. A maioria dos casos de carcinoma secretório foram positivos para MUC1 e MUC4. Nenhum caso de carcinoma secretório foi positivo para Akt, mas PTEN foi difusamente expresso em 57,1% dos casos. mTOR foi expresso em mais da metade dos casos de carcinoma secretório e dos outros tumores salivares. Entre as proteínas à jusante de mTOR, somente eIF4E demonstrou alta expressão no grupo de estudo. A expressão de marcadores lactacionais não é exclusiva do carcinoma secretório, porém a expressão de lactoferrina é distinta neste grupo de tumores quando comparado aos demais tumores salivares estudados.


Assuntos
Lactação , Transdução de Sinais
4.
São Paulo; s.n; 20240222. 126 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531658

RESUMO

O uso do diamino fluoreto de prata (DFP) em lesões não fracamente cavitadas raramente é investigado. Esta dissertação apresenta resultados de um ensaio clínico controlado randomizado (ECR) delineado para avaliar se o DFP seria uma opção eficaz ao verniz fluoretado no tratamento dessas lesões na superfície oclusal de molares decíduos (NCT02789202). Além disso, trouxemos os resultados de uma revisão sistemática com meta-análise (CRD42020186245) sobre a percepção de responsáveis em relação ao uso do DFP e os resultado do ensaio sobre a aceitação deles ao tratamento de lesões de cárie não francamente cavitadas com DFP em crianças. No Capítulo 1, 109 crianças de 1 a 4 anos com pelo menos uma lesão de cárie ativa (ICDAS 1 a 3) em molares decíduos foram randomizadas em DFP e verniz fluoretado e acompanhadas por 24 meses. Análises por intenção de tratar adotando regressão logística multinível e regressão de Cox com fragilidade compartilhada foram realizadas. 309 molares foram incluídos e 239 reavaliados. DFP preveniu mais progressão (91%) do que o verniz (81%). As lesões tratadas com DFP apresentaram, em media, 69% menos chance de progressão quando o modelo foi ajustado pela severidade (lesões iniciais vs microcavitadas). A progressão demorou mais para ocorrer no grupo do DFP. Para o Capítulo 2, foi realizada uma busca nas bases de dados MEDLINE, Scopus, Web of Science, Embase e Open Grey até maio de 2020. Foram incluídos ECR, estudos clínicos não randomizados e estudos observacionais que avaliaram a percepção de responsáveis sobre compostos de prata no tratamento de lesões de cárie. O risco de viés foi avaliado utilizando uma ferramenta específica para estudos de atitutes e práticas. Para a meta-análise, os estudos foram separados considerando se os entrevistados receberam o DFP como tratamento de seus filhos ou não e se foram obtidos quanto a satisfação geral ou quanto, especificamente, a descoloração. Análises de subgrupo e meta-regressão foram realizadas para avaliar a influência de variáveis associadas ao instrumento na percepção e explorar possíveis fontes de heterogeneidade. 19 estudos foram incluídos na revisão sistemática e 12 na metaanálise. A aceitação geral do tratamento foi de moderada a bem aceita (26.9% a 100%) e variou de acordo com a metodologia utilizada. Em geral, responsáveis responderam mais positivamente quando a criança recebeu o tratamento (90%) do que quando a aplicação foi mostrada com uma foto (59%). Por fim, avaliou-se a percepção dos responsáveis sobre a saúde e estética em crianças que tiveram lesões em esmalte tratadas com DFP (Capítulo 3). Crianças incluídas em três ECR que tiveram as lesões em esmalte tratadas com DFP ou não foram consideradas. Um questionário padrão foi utilizado. Primeiramente, avaliamos a percepção geral e, em seguida, focada nos dentes tratados. Análise multiníveis foram realizadas para comparar a percepção de responsáveis de crianças tratadas vs não tratadas com DFP. Os níveis foram definidos conforme o dente e a criança/responsável. O tratamento com DFP não afetou a percepção geral dos responsáveis sobre as condições estética e de saúde bucal relacionadas a criança (85%). No entanto, quando a avaliação foi focada no dente tratado, a percepção naquelas crianças que receberam tratamento com DFP foi pior do que naquelas que não receberam. Concluindo, o DFP é uma opção eficaz no controle de lesões de cárie não francamente cavitadas. Além disso, geralmente, parece ser aceito de maneira adequada pelos cuidadores. No entanto, um padrão diferente de aceitação é observada quando destacamos o dente tratado, mostrando que a educação/informação é uma questão importante na indicação desse tratamento em crianças.


Assuntos
Cariostáticos , Eficácia , Odontopediatria , Cárie Dentária
6.
São Paulo; s.n; 20240222. 75 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531765

RESUMO

A doença renal crônica em estágio terminal pode levar a alterações sistêmicas que tornam o manejo clínico odontológico desses indivíduos desafiador, especialmente se os procedimentos forem invasivos. As preocupações incluem alteração do metabolismo de drogas, da resposta imunológica e do metabolismo ósseo, além do risco aumentado de sangramento e discussão sobre risco aumentado para endocardite infecciosa. O objetivo deste estudo retrospectivo foi conhecer a frequência e o tipo de complicações durante e após execução de procedimentos odontológicos em indivíduos com insuficiência renal crônica em diálise (IRC-D), atendidos no Centro de Atendimento a Pacientes Especiais (CAPE) da Faculdade de Odontologia da USP (FOUSP). Adicionalmente, comparamos a quantidade e o tipo de complicações entre os indivíduos que usaram antibiótico profilático e aqueles que não usaram, antes dos procedimentos odontológicos. Para tanto desenvolvemos um formulário específico para este estudo, no qual compilamos as informações relativas aos períodos trans e pós-operatórios de procedimentos odontológicos realizados nos pacientes com IRC em diálise. Nossa hipótese era a de que a prevalência de complicações durante e após os procedimentos odontológicos de indivíduos com IRC em diálise fosse baixa, e que ouso do antibiótico prescrito profilaticamente não interferiria na qualidade dareparação ou na incidência de complicações relacionadas aos procedimentos odontológicos. Analisamos retrospectivamente 225 prontuários de pacientes com IRC em diálise atendidos no CAPE-FOUSP desde 1990 até os dias atuais. Desse total, 130 eram pacientes do sexo masculino e do 95 do feminino. A idade média destes indivíduos foi de 48,4 anos. As principais doenças de base que levaram a ocorrência da IRC-HD foram a hipertensão arterial sistêmica (48 pacientes) e o diabetes mellitus (23 pacientes). Nos 225 pacientes, 1.390 procedimentos odontológicos foram realizados, dos quais 856 foram não invasivos, 443 invasivos e 91 tratamentos endodônticos. Dentre os procedimentos invasivos, houve 259 exodontias. Antes de 80 das 259 intervenções cirúrgicas (31%) houve a prescrição de antibiótico profilático em diferentes posologias; em 29 exodontias (11%) foram utilizados hemostáticos locais no momento da realização da sutura. Foram descritos nos prontuários 16 casos de sangramento transoperatório (6%), 5 casos de sangramento pós-operatório (2%) e 2 casos de complicação pós-operatória (0,8%), definidos como uma alveolite e uma infecção alveolar. Nossos resultados permitiram nos concluir que a incidência de complicações após exodontias é baixa e que o uso de antibiótico profilático (AP) não interferiu nessa incidência.


Assuntos
Assistência Odontológica , Diálise Renal , Alvéolo Seco , Insuficiência Renal Crônica , Hemorragia
7.
São Paulo; s.n; 20240222. 80 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531769

RESUMO

Introdução e objetivo: A tecnologia digital tem desempenhado um papel cada vez mais importante na Odontologia há vários anos. Nos últimos anos, com a introdução da tomografia computadorizada (TC), da impressão tridimensional (3D), dos desenhos auxiliados por computador (CAD) e dos modelos feitas através destes desenhos (CAM), trouxeram uma grande evolução para os conceitos de tratamento na área da implantodontia. O objetivo deste estudo foi avaliar a acurácia de guias do tipo fresado e impresso a partir de um único planejamento virtual. Materiais e métodos: Foram selecionadas como amostras, dez manequins pré-fabricados com dentes ausentes com a finalidade de colocação de implantes. Estes manequins foram submetidos a tomografias computadorizadas de feixe cônico e a escaneamentos digitais através de um escâner intra oral, estas imagens foram sobrepostas em um software especifico de planejamentos digitais e assim gerados dois tipos de guias através de um mesmo planejamento digital. Guias impressos (grupo1) e guias fresados (grupo 2) foram confeccionados através de uma impressora tridimensional e uma fresadora respectivamente. Em cada manequim foram colocados dois implantes em regiões de dente 24 e dente 25, cada região com um guia diferente. Após a colocação dos implantes estes manequins foram submetidos a novas tomografias computadorizadas de feixe cônico onde foram adquiridas nova imagens, que foram sobrepostas com as imagens do planejamento inicial a fim de mensurar a fidelidade pós cirúrgica. Resultados: Foram avaliados desvios angulares e lineares, para os desvios angulares medianos, foi observada uma diferença significativa entre os grupos (p=0,033), com valores medianos de 3,78° (min-max: 1,32-8,75) para o guia impresso e 5,66° (3,06- 6,64) para o guia fresado, para desvios lineares do ápice, o resultado não demonstrou diferença significativa entre os grupos (p=0.423), com valores medianos de 0,73 (minmax: 0,53-1,82) para o guia impresso e 1,10 (0,26-2,47) para guia fresado. Conclusão: Houve diferenças significativas na acurácia da posição do implante apenas em relação ao desvio angular mediano, um dos fatores que pode ter contribuído é a extensão da extremidade livre que havia no guia cirúrgico fresado. Guias fresados utilizados em extremidade livre de dois dentes mostraram resultados semelhantes a extremidade menor (um dente), possibilitando a sua utilização dentro dos parâmetros clínicos aceitáveis e indicando futuros estudos de analises de tamanhos de extensão de extremidades.


Assuntos
Cirurgia Assistida por Computador
8.
São Paulo; s.n; 20240222. 117 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531785

RESUMO

Com a perda de um dente após uma exodontia, tem-se início o processo de remodelação óssea de uma cicatrização espontânea que levará a perdas dimensionais desse alvéolo, principalmente em volume, comprometendo o formato original do rebordo. Técnicas de preservação do rebordo alveolar têm sido descritas há muito tempo, porém, sem um consenso sobre qual procedimento escolher e tampouco qual substituto usar. O objetivo desse estudo foi comparar algumas técnicas já citadas na literatura, utilizando substitutos ósseos e membranas para avaliar as alterações dimensionais horizontais. Foram tratados 25 pacientes (n=5) com necessidade de exodontia de dentes da maxila, com exceção dos molares. Os pacientes foram dispostos aleatoriamente em 5 grupos: GI membrana de politetrafluoretileno denso (Cytoplast®); GII enxerto ósseo xenógeno com uma membrana de colágeno (Bio Oss Collagen® associado a Bio Gide®); GIII membrana de polipropileno (Bone Heal®) 7 dias; GIV membrana de polipropileno (Bone Heal® 21 dias e GV Controle (cicatrização espontânea). O desfecho primário foi a alteração dimensional horizontal do rebordo alveolar encontrada entre as imagens tomográficas de início (T0) antes da exodontia e final (T1) após 6 meses da intervenção, na espessura abaixo da crista óssea em 1 mm (H1), 3 mm (H3) e 5 mm (H5), além da redução em volume do tecido mole avaliadas por meio de modelos de gesso escaneados e sobrepostos com um software de precisão (GOM Inspect®), medidos em 6 pontos em mimímetros a partir da margem gengival (0, 1, 2, 3, 4 e 5). As médias em mm das reduções em espessura óssea foram: em H1 (GI = 1,30, GII = 1,89, GIII = 1,30, GIV = 1,20, GV = 1,97); em H3 (GI = 1,71, GII = 1,98, GIII = 1,16, GIV = 0,34, GV = 1,75) e em H5 (GI = 1,11, GII = 0,74, GIII = 0,86, GIV = 0,26, GV = 1,36) chegando a uma conclusão estatisticamente significante entre os grupos de que GIV apresenta menores desvios que GII. Já as médias em mm das reduções horizontais dos tecidos ósseos foram: Ponto 0 (3,21; 2,26; 1,71; 1,49; 2,57 mm), ponto 1 (2,24; 2,39; 1,58; 1,59; 2,42 mm). Ponto 2 (1,77; 2,20; 1,21; 1,37;2,26 mm), ponto 3 (1,61; 1,90; 1,13; 1,13; 2,03 mm), ponto 4 (1,49; 1,68; 1,21; 0,94; 1,86 mm) e ponto 5 (1,28; 1,69; 1,06; 1,27; 1,70mm) respectivamente para os grupos GI, GII, GII, GIV e GV. Concluindo que houve diferenças entre os grupos estatisticamente significantes entre GIII com menores reduções que GII e GV, GIV com menores reduções que GV. Demonstrando que a técnica de preservação do rebordo alveolar pode ser utilizada como uma alternativa na limitação das perdas horizontais em tecido mole e ósseos.


Assuntos
Materiais Biocompatíveis
9.
São Paulo; s.n; 20240222. 119 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531857

RESUMO

Objetivos: O estudo avaliou, para quatro diferentes zircônias monolíticas translúcidas, o efeito da microestrutura e do estado da superfície (glazeada versus polida após simulação de ajuste oclusal) nas seguintes respostas: (1) propriedades mecânicas (resistência a flexão biaxial, tenacidade à fratura e dureza Vickers; (2) molhamento de superfície a partir da verificação do ângulo de contato; (3) perda de volume e rugosidade superficial após ensaio de desgaste e (4) parâmetros de translucidez. Materiais e métodos: quatro diferentes blocos de zircônias translúcidas foram utilizadas nesse estudo; Prettau anterior, Lava Plus, Cercon hT e Cercon xT. Foram confeccionados 112 espécimes em formato de disco para cada material, tendo sido todos eles glazeados e parte dos espécimes foram ajustados superficialmente com o uso de pontas diamantadas (simulação de ajuste oclusal) e posteriormente polidos com o uso de ponta de borrachas (simulação de polimento clínico). Os espécimes utilizados nos ensaios de dureza Vickers e tenacidade à fratura foram polidos com o uso de lixas e soluções diamantadas em politriz semiautomática. Parte dos espécimes confeccionados sofreram o ensaio de desgaste. Anteriormente, foram levados a um perfilômetro óptico para determinação de seu perfil topográfico para a determinação da rugosidade e posterior avaliação da perda de volume. Em seguida, os discos foram submetidos ao ensaio de desgaste em uma simuladora da mastigação por meio milhão de ciclos com carga de 30 N e frequência de 2 Hz. Após o ensaio de desgaste, os espécimes foram submetidos novamente à análise topográfica através de perfilometria óptica para determinação da perda de volume e rugosidade superficial. Foram avaliadas também as propriedades mecânicas por meio dos ensaios de resistência a flexão biaxial, tenacidade a fratura e dureza Vickers, e a análise de molhamento de superfície por meio da mensuração do ângulo de contato e caracterização das propriedades de ópticas sobre os parâmetros de translucidez. Resultados: na resistência á flexão foi verificado o efeito do estado da superfície, na condição ajuste Cercon hT apresentou o maior valor e o Lava Plus o menor, para a condição glaze não foi encontrada diferença entre os valores de resistência os materiais testados; os valores médios de dureza foram semelhantes para os materiais testados; as médias de tenacidade à fratura foram significativamente diferentes Lava Plus apresentou o maior valor e o Cercon hT e Prettau o menor que foram semelhantes entre si; para os valores de ângulo de contato foram estatisticamente superiores na condição ajuste para todos os materiais; para os valores médios de rugosidade média foi verificado o efeito do ajuste e posterior polimento para o Cercon hT, após ensaio de desgaste foi verificado o aumento da rugosidade para todos os materiais independente da condição, os valores de Ra para a condição ajuste foi numericamente maior se comparada a condição glaze para todos os materiais, os valores médios de perda de volume após ensaio de desgaste foi significativamente maior para o Lava Plus na condição ajuste, para os demais materiais o estado as superfície não afetou significativamente a perda de volume, para os valores do parâmetro de translucidez os materiais Lava Plus e Prettau tiveram valores menores semelhantes e significativos aos valores de Cercon hT e xT que foram superiores e semelhante entre si, na condição ajuste os materiais Cercon hT e Cercon xT continuaram apresentando valores semelhantes e superiores a Prettau, o Lava Plus após ajuste apresentou valores semelhantes estatisticamente aos valores de PT dos materiais Cercon xT e hT o material Cercon hT apresentou maior valor de resistência após ajuste Conclusão: Houve efeito da microestrutura e do estado de superfície para a resistência à flexão, rugosidade média e para o parâmetro de translucidez; o efeito da microestrutura na tenacidade à fratura, e foi observado o efeito do estado de superfície para os valores do ângulo de contato e na perda de volume.


Assuntos
Polimento Dentário
10.
São Paulo; s.n; 20240222. 77 p.
Tese em Espanhol | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531861

RESUMO

Comparar a segurança e o desempenho através da análise tomográfica do Bloco de Osso Xenogênico Colagenado (BOXC) para reconstrução horizontal do rebordo alveolar atrofiado, em áreas de um a quatro dentes de extensão, comparado com o enxerto em Bloco de Osso Autógeno (BOA), padrão ouro em reabilitações para esse tipo de defeito. Material e Método: Sessenta e quatro pacientes foram selecionados e randomizados aleatoriamente nos grupos BOXC e BOA, ambos associados com Mineral de Osso Bovino Desproteinizado (MOBD) recobertos com uma Membrana de Colágeno (MC), para o aumento ósseo horizontal. Medidas tomográficas prévias ao enxerto (BL) e após 30 semanas (FU) foram realizadas através da sobreposição dos arquivos tomográficos. O desfecho primário foi a largura da crista óssea horizontal a 2 mm abaixo da crista óssea alveolar vestibular (HCB-2). As medidas também incluíram alterações, vestibular e palatina, a 2mm, 4mm, 6mm, 8mm e 10mm abaixo da crista óssea. Resultados: Após 30 semanas, as alterações estimadas de ganho de espessura vestibular, na região central do sítio alvo a 2mm, 4mm, 6mm, 8mm e 10mm abaixo da crista óssea alveolar, foram, respectivamente, de: 3,71(±1,55), 4,58(±1,11),4,30(±1,05), 3,38(±1,28) e 2,05(±1,59), para o BOA e 3,23(±2,11), 4,29(±1,27), 4,43(±1,08), 4,11(±1,60) e 2,85(±2,13) para BOXC, sem diferença estatística entre os grupos para HCB-2. Conclusão: O BOXC pode ser usado para tratamentos de enxerto ósseo de ganho horizontal em superfície vestibular, pois apresentou resultados semelhantes quando comparado ao padrão ouro (BOA).


Assuntos
Implantes Dentários
11.
São Paulo; s.n; 20240222. 89 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531864

RESUMO

Esta pesquisa teve como objetivo investigar o uso de duas técnicas de instrumentação do canal radicular no tratamento endodôntico de molares decíduos. As técnicas aplicadas foram instrumentação manual convencional, com o uso de limas K manuais de aço inoxidável, e instrumentação reciprocante, um tipo de instrumentação mecanizada que aplica instrumentos acionados a motor introduzidos no canal enquanto realizam movimentos de rotação alternada. Assim, foi realizado um ensaio clínico randomizado com acompanhamento de 24 meses, comparando os resultados obtidos com as duas técnicas. Esta tese é composta por dois estudos relacionados ao tema principal: (I) um ensaio clínico randomizado (ECR) com 24 meses de acompanhamento avaliando o sucesso do tratamento endodôntico, (II) um estudo aninhado no ECR avaliando fatores associados ao tempo de instrumentação, desconforto e dor pós-operatória no tratamento endodôntico de molares decíduos. O principal objetivo do ECR (I) foi comparar a taxa de sucesso da instrumentação reciprocante à instrumentação manual convencional no tratamento endodôntico de molares decíduos após 24 meses. Como desfecho primário, o sucesso do tratamento após 24 meses foi avaliado por exame clínico e radiográfico. Outros desfechos secundários também foram analisados, tais como: tempo de instrumentação, qualidade da obturação, desconforto após o tratamento e dor pósoperatória. O estudo aninhado ao ECR (II) teve como objetivo analisar os dados disponíveis do ECR observando uma possível associação entre a técnica de instrumentação e outras variáveis (relacionadas às crianças e aos dentes), no tempo de instrumentação e na ocorrência de dor pós-operatória no tratamento endodôntico de molares decíduos. Como resultados principais, observou-se que ambas as técnicas forneceram resultados semelhantes quanto à taxa de sucesso do tratamento endodôntico após 24 meses de acompanhamento. Não foi observada diferença estatisticamente significante entre as técnicas. Também foi observado que, na dentição decídua, o tipo de técnica de instrumentação aplicada influencia no tempo de instrumentação; por outro lado, não parece estar relacionado à ocorrência de dor pós-operatória. Em conclusão, não há diferenças em termos de sucesso no tratamento endodôntico de molares decíduos instrumentados pela técnica manual ou reciprocante.


Assuntos
Endodontia
12.
São Paulo; s.n; 20240222. 91 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531865

RESUMO

O objetivo deste estudo foi caracterizar e comparar o esmalte sadio humano e lesões de mancha branca (ICDAS 2) em diferentes aspectos. Dezessete espécimes foram caracterizados por meio fluorescência com o Diagnodent®, Fluorescência quantitativa induzida pela luz (QLF®), quanto aspectos ópticos pela Tomografia de Coerência Óptica (OCT), propriedades mecânicas com a Microdureza seccional e avaliação do conteúdo inorgânico e orgânico com a Espectroscopia Raman. A ANOVA e teste de Tukey, foram utilizados com 5% como nível de significância. O Diagnodent® identificou 75% das superfícies como hígidas, 7% cárie em esmalte, 10% lesão até junção esmalte-dentina e 7% cárie em dentina. Para o QLF®, a perda de conteúdo mineral Q (%mm2) foi de 15,37%mm2 e a diferença de fluorescência (F) foi de 11,68%. O aparelho OCT captou uma média de profundidade de lesões de 174,43 m, e um coeficiente de atenuação sem diferença significante (p>0,005). A microdureza demonstrou uma diferença significante (p<0,005) quando comparados os fatores: camada superficial e corpo do esmalte (hígido e lesão), porém não existe diferença significante (p>0,005), quando comparados esses dois sítios dentro do mesmo substrato. O espectro Raman demonstrou as 4 bandas vibracionais do fosfato (v1, v2, v3, v4) com maior intensidade no esmalte hígido, sendo o maior pico em 960,3 cm-1(v1). Em 1071 cm-1, a intensidade foi maior para o esmalte hígido, correspondendo a banda do fosfato (v3) e não o carbonato tipo B. O conteúdo orgânico foi visto em 1295 cm-1 e em 1450 cm-1, com maior intensidade nas lesões. A variabilidade de características dos substratos estudados interferiu diretamente na caracterização destes pelos métodos propostos.


Assuntos
Esmalte Dentário
13.
São Paulo; s.n; 20240222. 86 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531868

RESUMO

O relato seletivo de desfecho (RSD) é um tipo de viés de relato, e ocorre quando um desfecho primário de um protocolo de estudo é alterado ou omitido, quando um novo desfecho é introduzido na publicação, ou quando há alteração do time point que foi pré-especificado no protocolo. RSD pode subestimar ou superestimar o efeito de uma terapia. Por isso, pode distorcer os resultados de revisões sistemáticas e alterar a percepção do público e comunidade científica sobre a eficácia de intervenções. O tratamento periodontal não cirúrgico (TPNC) é uma das terapias mais investigadas na periodontia. Até o momento, não há na literatura informações sobre a prevalência de RSD em estudos de TPNC. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a presença de RSD em publicações de ensaios clínicos randomizados (ECRs) de TPNC, além de verificar os fatores associados. A busca e seleção dos protocolos dos estudos sobre TPNC foi realizada na plataforma ClinicalTrials.gov em 06 de janeiro de 2021. As respectivas publicações foram identificadas e a extração de dados e análise de possíveis discrepâncias entre protocolo e publicações foi realizada. O risco de viés dos estudos incluídos foi avaliado de acordo com a ferramenta RoB2. Foram incluídos 141 estudos (170 publicações). RSD esteve presente em 49,6% das publicações, e em 27,7% delas não foi possível identificar se houve RSD uma vez que o desfecho primário não foi relatado adequadamente na publicação ou no registro. RSD esteve associado com significância estatística (p < 0.001) e com mais de uma publicação referente ao mesmo protocolo (p< 0.05). Além disso, a especificação do desfecho primário e o risco de viés de cada estudo foram avaliados. Dos 180 desfechos primários avaliados nas publicações, apenas 37,2% estavam completamente definidos, com informações de domínio, medida específica, métrica específica e time point adequadamente determinadas. Dos 141 estudos, a maioria (58,1%) apresentou alto risco de viés. Em contrapartida, apenas um estudo (0,7%) foi classificado com baixo risco de viés. O risco de viés foi caracterizado por algumas preocupações em 41,1% dos casos. O presente estudo identificou alta prevalência de RSD em ECRs sobre TPNC, evidenciando a necessidade de relatar resultados de ensaios clínicos de modo mais detalhado e transparente.


Assuntos
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
14.
São Paulo; s.n; 20240222. 79 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531870

RESUMO

Objetivo: O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão sistemática (RS) e metanálise para avaliar a acurácia de exames de imagem para o diagnóstico de defeitos ósseos peri-implantares em implantes de titânio (Ti) e dióxido de zircônia (ZrO2). Material e método: Seis bancos de dados online foram pesquisados. Todos os estudos selecionados foram submetidos a critérios de inclusão e exclusão. Os estudos incluídos na RS foram submetidos a avaliação de viés e aplicabilidade por meio da ferramenta QUADAS-2 e metanálise de efeito aleatório. As curvas sumárias de características de operação do receptor (sROC) foram construídas para comparar o efeito das diferenças metodológicas em relação às variáveis de cada grupo. Resultados: A estratégia de busca resultou em 719 artigos, seguindo os critérios de elegibilidade, títulos e resumos foram lidos e 61 estudos foram selecionados para leitura na íntegra, 24 dos 61 estudos foram incluídos nesta RS. A tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) apresentou dados suficientes para análise quantitativa (metanálise) em implantes de ZrO2 e Ti. A metanálise revelou altos níveis de inconsistência no último grupo. Em relação às curvas sROC, a área sob a curva (AUC) foi maior para o grupo Ti global (AUC = 0,79) do que para o ZrO2 global (AUC = 0,69), mas sem diferença estatisticamente significativa entre elas. A comparação de AUCs de deiscências e defeitos de fenestração em implantes de Ti (AUC de deiscência em Ti = 0,73 e AUC de fenestração em Ti = 0,87) resultou em uma diferença estatisticamente significativa. Conclusão: A acurácia diagnóstica da TCFC na avaliação de defeitos ósseos peri-implantares ao comparar os implantes de Ti e ZrO2 foi semelhante, e o defeito de fenestração foi diagnosticado com mais precisão do que a deiscência nos implantes de Ti. Os dados coletados para analisar quantitativamente o desempenho diagnóstico de defeitos ósseos peri-implantares dos métodos de imagem RP, PAN, IRM e TC em implantes de Ti e ZrO2 não foram suficientes. Número do protocolo PROSPERO: CRD42020149678.


Assuntos
Diagnóstico por Imagem , Implantes Dentários , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico
15.
São Paulo; s.n; 20240222. 177 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531876

RESUMO

Os Massive Open Online Courses são mundialmente difundidos e reconhecidos por oferecer formação continuada a muitos profissionais simultaneamente. No Brasil, a Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde desempenha com excelência o trabalho de desenvolver cursos para diversas áreas da saúde pública. Dentre as universidades participantes, destacam-se as produções autoinstrucionais e oferecidas via mobile da Universidade Federal do Maranhão, que em parceria com a Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo desenvolveram, dentre outras ofertas, o curso Cuidado em saúde bucal para gestantes e puérperas, que apresentou um número expressivo de inscritos e concluintes. A abundância de dados sobre os alunos e suas interações com o curso nos permite explorar e compreender melhor a oferta, qualificando a eficácia dos recursos educacionais oferecidos para o aprendizado e prática profissional dos alunos. Neste trabalho, foram utilizados métodos mistos para triangulação dos dados obtidos nos questionários aplicados durante o curso e informações coletadas em entrevistas semiestruturadas, permitindo descrever e analisar as experiências de aprendizado dos alunos. Para a caracterização sociodemográfica e análise das respostas fechadas dos questionários utilizamos estatística descritiva. As entrevistas e respostas abertas aos questionários foram analisadas através de Análise Temática, guiada pelo modelo Kirkpatrick de Avaliação de Eficácia. O desenho e desenvolvimento do estudo seguiu o Consolidated Criteria for Reporting Qualitative Research. Em 6 meses, o curso apresentou 55,35% de concluintes, com participantes de todo o Brasil, predominantemente adultos jovens, do sexo feminino e dentista, com alta escolaridade e bom uso de tecnologias. Concluímos que o curso foi satisfatório para as expectativas dos participantes, eficaz para atualizar, reforçar e fixar conhecimentos sobre o atendimento de gestantes na rotina do SUS, contribuindo para mudanças de prática aplicada ao serviço de saúde do participante.


Assuntos
Odontologia
16.
São Paulo; s.n; 20240222. 183 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531890

RESUMO

A análise de redes representa um conjunto de métodos e teorias com grande utilidade para descrever, explorar e compreender a estrutura de relações estatísticas em sistemas complexos de variáveis. Esta é uma importante ferramenta analítica com aplicações que variam desde análise exploratória até o desenvolvimento de intervenções. O objetivo desta tese foi mapear a arquitetura de interações entre fatores de saúde bucal de populações indígenas como sistemas de redes complexas. Este volume apresenta um compilado de quatro artigos científicos que investigaram: 1) o letramento em saúde bucal e fatores associados em uma população indígena australiana; 2) a validade estrutural do questionário Oral Health Impact Profile (OHIP-14) entre populações indígenas e não indígenas do Brasil e da Austrália; 3) as dinâmicas entre fatores relacionados à saúde bucal de crianças indígenas australianas ao longo do tempo; e 4) a habilidade de medidas de centralidade de uma rede transversal para predizer desfechos de saúde bucal longitudinalmente. Foram estimadas redes de correlação parcial, regularizadas, não direcionadas, baseadas em Modelos Gráficos Gaussianos. As propriedades de rede analisadas incluíram medidas de centralidade, coeficientes locais de agrupamento e coeficientes globais de agrupamento. A estabilidade das redes foi verificada através de um procedimento bootstrap de reamostragem. A Análise Exploratório de Gráficos foi utilizada para verificar a validade estrutural do instrumento de mensuração da qualidade de vida relacionada à saúde bucal. Foram analisadas as associações entre as medidas de centralidade de uma rede transversal com dados de mulheres grávidas e dois desfechos relacionados à saúde bucal de crianças indígenas mensurados aos 5 anos por meio de regressões lineares. Foi estimada uma rede que compreende as diferenças de pontuação dos desfechos relacionados à saúde bucal de crianças indígenas entre 2 e 5 anos ajustada pela rede de dados maternos. As correlações entre as medidas de centralidade dos modelos ajustado e não ajustado foram examinadas. Itens de letramento em saúde bucal pertencentes aos mesmos domínios conceituais da escala apresentaram fortes conexões positivas. Diferentes estruturas de rede emergiram para grupos de participantes que possuíam baixo e alto níveis de letramento em saúde bucal. A Análise Exploratória de Gráficos identificou quatro comunidades de nós referentes ao instrumento Oral Health Impact Profile em todas as amostras analisadas, embora populações indígenas apresentaram consistência estrutural reduzida em comparação com seus pares não indígenas. A intervenção de saúde bucal interagiu com a rede de fatores relacionados à saúde bucal por meio da percepção da saúde geral da criança e do conhecimento da saúde bucal infantil. Foram identificadas diferentes conexões entre experiência de cárie dentária e fatores relacionados à saúde bucal em cada fase do estudo. As redes tenderam a retornar a um estado inicial após a intervenção. Força foi a única medida de centralidade associada aos valores preditivos dos nós em relação aos desfechos de saúde bucal das crianças. Valores de Força explicaram 51% e 45% da variação nos valores preditivos dos nós em relação à experiência de cárie dentária e à utilização de serviços odontológicos aos 5 anos, respectivamente. Esta tese demonstrou diferentes aplicações da análise de redes no contexto da saúde bucal indígena. Fatores relacionados à saúde bucal de populações indígenas da Austrália e do Brasil emergiram como redes. Os achados empíricos apresentados contribuem para uma compreensão abrangente das múltiplas interações entre fatores relacionados à saúde bucal destas populações e apresentam implicações para a representação de construtos psicométricos, investigação de fenômenos em saúde bucal e desenvolvimento de intervenções.


Assuntos
Qualidade de Vida , Saúde Bucal , Saúde de Populações Indígenas
17.
São Paulo; s.n; 20240222. 93 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531896

RESUMO

O objetivo desta tese foi avaliar a vitalidade pulpar de dentes decíduos com lesão de cárie profunda tratados com duas técnicas restauradoras. A taxa de sobrevivência da restauração foi avaliada como um desfecho secundário. Este volume apresenta um compilado do protocolo de pesquisa e os resultados de ensaio clínico randomizado (Clinicaltrials.gov registration NCT02903979) de não inferioridade com dois braços paralelos relatados pelas recomendações SPIRIT e CONSORT, respectivamente. Crianças de 4 a 8 anos com pelo menos uma lesão cariosa profunda oclusal ou ocluso-proximal em molares decíduos foram selecionadas na clínica odontológica da Universidade Ibirapuera. Cento e oito molares decíduos foram alocados em dois grupos: (1) restauração com cimento de hidróxido de cálcio seguido do cimento de ionômero de vidro de alta viscosidade (CHC + HVGIC) ou (2) restauração com HVGIC. A vitalidade pulpar e a sobrevivência da restauração foram avaliadas em 6, 12 e 24 meses. A análise por intenção de tratar foi usada para a vitalidade pulpar e a análise de sobrevida foi realizada com o método de Kaplan-Meier ( = 5%). Aos 24 meses, 86 restaurações foram avaliadas e 91 foram avaliadas pelo menos uma vez durante o estudo. A perda foi de 20%, e o número de participantes no início e no final do estudo foi semelhante entre os grupos (p = 0,872). Não houve diferença significativa entre os tratamentos restauradores em relação à vitalidade pulpar (CHC + HVGIC = 70% e HVGIC = 68,5%) (OR = 1,09; IC95% = 0,48-2,48). No entanto, as restaurações HVGIC (73%) apresentaram uma taxa de sobrevivência maior do que CHC + HVGIC (50%) (p = 0,021). Na análise de regressão de Cox apenas a variável tratamento apresentou p <0,20. Nesse sentido, a análise ajustada não foi realizada. Os dentes tratados com HVGIC tiveram 65% menos chance de falha do que aqueles tratados com CHC + HVGIC. Assim, pode-se sugerir que a aplicação de CHC é dispensável em lesões profundas de molares decíduos, visto que a longevidade da restauração é menor e a vitalidade pulpar não se altera com sua utilização.


Assuntos
Cárie Dentária , Capeamento da Polpa Dentária , Cimentos de Ionômeros de Vidro
18.
São Paulo; s.n; 20240222. 152 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531900

RESUMO

Introdução: Mucosite oral é um efeito colateral dos tratamentos oncológicos, caracterizado por lesões orais que vão de eritema a úlceras que podem causar dor intensa e restrição de dieta. É conhecida como condição limitante e de grande impacto na qualidade de vida (QV). Objetivo: Elaborar um novo instrumento para avaliar a QV relacionada à mucosite oral. Material e método: Pesquisa através de métodos mistos, iniciando com entrevistas qualitativas analisadas pelo método de Bardin e método Reinert, com o programa IRAMUTEQ, seguido do método Delphi com quatro rodas de entrevistas e discussões com especialistas. A primeira versão do instrumento passou por um pré-teste com 10 pacientes, com análise quantitativa e qualitativa, seguido de outra rodada de especialistas. Resultados: O material das entrevistas qualitativas apontou os termos dor e alimentação como centrais na experiência de mucosite oral, além de fornecerem várias palavras-chave para definição dos constructos. Baseado nesse material e na literatura, 4 especialistas formularam 34 perguntas enviadas para outros 10 especialistas de diferentes regiões e instituições brasileiras que analisaram a clareza, ortografia e necessidade de cada pergunta para o questionário. As alterações pertinentes foram realizadas, revisadas e novamente discutidas. A primeira versão foi apresentada a 10 pacientes que não participaram das entrevistas qualitativas e responderam o grau de entendimento e necessidade de cada pergunta. A análise final do pré-teste reformulou alguns tempos verbais e palavras de difícil compreensão, dando forma a versão final do instrumento. Discussão: Embora existam bons instrumentos para mensurar QV e mucosite oral, apresentamos novas questões sobre impactos financeiros, interrupção de tratamento, alteração de saliva, perda de peso relacionada diretamente com a mucosite oral e aspectos psicossociais. Conclusão: Foi elaborado um novo instrumento para mensurar os impactos mucosite oral em pacientes oncológicos.


Assuntos
Qualidade de Vida , Estomatite , Inquéritos e Questionários , Instrumentos Odontológicos
19.
São Paulo; s.n; 20240222. 75 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1531904

RESUMO

A cartilagem de Meckel é uma estrutura transitória embrionária presente durante os estágios iniciais da formação da mandíbula, localizada em toda sua extensão e dividida em três porções, anterior, intermediária e posterior. O enfoque deste trabalho foi direcionado à elucidação do destino final da porção intermediária por meio de um estudo temporal sequenciado. Por isso, foi investigado a presença de células de reabsorção e a presença de fibras colágenas, bem como da proteína óssea osteopontina (OPN) na cartilagem de Meckel na região do germe do 1º molar inferior e no seu entorno. Foram utilizados fetos de ratos Wistar em períodos gestacionais pré-estabelecidos, G18 a G21 (grupos de dias intrauterinos), bem como P0 e P1 (recém-nascidos) para remoção das cabeças. Em sequência, os espécimes foram fixados em solução de formaldeído 4% + glutaraldeído 0,1% com tampão fosfato 0,1M, descalcificados em EDTA 4,13%, desidratados em concentrações crescentes de etanol e incluídos em parafina. As amostras foram coradas em hematoxilina e eosina (HE) e tricrômico de Mallory para análise histológica. Adicionalmente, os grupos G19 a P0 foram submetidos à reação histoquímica de TRAP para determinação da presença de células clásticas. Além disso, os grupos G21 e P0 (dia do nascimento) passaram por reações de imunomarcação para análise da expressão de OPN. Foi observado a degeneração gradual da cartilagem com a observação de mudanças estruturais, a justaposição de células clásticas na superfície da cartilagem por reação histoquímica TRAP a partir do G21, o aparecimento de colágeno tipo I nas fases terminais da degeneração, assim como a marcação positiva para a osteopontina na superfície de G21 e em todo o remanescente da cartilagem de Meckel no grupo P0. O estudo apontou um processo de degeneração da cartilagem com evidências de formação de matriz mineralizada de natureza óssea, a qual foi reabsorvida por células clásticas, sugerindo a ossificação da porção intermediária da cartilagem de Meckel.


Assuntos
Osteoclastos , Cartilagem , Osteopontina , Mandíbula
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...