Your browser doesn't support javascript.
loading
Atendimento pré-hospitalar móvel em Fortaleza, Ceará: a visão dos profissionais envolvidos / Mobile pre-hospital care in Fortaleza, Ceará: the vision of professionals involved
Silva, Juliana Guimarães e; Vieira, Luiza Jane Eyre de Souza; Pordeus, Augediva Maria Jucá; Souza, Edinilsa Ramos de; Gonçalves, Marcelo Luiz Carvalho.
Afiliação
  • Silva, Juliana Guimarães e; Centro de Ciências da Saúde. Brasil
  • Vieira, Luiza Jane Eyre de Souza; Centro de Ciências da Saúde. Brasil
  • Pordeus, Augediva Maria Jucá; Centro de Ciências da Saúde. Brasil
  • Souza, Edinilsa Ramos de; Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca. Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli. Rio de Janeiro. Brasil
  • Gonçalves, Marcelo Luiz Carvalho; Centro de Ciências da Saúde. Brasil
Rev. bras. epidemiol ; 12(4): 591-603, Dez. 2009. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-61437
Biblioteca responsável: BR67.1
Localização: BR67.1
ABSTRACT
Com o objetivo de descrever variáveis sociodemográficas, profissionais e operacionais das diferentes categorias envolvidas no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, bem como a percepção destas quanto à adequação do serviço oferecido às diretrizes da Política Nacional de Atenção às Urgências, foi realizado um estudo transversal, mediante um questionário autoaplicável, em 2007/2008. Os 89 pesquisados apontaram comprometimento da estrutura física (60,7 por cento); escassez de materiais (82,0 por cento); incipiência de recursos humanos (37,1 por cento); mau estado de conservação e número insuficiente de ambulâncias (67,4 por cento). 98,9 por cento admitiram que há integração com outros serviços, com diferença estatística entre as categorias profissionais (p = 0,037). A terceirização predominou entre 71,4 por cento dos médicos e 84,2 por cento dos enfermeiros (p < 0,001). A capacitação específica foi confirmada por 79,8 por cento e a atualização por 88,8 por cento dos profissionais. A média de tempo de resposta total foi de 29 minutos (dp ± 14,8) e 65,2 por cento afirmaram conhecer a política. Este estudo evidenciou que o pré-hospitalar é um serviço com problemas estruturais e de planejamento, nos quais se destacaram a precariedade das condições de trabalho e a fragilidade dos vínculos.(AU)
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: ODS3 - Saúde e Bem-Estar Tema em saúde: Meta 3.8 Atingir a cobertura universal de saúde Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Atitude do Pessoal de Saúde / Socorro de Urgência / Emergências / Serviços Médicos de Emergência / Medicina de Emergência / Política de Saúde Tipo de estudo: Estudo observacional / Estudo de prevalência Limite: Humanos Idioma: Português Revista: Rev. bras. epidemiol Ano de publicação: 2009 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Centro de Ciências da Saúde/Brasil / Fundação Oswaldo Cruz/Brasil
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: ODS3 - Saúde e Bem-Estar Tema em saúde: Meta 3.8 Atingir a cobertura universal de saúde Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Atitude do Pessoal de Saúde / Socorro de Urgência / Emergências / Serviços Médicos de Emergência / Medicina de Emergência / Política de Saúde Tipo de estudo: Estudo observacional / Estudo de prevalência Limite: Humanos Idioma: Português Revista: Rev. bras. epidemiol Ano de publicação: 2009 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Centro de Ciências da Saúde/Brasil / Fundação Oswaldo Cruz/Brasil
...