Your browser doesn't support javascript.
loading
Beyond the income inequality hypothesis and human health: a worldwide exploration
Idrovo, Alvaro J; Ruiz-Rodríguez, Myriam; Manzano-Patiño, Abigail P.
Afiliação
  • Idrovo, Alvaro J; Instituto Nacional de Salud Pública. Centro de Investigación en Sistemas de Salud. Cuernavaca. México
  • Ruiz-Rodríguez, Myriam; Universidad Industrial de Santander. Facultad de Salud. Departamento de Salud Pública. Bucaramanga. Colombia
  • Manzano-Patiño, Abigail P; Universidad Nacional Autónoma de México. Dirección General de Evaluación Educativa. México DF. México
Rev. saúde pública ; 44(4): 695-702, Aug. 2010. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-62296
Biblioteca responsável: BR67.1
Localização: BR67.1
ABSTRACT

OBJETIVO:

Analisar se a relação entre a desigualdade de renda e a saúde humana é mediada pelo capital social, assim como a influência do regime político na distribuição de renda nos países.

MÉTODOS:

Estudo ecológico de trajetórias utilizando dados transversais de 110 países. A variável de desfecho foi a esperança de vida ao nascer; as variáveis independentes foram desigualdade de renda (medida pelo índice de Gini), capital social (medido pelo índice de percepção de corrupção ou confiança generalizada) e regime político (medido pelo Índice de Liberdade). O Índice de Percepção de Corrupção (um indicador indireto do capital social) foi usado para incluir mais países em desenvolvimento na análise. Foram calculados os coeficientes de correlação de Spearman entre o índice de Gini com as demais variáveis independentes. A análise de trajetória foi realizada para avaliar o efeito da desigualdade de renda, dos proxys de social capital e do regime político na expectativa de vida.

RESULTADOS:

Os coeficientes de trajetória sugerem que a desigualdade de renda tem maior impacto direto sobre a esperança de vida ao nascer do que por meio do capital social. O regime político atua sobre a esperança de vida ao nascer por meio da desigualdade de renda.

CONCLUSÕES:

A desigualdade de renda e o capital social têm efeitos diretos sobre a esperança de vida ao nascer. O modelo de regime de "classe/bem-estar" pode ser útil para entender as desigualdades sociais e de saúde entre países, enquanto a hipótese de desigualdade de renda se limita a uma aproximação parcial útil para analisar diferenças dentro dos países.(
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas / ODS3 - Saúde e Bem-Estar Tema em saúde: Objetivo 1: Acesso equitativo aos serviços de saúde / Objetivo 11 Desigualdades e iniquidades na saúde / Meta 3.8 Atingir a cobertura universal de saúde Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Política Pública / Fatores Socioeconômicos / Desenvolvimento Econômico / Expectativa de Vida / Disparidades nos Níveis de Saúde Limite: Humanos Idioma: Inglês Revista: Rev. saúde pública Ano de publicação: 2010 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Instituto Nacional de Salud Pública/México / Universidad Industrial de Santander/Colombia / Universidad Nacional Autónoma de México/México
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas / ODS3 - Saúde e Bem-Estar Tema em saúde: Objetivo 1: Acesso equitativo aos serviços de saúde / Objetivo 11 Desigualdades e iniquidades na saúde / Meta 3.8 Atingir a cobertura universal de saúde Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Política Pública / Fatores Socioeconômicos / Desenvolvimento Econômico / Expectativa de Vida / Disparidades nos Níveis de Saúde Limite: Humanos Idioma: Inglês Revista: Rev. saúde pública Ano de publicação: 2010 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Instituto Nacional de Salud Pública/México / Universidad Industrial de Santander/Colombia / Universidad Nacional Autónoma de México/México
...