Your browser doesn't support javascript.
loading
Prevalência e fatores associados à anemia em crianças e mulheres atendidas pela estratégia de Saúde da Família no Maranhão / Prevalence and factors associated with anaemia in women children served by the Family Health Strategy in Maranhão
São Paulo; s.n; 2013. 90 p.
Tese em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-65863
Biblioteca responsável: BR67.1
Localização: BR67.1; DR, 1128. 54412/2013. CM
ABSTRACT
Introdução - A anemia é considerada um dos maiores problemas de saúde pública da atualidade, afetando as populações de quase todos os países, sobretudo aqueles onde predominam padrões dietéticos deficientes e fatores ambientais adversos. Objetivo - Investigar a prevalência e os fatores associados à anemia em crianças menores de cinco anos e mulheres em idade reprodutiva entre a população atendida pela Estratégia da Saúde da Família (ESF), no estado do Maranhão. Métodos Foi realizado um estudo de corte transversal de base populacional. A amostra se constitui de 978 crianças de seis a 59 meses e 978 mulheres de 15 a 49 anos de idade cadastradas na ESF em 21 municípios escolhidos por sorteio sistemático probabilístico entre as quatro macrorregiões e capital do Estado. A coleta de dados foi realizada em entrevistas domiciliares por meio de questionário aplicado junto às mães ou responsáveis pelas crianças, contendo informações sobre a situação socioeconômica e demográfica e de segurança alimentar da família, e das condições de saúde das mulheres e das crianças. Foram medidos peso e altura, para avaliação do estado nutricional e feita a dosagem da concentração de hemoglobina do sangue capilar com leitura imediata pelo hemoglobinômetro portátil Agabe®. A associação entre a anemia e as variáveis foi verificada primeiramente por análise bivariada e posteriormente por regressão de Poisson, segundo modelo hierarquizado. Resultados A prevalência média de anemia entre as mulheres foi de 36, por cento para o estado do Maranhão e 55,1 por cento para a capital, São Luís. Entre as crianças, a prevalência também foi mais elevada na capital (68,7 por cento ) em relação ao estado como um todo (51,6 por cento ). Tanto as mulheres como as crianças apresentaram prevalências mais elevadas na área urbana. O grupo de 6-23 meses de idade foi mais afetado pelo problema (65 por cento ) do que o de 24-59 meses (42 por cento ), assim como aquele cujas mães também apresentavam anemia (63,6 por cento ). A análise de regressão identificou como fatores de risco para a anemia em crianças ter idade inferior a dois anos, presença de anemia materna, coabitação de três ou mais crianças menores de cinco anos no domicílio e residir na capital do estado. Para as mulheres os fatores de risco associados à anemia foram morar na capital e estar acima do peso. Conclusões As elevadas prevalências de anemia encontradas em crianças e mulheres no Maranhão a configuram como um problema de saúde pública
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Saúde da Criança / Saúde da Mulher / Medicina Reprodutiva / Anemia Tipo de estudo: Estudo de incidência / Estudo observacional / Estudo de prevalência / Estudo de rastreamento Limite: Adolescente / Adulto / Criança, pré-escolar / Feminino / Humanos País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Ano de publicação: 2013 Tipo de documento: Tese
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Saúde da Criança / Saúde da Mulher / Medicina Reprodutiva / Anemia Tipo de estudo: Estudo de incidência / Estudo observacional / Estudo de prevalência / Estudo de rastreamento Limite: Adolescente / Adulto / Criança, pré-escolar / Feminino / Humanos País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Ano de publicação: 2013 Tipo de documento: Tese
...