Your browser doesn't support javascript.
Bullying nas escolas brasileiras: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), 2009 / Bullying in Brazilian schools: results from the National School-based Health Survey (PeNSE), 2009
Ciênc. saúde coletiva ; 15(supl.2): 3065-3076, out. 2010. graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-562849
Biblioteca responsável: BR1.1
RESUMO
O objetivo deste estudo é identificar e descrever a ocorrência do bullying, episódios de humilhação ou provocação perpetrados pelos colegas da escola, entre estudantes do 9º ano do ensino fundamental de escolas públicas e privadas das 26 capitais dos estados brasileiros e do Distrito Federal. Trata-se de estudo transversal feito com 60.973 escolares de 1.453 escolas públicas e privadas. A análise dos dados aponta que 5,4 por cento (IC95 por cento 5,1 por cento-5,7 por cento) dos estudantes relataram ter sofrido bullying quase sempre ou sempre nos últimos 30 dias; 25,4 por cento (IC95 por cento 24,8 por cento-26,0 por cento) foram raramente ou às vezes vítimas de bullying e 69,2 por cento (IC95 por cento 68,5 por cento-69,8 por cento) não sentiram nenhuma humilhação ou provocação (bullying). A capital com maior frequência de foi Belo Horizonte-MG (6,9 por cento; IC95 por cento 5,9 por cento-7,9) e a menor foi Palmas-TO (3,5 por cento; IC95 por cento 2,6 por cento-4,5 por cento). Meninos relatam mais bullying (6,0 por cento; IC95 por cento 5,5 por cento-6,5 por cento) do que meninas (4,8 por cento; IC95 por cento 4,4 por cento-5,3 por cento). Não houve diferença entre escolas públicas (5,5 por cento; IC95 por cento 5,1 por cento-5,8 por cento) e privadas (5,2 por cento; IC95 por cento 4,6 por cento-5,8 por cento), exceto em Aracaju-SE, onde foi registrada maior ocorrência de bullying em escolas privadas. Os dados mostram urgente necessidade de ações intersetoriais a partir de políticas e práticas educativas que efetivem redução e prevenção da ocorrência do bullying nas escolas.
ABSTRACT
The aim of this study is to identify and describe the occurrence of bullying among students in the 9th year (8th grade) from public and private schools from 26 Brazilian state capitals and the Federal District. It is a cross-sectional study involving 60,973 students and 1,453 public and private schools. Data analysis indicates that 5.4 percent (IC95 percent 5.1 percent-5.7 percent) of students reported having suffered bullying almost always or always in the last 30 days, 25.4 percent (IC95 percent 24.8 percent-26.0 percent) were rarely or sometimes the victim of bullying and 69.2 percent (IC95 percent 68.5 percent-69.8 percent) of students felt no humiliation or provocation at school. The capital with higher frequency of bullying was Belo Horizonte (6.9 percent; IC95 percent 5,9 percent-7,9 percent), Minas Gerais, and the lowest was Palmas (3.5 percent; IC95 percent 2.6 percent-4.5 percent), Tocantins. Boys reported more bullying (6,0 percent; IC95 percent 5.5 percent-6.5 percent) compared with girls (4,8 percent; IC95 percent 4.4 percent-5.3 percent). There was no difference between public schools 5.5 percent (IC95 percent 5.1 percent-5.8 percent) and private (5.2 percent) (IC95 percent 4.6 percent-5.8 percent), except in Aracaju, Sergipe, that show more bullying in private schools. The findings indicate an urgent need for intersectoral action from educational policies and practices that enforce the reduction and prevention of the occurrence of bullying in schools in Brazil.
Assuntos

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Bullying Limite: Adolescente / Feminino / Humanos / Masculino País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Inglês Revista: Ciênc. saúde coletiva Ano de publicação: 2010 Tipo de documento: Artigo