Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 256
Filtrar
1.
Multimedia | Recursos Multimídia | ID: multimedia-9607

RESUMO

Comida de Verdade - Aula 4: Como posso comer comida de verdade sem gastar mais? Não basta procurar o mercado que tem a melhor promoção. Para cuidar da economia doméstica, você precisa ir além da lista de compras. Pode, por exemplo, ficar de olho nas frutas, legumes e hortaliças da estação. E deve – sempre, sempre, sempre – pensar em como reaproveitar os ingredientes e os preparos. Nós temos uma boa tática para isso nesta aula.


Assuntos
Alimentos Integrais/economia , Economia dos Alimentos , Alimentos Orgânicos/economia , Planejamento de Cardápio/economia
2.
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1390030

RESUMO

ABSTRACT OBJECTIVE To evaluate the trend of household food acquisition according to the NOVA classification in Brazil between 1987-1988 and 2017-2018. METHODS We used household food acquisition data from five editions of the Pesquisas de Orçamentos Familiares (Household Budget Surveys), conducted by the Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Brazilian Institute of Geography and Statistics), in the years 1987-1988, 1995-1996, 2002-2003, 2008-2009, and 2017-2018. All reported foods were categorized according to the NOVA classification. The household availability of food groups and subgroups was expressed through their share (%) in total calories, for all Brazilian families, by household situation (urban or rural), for each of the five geographic regions of the country, by fifths of the household income per capita distribution (2002-2003, 2008-2009 and 2017-2018 surveys), and for the 11 main urban regions of the country (1987-1988, 1995-1996, 2002-2003, 2008-2009 and 2017-2018 surveys). Linear regression models were used to assess the trend of increasing or decreasing food purchases. RESULTS The diet of the Brazilian population is still composed predominantly of foods in natura or minimally processed and processed culinary ingredients. However, our findings point to trends of increasing share of ultra-processed foods in the diet. This increase of 0.4 percentage points per year between 2002 and 2009 slowed down to 0.2 percentage points between 2008 and 2018. The consumption of ultra-processed food was higher among households with higher income, in the South and Southeast regions, in urban areas, and in metropolitan regions. CONCLUSION Our results indicate an increase in the share of ultra-processed foods in the diet of Brazilians. This is a worrisome scenario, since the consumption of such foods is associated with the development of diseases and the loss of nutritional quality of the diet.


RESUMO OBJETIVO Avaliar a tendência da aquisição domiciliar de alimentos de acordo com a classificação NOVA no Brasil entre 1987-1988 e 2017-2018. MÉTODOS Foram utilizados dados de aquisição domiciliar de alimentos provenientes de cinco edições da Pesquisas de Orçamentos Familiares, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, nos anos 1987-1988, 1995-1996, 2002-2003, 2008-2009 e 2017-2018. Todos os alimentos reportados foram categorizados segundo a classificação NOVA. A disponibilidade domiciliar dos grupos e subgrupos de alimentos foi expressa por meio de sua participação (%) nas calorias totais, para o conjunto das famílias brasileiras, por situação do domicílio (urbana ou rural), para cada uma das cinco regiões geográficas do país, por quintos da distribuição de renda domiciliar per capita (inquéritos de 2002-2003, 2008-2009 e 2017-2018); e para as 11 principais regiões urbanas do país (inquéritos de 1987-1988, 1995-1996, 2002-2003, 2008-2009 e 2017-2018). Modelos de regressão linear foram utilizados para avaliar a tendência de aumento ou diminuição na aquisição dos alimentos. RESULTADOS A dieta da população brasileira ainda é composta predominantemente por alimentos in natura e minimamente processados e ingredientes culinários processados. No entanto, nossos achados apontam tendências de aumento da participação de alimentos ultraprocessados na dieta. Esse aumento que foi de 0,4 pontos percentuais ao ano na primeira porção do período estudado, entre 2002 e 2009, e desacelerou para 0,2 pontos percentuais entre 2008 e 2018. O consumo de alimentos ultraprocessados foi maior entres os domicílios de maior renda, nas regiões Sul e Sudeste, na área urbana, e nas regiões metropolitanas. CONCLUSÃO Os resultados do presente estudo apontam um aumento na participação de alimentos ultraprocessados na dieta dos brasileiros. Cenário preocupante, uma vez que o consumo de tais alimentos está associado ao desenvolvimento de doenças e à perda da qualidade nutricional da dieta.


Assuntos
Fatores Socioeconômicos , Economia dos Alimentos , Brasil , Alimentos Industrializados , Alimentos, Dieta e Nutrição , Alimentos in natura
3.
Rev. esp. nutr. comunitaria ; 27(1): 1-6, 2021.
Artigo em Espanhol | IBECS | ID: ibc-220186

RESUMO

Fundamentos: Los hábitos de vida, influenciados por factores socioeconómicos y culturales, se relacionan con la etiologíade enfermedades cuyo factor de riesgo es una alimentación poco saludable. La dieta es un elemento clave entre los elementos modificables. La observación participante empleada en esta investigación favorece el conocimiento real de la comunidad.El objetivo de este estudio ha sido observar la influencia de los determinantes sociales sobre los hábitos de compra de productos alimenticios en supermercados de dos barrios urbanos de Gijón de distinto nivel socioeconómico. Métodos: Se realizó una observación participante bajo unenfoque etnográfico en dos barrios con diferente nivel socioeconómico.Resultados: La población que acudió al supermercado en el barrio de nivel socioeconómico más alto era mayoritariamente femenina, realizaban la compra en familia o pareja, observaronetiquetados nutricionales y presentaron tendencias de consumo más saludables. En cambio, en el barrio con el nivelsocioeconómico más bajo, se observó mayor consumo de productos no saludables, compras individuales y mayor gestión de la economía. Conclusiones: El abordaje de los problemas de salud asociados a la alimentación debe realizarse desde una práctica de salud pública que abarque estrategias de educación, género,económicas y legislativas para poder afrontar el problema de forma integral. (AU)


Background: Life habits are related to the etiology of some diseases whose risk factor is an unhealthy diet and are highly influenced by socio-economic and cultural factors. Diet is a key element among the modificable risk factors. Participant observation used in this investigation favors the real knowledge of the study community. The objective of this study is to observe the influence of social determinants on the purchasing habits of food products in supermarkets in two urban neighborhoods of Gijón with different socioeconomic status. Methods: A participative observation was made under an ethnographic approach in two neighbourhoods with different socio-economic levels. Results: The population that went to the supermarket in the neighborhood with the highest socioeconomic level was mainly female, made the purchase in family or couple,observed nutritional labels and presented healthier consumption trends. In contrast, in the neighborhood with the lowest socioeconomic level, a higher consumption of unhealthy products was observed, as well as individual purchase and greater management on the economy (shopping list). Conclusions: Addressing health problems associated with diet must be carried out from a public health practice that encompasses educational, gender, economic and legislative strategies to be able to approach the problem in an integralway. (AU)


Assuntos
Humanos , Fatores Socioeconômicos , Dieta Saudável/etnologia , Economia dos Alimentos , Abastecimento de Alimentos , Espanha
4.
Buenos Aires; s.n; 2021. 15 p.
Não convencional em Espanhol | InstitutionalDB, BINACIS, UNISALUD | ID: biblio-1291921

RESUMO

El presente informe tiene como propósito dar cuenta del trabajo realizado y los aprendizajes alcanzados durante el desarrollo de la rotación de elección libre. La misma ha sido llevada a cabo entre el 1 de marzo y el 31 de marzo de 2021 en el Programa Pro-Huerta, dependiente de la Agencia de Extensión Rural (AER) Junín del Instituto Nacional de Tecnología Agropecuaria (INTA). En las siguientes páginas se presentará la sede de rotación y la fundamentación relativa a la relevancia de la elección de la misma. Asimismo, se explicitarán los objetivos propuestos y las actividades desarrolladas a lo largo del mencionado período. Finalmente, se presentará una reflexión a partir de los aprendizajes logrados y los aportes que se intentó realizar tanto desde el campo de la nutrición y la soberanía alimentaria como desde la Educación y Promoción de la Salud. (AU)


Assuntos
Economia dos Alimentos , Política Nutricional , Indústria Agropecuária/métodos , Indústria Agropecuária/políticas , Agricultura Orgânica/métodos , Agricultura Orgânica/organização & administração , Internato e Residência/métodos , Internato e Residência/tendências , Internato não Médico/métodos , Internato não Médico/tendências
6.
J. negat. no posit. results ; 5(11): 1390-1425, nov. 2020. ilus, tab, graf
Artigo em Espanhol | IBECS | ID: ibc-201157

RESUMO

INTRODUCCIÓN: En ocasiones se ha relacionado el precio de los alimentos con su calidad nutritiva, de forma que los alimentos de menor valor nutritivo resultan los más baratos. Así, la alta disponibilidad de alimentos de bajo coste, podría ser un factor a considerar entre los responsables del aumento de la frecuencia de la obesidad que se observa. OBJETIVO: Realizar una comparativa económica entre el coste de una dieta saludable y otra no saludable. MÉTODO: Estudio descriptivo, transversal. Muestra constituida por 15 sujetos entre 18 y 57 años. Se recogieron los hábitos alimentarios de 3 días, mediante recordatorio de 24 horas y diario dietético. El criterio de dietas saludables o no, se estableció en función de la Guía Alimentaria SENC de diciembre de 2016. Se realizó un cálculo económico del coste diario de la cesta de la compra, un análisis de la media de 3 días del coste de la cesta de la compra y el coste de las comidas realizadas fuera del hogar. Se compararon los costes de la cesta de la compra de quienes tenían una Dieta Saludable y No Saludable. También se tuvo en cuenta en el estudio el IMC de los sujetos. RESULTADOS: Los resultados obtenidos confirman que es más económica una dieta saludable que una no saludable, y que el IMC no tiene una correlación directa y exclusiva con el hecho de seguir una dieta de mayor o menor calidad nutricional. CONCLUSIONES: Si consideramos que el factor económico no es uno de los factores más importante en el hecho de llevar unas pautas nutricionales saludables, sería interesante un estudio posterior con una muestra más amplia y una actuación educativo-nutricional para dar herramientas a la población que les posibilite unas elecciones más adecuadas de alimentos y mayor implicación personal en tiempo, conocimiento de técnicas, etc., más allá del aspecto puramente económico


INTRODUCTION: Occasionally, the price of food has been linked to its nutritional quality so that foods with lower nutritional value are the cheapest. Thus, the high availability of low-priced food could be a factor to consider among the ones responsible for the increased frequency of obesity that is now been observed. OBJECTIVE: The main objective of this study was to make an economic comparison between the cost of healthy eating vs unhealthy eating. METHODS: A cross-sectional descriptive study. The sample was made up of 15 individuals aged 18-57. Eating habits were collected for 3 days via 24- hour dietary recall and diet diary. The criteria for a healthy or unhealthy diet was stablished according to the SENC Food Guidance- December 2016. Daily cost of shopping basket, analysis of the average shopping basket for three days and the cost of food eating outside were made. The cost of shopping basket was compared between healthy and unhealthy eaters. The BMI was also considered in this study. RESULTS: The results obtained confirm that a healthy diet is cheaper than an unhealthy one and that there is not direct and exclusive correlation between the BMI and healthy or unhealthy eating. CONCLUSIONS: If we consider that the economic factor is the most important one regarding healthy eating patterns, further study based on a wider simple and an educational-nutritional intervention would be interesting in order to provide individuals with tools to make possible the most adequate election of the food and a greater personal involvement in time, technical knowledge, etc. beyond the economic aspect


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Dieta Saudável/economia , Sobrepeso/epidemiologia , Obesidade/epidemiologia , Comportamento Alimentar/classificação , 50303 , Economia dos Alimentos , Inquéritos Nutricionais/estatística & dados numéricos , Recomendações Nutricionais
7.
Rev. esp. nutr. comunitaria ; 26(1): 0-0, ene.-mar. 2020. tab, graf
Artigo em Espanhol | IBECS | ID: ibc-193830

RESUMO

FUNDAMENTOS: La ingesta del insecto Sphenarium Purpurascens Charpentier (SPC) prevalece en Oaxaca, pero crece su acceso como mercancía. El objetivo del estudio fue evaluar el acceso económico a SPC en un contexto de urbanización. MÉTODOS: Estudio transversal observacional. Se determinó la ración neta estándar (RNE) de SPC ingerida por día, precio y aporte nutricio mediante encuesta probabilística y análisis proximal. Para evaluar acceso económico, se comparó ante un mismo equivalente monetario el rendimiento en proteínas y energía de SPC con otros alimentos ofertados localmente, cuyos precios y aporte nutricio se obtuvieron por encuesta y tablas nutrimentales. También se determinó costo de oportunidad de SPC respecto a tales alimentos. RESULTADOS: La RNE de SPC es 39,2 g, cuesta en promedio 12,5 pesos mexicanos (MXN) equivalentes a 58,2 minutos de trabajo estándar; contiene 16,2 g de proteínas, 1,5 g de lípidos y 109 kilocalorías. La carne bovina presentó rendimiento nutricional similar a SPC. Los demás alimentos tuvieron rendimientos nutricionales y costos de oportunidad en proteínas, superiores; salvo filete de pescado y camarón. CONCLUSIONES: En la localidad estudiada, el acceso económico a SPC es restringido. Su proceso artesanal implica más trabajo y precio, comparado con alimentos de producción industrial


BACKGROUND: The intake of Sphenarium Purpurascens Charpentier (SPC) prevails in Oaxaca, although its access as merchandise grows. The aim was to evaluate the economic access to SPC in an urbanization context. METHODS: Cross-sectional and observational design. The standard net portion (SNP) of SPC ingested by day, its price and nutritional content was determined by probabilistic survey and proximal analysis. To assess the economic access, per monetary unit, yields of protein an energy from SPC and other locally offered foods were compared. Prices and nutrition facts of these foods were obtained by survey and nutrition tables Also was determined the opportunity costs of buying SPC respect those mentioned foods. RESULTS: The SPC is 39.2 g, costs an average of 12.5 MXN, equivalent to 58.2 minutes of standard work, and contains 16.2 g of protein, 1.5 g of lipids and 109 kilocalories. The beef of cattle has nutritional yields similar to SPC. The other foods have higher nutritional yields and buy SPC implies opportunity costs in proteins, except respect fish fillet and shrimp. CONCLUSIONS: SPC has less economic access in the studied locality. Its collection and preparation implies more work and greater price, than industrial production foods


Assuntos
Humanos , Proteínas de Insetos/economia , Economia dos Alimentos , Abastecimento de Alimentos/economia , México/epidemiologia , Estudos Transversais
8.
Santiago; FAO; 2019-11-12.
em Espanhol | PAHO-IRIS | ID: phr-51685

RESUMO

Por segundo año consecutivo, cuatro organismos del sistema de las Naciones Unidas –la Organización de las Naciones Unidas para la Alimentación y la Agricultura (FAO), la Organización Panamericana de la Salud/Organización Mundial de la Salud (OPS/OMS), el Fondo de las Naciones Unidas para la Infancia (UNICEF) y el Programa Mundial de Alimentos (WFP)– nos hemos unido para publicar este informe. Esta edición del Panorama de la seguridad alimentaria y nutricional en América Latina y el Caribe 2019, presenta un análisis basado en los entornos alimentarios, entendidos como los espacios de interacción entre las personas y las condiciones físicas, económicas, políticas y socioculturales que inf luyen en la manera que adquieren, preparan y consumen alimentos. Las características de los entornos alimentarios son fundamentales para explicar todas las formas de malnutrición que afectan a América Latina y el Caribe. Por ejemplo, la alta desigualdad social y económica en nuestra región, se ref leja en las dificultades que sufren los grupos de población en situación de vulnerabilidad, entre otros, los niños y las niñas, las, mujeres y los grupos étnicos, para acceder física y económicamente a una dieta saludable.


Assuntos
Desenvolvimento Sustentável , Segurança Alimentar , Programas e Políticas de Nutrição e Alimentação , Ingestão de Alimentos , Estilo de Vida Saudável , Dieta Saudável , Mortalidade Materna , Mortalidade Prematura , Doenças não Transmissíveis , Economia dos Alimentos , América
11.
Diaeta (B. Aires) ; 36(162): 11-20, ene.-mar. 2018. graf
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-907598

RESUMO

Introducción. Los estudios de evaluación dietética proporcionan información sobre la situación de la ingesta de alimentos y nutrientes por comparación con valores de referencia. El objetivo del estudio fue describir el comportamiento del consumo alimentario de un grupo de individuos sanos del Área Metropolitana de Caracas - Venezuela durante el primer trimestre del año 2013.Materiales y método. El grupo de estudio estuvo constituido por 60 individuos sanos de ambos sexos, con edades entre 18 y 59 años. Se realizaron 3 recordatorios de ingesta y se identificaron algunas conductas alimentarias. Resultados. Entre los principales resultados, se destacan que el 60% pertenece al sexo femenino y 57% se ubica en estrato socioeconómico II. El aporte calórico promedio fue de 1855 ± 664 Kcal/día y la dieta en general se consideró hiperproteica, normograsa e hipoglucídica en el 71,7%, 51,7% y 75,0% del grupo, respectivamente. Se conoció que el aceite para aderezar es principalmente oliva mientras que para cocinar utilizan otros aceites vegetales. El 45% consume frituras de 1-3 veces por semana y el 52% de los evaluados nunca agrega sal de mesa a sus comidas. Conclusión. Los resultados obtenidos reflejan que se trata de un grupo con apego a algunas prácticas de alimentación saludable; no obstante, presenta debilidades en la calidad nutricional de la dieta. Se evidencia la necesidad de intervención en materia de información y educación nutricional con miras a diversificar la dieta diaria y elevar la calidad nutricional de la alimentación habitual.


Assuntos
Adulto , Adulto Jovem , Pessoa de Meia-Idade , Dieta , Ingestão de Alimentos , Economia dos Alimentos , Venezuela
12.
Hig. aliment ; 31(266/267): 22-26, 30/04/2017. tab
Artigo em Português | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1481857

RESUMO

Em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) controlar o desperdício é um fator extremamente relevante, pois se trata de uma questão não somente ética, mas também econômica. O critério utilizado para avaliar os restos provenientes dos pratos e/ou bandejas dos consumidores é o índice de resto-ingestão (RI). O presente trabalho buscou avaliar o índice de resto-ingestão dos alimentos em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) na cidade de Januária, MG, verificando a ocorrência de desperdício na forma de sobras de alimentos. Para avaliar o índice de resto-ingestão foi realizada a pesagem dos restos das refeições que foram servidas aos comensais e devolvidas pelos mesmos após o término da refeição. Apesar do RI da Unidade estar regular (5,48%) de acordo com a literatura, a quantidade de alimentos desprezados foi muito grande (19,08%) e poderia alimentar um elevado número de pessoas que não tem acesso a uma alimentação adequada, afetando os recursos naturais e fomentando o desperdício alimentar.


In a Food and Nutrition Units the control the waste is an extremely important factor, because it is a question not only ethical but also economic. The criteria used to assess the remains from the plates and/or trays of consumers is the rest-ingestion rate. This study aimed to evaluate the content of rest-ingestion of food in a Food and Nutrition Unit in the city of Januária-MG by checking the occurrence of loss in the form of scraps food. To evaluate the rest-ingestion rate weighing was carried out of the meals that were served to diners and returned by them after the meal. Despite the rest-ingestion rate of the unit is regular according to the literature, the amount of discarded food was very large and could feed a large number of people who do not have access to adequate food, affecting natural resources and promoting food waste.


Assuntos
24454 , Economia dos Alimentos/normas , Serviços de Alimentação/normas , Brasil , Ingestão de Alimentos/normas , Planejamento de Cardápio/métodos , Refeições
13.
Hig. aliment ; 31(266/267): 22-26, 30/04/2017.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-833306

RESUMO

Em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) controlar o desperdício é um fator extremamente relevante, pois se trata de uma questão não somente ética, mas também econômica. O critério utilizado para avaliar os restos provenientes dos pratos e/ou bandejas dos consumidores é o índice de resto-ingestão (RI). O presente trabalho buscou avaliar o índice de resto- -ingestão dos alimentos em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) na cidade de Januária, MG, verificando a ocorrência de desperdício na forma de sobras de alimentos. Para avaliar o índice de resto-ingestão foi realizada a pesagem dos restos das refeições que foram servidas aos comensais e devolvidas pelos mesmos após o término da refeição. Apesar do RI da Unidade estar regular (5,48%) de acordo com a literatura, a quantidade de alimentos desprezados foi muito grande (19,08%) e poderia alimentar um elevado número de pessoas que não tem acesso a uma alimentação adequada, afetando os recursos naturais e fomentando o desperdício alimentar.


Assuntos
Humanos , Economia dos Alimentos/normas , Serviços de Alimentação/normas , Brasil , /normas , Refeições , Planejamento de Cardápio/métodos
14.
Hig. aliment ; 30(254/255): 26-31, 30/04/2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-827310

RESUMO

Na sociedade moderna, as extensas jornadas de trabalho e a dificuldade de deslocamento têm contribuído para o aumento da realização das refeições fora de casa e por isso observa-se um grande crescimento dos estabelecimentos produtores de refeições coletivas, como as Unidades de Alimentação e Nutrição (UANs). No entanto, o crescimento dessas empresas pode gerar um impacto ambiental muito grande, se não gerenciadas de maneira adequada. O tema da sustentabilidade desponta como um assunto atual e importante dentro desse panorama, pois foca numa perspectiva de não comprometer os recursos naturais e as necessidades dos cidadãos no futuro. Para tanto, estratégias eficazes devem ser aplicadas a fim de proporcionar um ambiente sustentável, e é o Nutricionista o profissional adequado que vai elaborar e aplicar tais estratégias dentro das UANs sem comprometer o bom funcionamento das mesmas.


Assuntos
Humanos , Economia dos Alimentos , Serviços de Alimentação/organização & administração , Planejamento de Cardápio , Gerenciamento de Resíduos , Nutricionistas/tendências
15.
Rev. chil. nutr ; 43(1): 75-80, mar. 2016. ilus
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-787096

RESUMO

Wild edible mushrooms (WEM) have high economic and culi-nary value, due to their nutritional and medical properties. They are regarded as functional foods, as well as of the nutritional properties that they have, it has been shown to have beneficial health effects and may be used in the prevention or treatment of diseases. It's therapeutic action is attributed to the bioactive compounds that they have in their fruiting bodies. Although, globally, it has only been studied for 6% of the fungal diversity There is a wide range of WEM which can be consumed safely and that can be exploited for the development food products, therefore it is necessary to promote future researches with WEM to reveal more Information about their health benefits, because currently available information is still scanty. In this paper the importance of studying the WEM were described, the physical and chemical characteristics and the bioactive compounds of the mostpopular genus of mushroom in the food area were also described in order to know their nutritional and therapeutic benefits, eliminate false beliefs around them and encourage consumption.


Los hongos comestibles silvestres (HCS) tienen un alto valor económico y gastronómico, debido a sus propiedades nutricionales y medicinales. Son considerados como alimentos funcionales, pues además de sus propiedades nutricionales, se ha demostrado efectos benéficos para la salud que pueden ser utilizados en la prevención o tratamiento de enfermedades. Su acción terapéutica es atribuida a los compuestos bioactivos que poseen en sus cuerpos fructíferos. A nivel mundial, sólo se ha estudiado 6% de la diversidad fúngica; existe una amplia gama de HCS que pueden ser consumidos con seguridad y que pueden ser aprovechados para el desarrollo de productos alimenticios, por lo tanto es necesario impulsar futuras investigaciones que revelen mayor información sobre sus propiedades nutricionales y beneficios para la salud, ya que actualmente la información disponible aun es escasa. En el presente artículo se describe la importancia del estudio de estos vegetales, y se detallan las características físicas, químicas y los principios activos de algunos de los géneros de hongos más populares en el ámbito alimenticio con el fin de dar a conocer sus beneficios nutricionales y terapéuticos, así como de eliminar las falsas creencias entorno a ellos.


Assuntos
Humanos , Terapêutica , Agaricales , Alimento Funcional , Valor Nutritivo , Economia dos Alimentos
16.
Hig. aliment ; 30(252/253): 33-37, 29/02/2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-846564

RESUMO

Uma refeição balanceada em Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) é fundamental no que diz respeito à saúde e à produtividade do trabalhador, além de evitar riscos de acidentes de trabalho. Assim como a produtividade do trabalho, o desperdício e os custos despendidos na produção de refeições são parâmetros importantes que norteiam escolhas e decisões. Diante desse contexto, este trabalho consistiu em avaliar o cardápio de uma UAN hospitalar quanto às normas do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), custos e desperdício de alimentos. Tratou-se de um estudo transversal, descritivo e quantitativo, desenvolvido em uma UAN hospitalar em Fortaleza - CE. Foram analisados 5 cardápios de almoço de acordo com os parâmetros do PAT; o desperdício foi avaliado através do resto e rendimento médio das preparações, enquanto os custos foram calculados a partir dos valores de compra obtidos das notas fiscais de gêneros alimentícios da unidade estudada. Verificou-se que o total de calorias esteve bem acima do recomendado pelo PAT, assim como os valores de proteína, lipídeos, sódio, fibras e Ndpcal, por outro lado, a quantidade de carboidratos apresentou-se inferior e as de gordura saturadas foram as que mais se aproximaram dos valores de referência do programa. Em relação ao custo e desperdício, foi observado que os valores encontrados estão dentro do recomendado.


Assuntos
Humanos , Serviço Hospitalar de Nutrição/normas , Planejamento de Cardápio/economia , Economia dos Alimentos , Brasil , Alimentação Coletiva , Análise de Alimentos , Planejamento de Cardápio/normas
17.
Rio de Janeiro; s.n; 2016. 117 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-870405

RESUMO

A crescente prevalência de excesso de peso em crianças é um dos principais problemas atuais de saúde pública. Seus determinantes são complexos, e envolvem múltiplos níveis, do indivíduo ao microambiente; do complexo agroindustrial às políticas públicas; do nível socioeconômico ao capital social. A complexidade evidente do problema nos conduziu a uma abordagem sistêmica com o objetivo de entender as relações entre esses diversos componentes. Com base na concepção desse modelo teórico sistêmico, o estudo analisa os dados de uma coorte de crianças, moradoras de Manguinhos, uma comunidade carente localizada na Zona Norte do município do Rio de Janeiro, que teve início em 2004, com seguimentos em 2008 e 2012. Na presente tese foram incluídas as crianças entre 5 e 9 anos de idade, pré-púberes. O tema foi analisado sob dois enfoques: da economia e das ciências sociais, tendo gerado dois artigos. No primeiro artigo comparou-se o gasto efetuado com a alimentação da criança com o preço de uma alimentação saudável, usando alimentos comumente consumidos pelo grupo estudado. Observou-se alto dispêndio com produtos ultra processados, determinantes do excesso de peso, e um valor total maior que a estimativa do custo com uma alimentação de acordo com o Guia Alimentar para População Brasileira. Os ultraprocessados, mesmo tendo baixo preço unitário são consumidos em grandes quantidades, o que eleva o gasto das famílias. No segundo artigo, que associa a autoimagem corporal com o IMC, verificou-se que a criança com sobrepeso se vê menor quando comparada ao IMC observado. Esta percepção da sua imagem corporal pode ser resultado de um padrão estabelecido culturalmente no ambiente familiar e de vizinhança. Este padrão é possivelmente fruto de uma relação que associa corpo grande com status, ou seja, um componente de capital simbólico. Esse achado deve ser levado em consideração, levando-se em conta as intervenções individuais visando o controle da obesidade. Esses resultados sinalizam para o desenvolvimento de estratégias baseadas em um conhecimento sólido, não apenas do lado macrossocial, mas também do cotidiano das pessoas que vivem em regiões urbanas vulneráveis, tendo em vista que poderão fornecer apoio nesses locais onde a obesidade cresce.


The increasing prevalence of overweight in children is one of the main problems of public health. Its determinants are complex, involving multiplelevels, from the individual to the microenvironment; from the agroindustrial complex to public policies; from the socioeconomic position to the social capital. The obvious complexity of the problem led us to a systemic approachin order to understand the relationships among these various components. Based on this systemic theoretical model, the study analyzes data from acohort of children living in Manguinhos, a poor community in the north of the city of Rio de Janeiro, started in 2004, with follow-ups in 2008 and 2012. In this thesis, prepubescent children aged 5 to 9 years old were included. The subject was analyzed from two perspectives: coming from Economic and Social Studies, generating two articles. In the first article, we compared the expenditure with the child's food with the price of a healthy diet, based on food commonly consumed in the same group. There was a high expenditure on ultra-processed products, determinants of overweight, and a total value greater than the estimated cost of an adequate food, based on the Food Guide for the Brazilian population. The ultra-processed, even considering the low unit price, are consumed in large quantities, increasing the household spending. In the second article that associate the body image with the measured BMI, overweighted child see themselves smaller than the observed IMC. This body image perception can result from a culturally established pattern, basedon home and neighborhood environment. This pattern is possibly resultant of a relationship between large bodies with status, a symbolic capital aspect. This finding should be taken into account when considering the individual interventions to control obesity. These results point to the need to develop a solid knowledge-based strategies, not just the considering the macro social aspects, but also the everyday life of people in vulnerable urban areas, that could support intervention in these places where obesity grows.


Assuntos
Humanos , Pré-Escolar , Criança , Obesidade , Sobrepeso , Áreas de Pobreza , Nutrição da Criança , Economia dos Alimentos , Autoimagem
18.
Rev. bras. saúde matern. infant ; 15(4): 425-434, out.-dez. 2015. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, BVSAM | ID: lil-770024

RESUMO

To measure food expenditure for children living in a favela in Rio de Janeiro, and compare this expenditure to the cost of a healthy diet, based on local prices. Methods: panel study, with three collection dates – 2004, 2008 and 2012 – conducted in children (5 to 9 years old) in Manguinhos. Food prices were collected by way of a sample of local food stores in 2013 and deflated using indicators specific to food prices. Twenty-four hour diet recall, qualitative food frequency and the Brazilian food pyramid adequate for the age group were used to estimate the observed expenditure and the cost of a healthy diet. Results: in 2004, 49.2 percent of the families interviewed lived on less than US$1 per person/day and 9.7 percent in 2012.In the same period, the percentage of students eating free school meals dropped from 73 percent to 49 percent. Money spent on food was concentrated on sugary products (32.4 percent) and snacks (12.5 percent). The estimated monthly cost of a healthy diet (US$142) was lower than the observed expenditure (US$176). Conclusions: increased purchasing power has not led to healthier food choices. The common belief that poor people choose food based on prices was rejected by the present study. Other factors certainly play an important role in food purchasing decisions...


Mensurar os gastos com a alimentação de crianças moradoras de uma favela no Rio de Janeiro e comparar com os custos de uma dieta saudável, com base em preços praticados localmente. Métodos: estudo de painel, realizado em crianças, (5-9 anos), residentes em Manguinhos, com coletas em 2004, 2008, 2012. Os preços foram coletados em amostra de mercados locais em 2013, e deflacionados usando indicadores específicos de alimentos. Recordatório de 24 horas, frequência alimentar e pirâmide alimentar foram utilizadas na estimativa do gasto observado e custo da dieta saudável. Resultados: em 2004, 49,2 por cento das famílias entrevistadas vivia com menos de um US$1 por pessoa/dia, 9,7 por cento em 2012. A merenda escolar era consumida por 73 por cento e passou a 49 por cento. O gasto com alimentos concentrou- se em produtos açucarados (32,4 por cento) e lanches (12,5 por cento). O custo mensal estimado da dieta saudável (US$142) foi menor do que a despesa efetivamente observada (US$176). Conclusões: o aumento do poder de compra não levou a escolhas alimentares mais saudáveis. A crença comum de que as pessoas pobres escolhem alimentos com base nos preços foi rejeitada nesse estudo. Certamente outros fatores desempenham um papel importante nas decisões de compra de alimentos...


Assuntos
Humanos , Criança , Alimentos Infantis , Alimentos, Dieta e Nutrição , Ingestão de Alimentos , Economia dos Alimentos , Nutrição da Criança , Alimentação Escolar , Brasil , Comportamento Alimentar , Áreas de Pobreza
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...