Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 75
Filtrar
1.
Geriatr., Gerontol. Aging (Impr.) ; 11(4): 174-181, out.-dez. 2017.
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-876606

RESUMO

Objetivo: Avaliar efeitos do Tai Chi Chuan (TCC) na capacidade funcional (CF) e na qualidade de vida (QV) de homens idosos com baixa densidade mineral óssea (DMO). Método: Estudo quasi-experimental, controlado, cego, com 41 idosos (≥ 60 anos) divididos em dois grupos: grupo experimental ­ G1 (TCC; n = 20; 69,2 ± 6,2 anos) e grupo controle ­ G2 (controle; n = 21; 69,0 ± 5,7 anos). A DMO (coluna lombar e colo do fêmur) foi avaliada com raios-x de dupla energia (DEXA). Para aferir CF foram utilizados: testes de resistência aeróbia (RA); de força e flexibilidade de membros superiores e inferiores; de equilíbrio em condições estática, dinâmica e funcional; e de alcance funcional, assim como para risco de quedas. A QV foi pesquisada pelo questionário SF-36 (MOS 36 ltem Short-Form Health Survey). O G1 praticou TCC estilo Yang, com 24 movimentos por 12 semanas, 2 vezes por semana, em intensidade leve; o G2 não praticou atividade física orientada. Resultados: Praticantes de TCC apresentaram valores significativamente maiores em resistência aeróbia, em força de membros superiores e inferiores, e para equilíbrio dinâmico. Ao aferir a QV, surgiu significância para escore total, assim como para as dimensões de capacidade funcional, estado geral de saúde, vitalidade e saúde mental. Discussão: Constataram-se efeitos benéficos do TCC em CF e QV, o que agrega evidências à sua utilização em homens idosos com baixa DMO. Conclusão: O TCC é eficaz na melhora da CF e da QV em homens idosos com baixa DMO.


Objective: The purpose was to assess the effect of Tai Chi Chuan (TCC) on functional capacity (FC) and quality of life (QoL) in elderly men with low bone mineral density (BMD). Methods: This quasi-experimental, controlled blinded trial evaluated 41 senior men (≥ 60 years), divided into two groups: control group 1 ­ G1 (TCC; n = 20; 69.2 ± 6.2 years) and control group 2 ­ G2 (control; n = 21; 69.0 ± 5.7 years). The BMD (of lumbar spine and femur neck) was assessed by dual energy x-ray absorptiometry (DEXA). FC was assessed for aerobic endurance, for upper and lower limbs strength and flexibility, for static, dynamic and functional balance testes, and for risk of falls. QoL was assessed by the SF-36 questionnaire (MOS 36-item Short-Form Health Survey). G1 practiced the 24-form Yang style of TCC, for 12 weeks twice a week on low intensity; G2 did not practice oriented physical activity. Results: TCC practitioners had significantly higher scores for aerobic endurance, upper and lower limbs strength, and dynamic balance. In terms of QoL, values were significantly better in total score and aspects such as FC, general health, vitality, and mental health. DISCUSSION: TCC was proven beneficial to FC and QoL scores, which adds evidence for its practice by elderly men with low BMD. Conclusion: TCC training is effective in improving FC and QoL in elderly men with low BMD.


Assuntos
Humanos , Masculino , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Osteoporose , Qualidade de Vida , Idoso , Tai Chi Chuan , Ensaios Clínicos Controlados não Aleatórios como Assunto
2.
J. nurs. health ; 7(1): 78-88, Dec.2017.
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1029148

RESUMO

Objetivo: analisar a produção científica sobre as possíveis implicações da polimedicação em idososem tratamento de osteoporose. Métodos: revisão integrativa de literatura realizada por busca noPortal de Periódicos da CAPES abrangendo artigos publicados nos últimos cinco anos. Foram obtidos814 artigos e após a seleção foram incluídos nove estudos. Resultados: a polimedicação entre idososcom osteoporose aumentou o risco de quedas com consequentes fraturas, sobretudo devido ao uso demedicamentos ansiolíticos, hipnóticos, analgésicos opióides e com ação cardiovascular. Conclusão: apolimedicação em idosos em tratamento de osteoporose deve ser criteriosa, baseada no quadro clínicoe realizada quando os benefícios superarem os malefícios.


Objective: to analyze the scientific production on the possible implications of polypharmacy in theelderly in the treatment of osteoporosis. Methods: integrative review of literature conducted bysearching the Portal de Periódicos da CAPES covering articles published in the last five years. 814articles were obtained and nine studies were included after the selection. Results: polypharmacyamong elderly patients with osteoporosis increased the risk of falls with consequent fractures,mainly due to the use of anxiolytic drugs, hypnotics, opioid analgesics and cardiovascular action.Conclusion: polypharmacy in the elderly in the treatment of osteoporosis should be judicious, basedon the clinical picture and performed when the benefits outweigh the harm.


Objetivo: analizar la literatura científica sobre las posibles implicaciones de la polifarmacia en losancianos en el tratamiento de la osteoporosis. Métodos: revisión integradora de la literaturamirando el Portal de Periódicos da CAPES que cubre los artículos publicados en los últimos cinco años.Se obtuvieron 814 artículos y después de la selección se incluyeron nueve estudios. Resultados polifarmacia en los ancianos con osteoporosis aumenta el riesgo de caídas y fracturas resultantes,principalmente debido al consumo de ansiolíticos, hipnóticos, analgésicos opioides y la accióncardiovascular. Conclusión: la polifarmacia en personas de edad avanzada en el tratamiento de laosteoporosis deben tener cuidado, basado en clínica y lleva a cabo cuando los beneficios superan losdaños.


Assuntos
Humanos , Idoso , Osteoporose , Polimedicação
3.
Rev Paul Pediatr ; 35(2): 207-215, 2017.
Artigo em Português, Inglês | MEDLINE | ID: mdl-28977339

RESUMO

OBJECTIVE: To describe mechanisms by which glucocorticoids cause osteoporosis, with fracture risk, combining this learning with a possible professional behavior change. DATA SOURCES: A systematic search on SciELO, PubMed, Scopus, and Medline databases was carried out for consensus, review articles, including systematic reviews and meta-analysis, which were published in English, between 2000 and 2016. Keywords used on the search were the following: glucocorticoids, fractures, osteoporosis, bone health, vitamin D, children, and adolescents. DATA SYNTHESIS: The review was divided into four topics: 1) introduction, with a brief focus on pediatric fractures; 2) osteoporosis in children and adolescents, highlighting it as a silent cause of fractures; 3) glucocorticoids and secondary bone disease, describing deleterious mechanisms of this steroids group on bone structure; 4) molecular effects of glucocorticoids excess on bone, with details about the harmful mechanisms on bone molecular level. CONCLUSIONS: Glucocorticoids excess determines early bone disease, favoring the occurrence of fractures. Thus, a child or an adolescent who uses glucocorticoids, especially systemically and chronically, but also repeats cycles at high cumulative doses of the medication, needs care and guidance related to bone health at the onset of treatment. On the other hand, the presence of fractures, even if related to trauma, can be a sign of underlying and unknown bone fragility, which may be secondary to the use of glucocorticoids and/or vitamin D deficiency.


OBJETIVO: Descrever os mecanismos pelos quais os glicocorticoides provocam osteoporose, com risco consequente de fraturas, integrando esse conhecimento a uma possível mudança de conduta dos profissionais de saúde. FONTES DE DADOS: Foi realizada pesquisa aprofundada nas bases de dados (SciELO, PubMed, Medline e Scopus), buscando consensos, artigos de revisão, incluindo revisões sistemáticas e meta-análises, publicados em inglês, entre 2000 e 2016. As palavras-chaves utilizadas na busca foram glicocorticoides, esteroides, fraturas, osteoporose, saúde óssea, crianças e adolescentes. SÍNTESE DOS DADOS: A revisão foi dividida em quatro tópicos principais: 1) introdução, com breve enfoque nas fraturas em pediatria; 2) osteoporose em crianças e adolescentes, destacando-a como causa silenciosa de fraturas; 3) glicocorticoides e doença óssea secundária, com a descrição dos mecanismos deletérios desse grupo de esteroides na estrutura óssea; 4) efeitos moleculares do excesso de glicocorticoides no osso, com o detalhamento dos mecanismos nocivos a nível molecular do tecido ósseo. CONCLUSÕES: Os glicocorticoides em excesso determinam doença óssea precoce, favorecendo a ocorrência de fraturas. Dessa forma, uma criança ou adolescente que requer corticoterapia, sobretudo crônica e sistêmica, mas também em ciclos repetidos com doses cumulativas altas, necessita de cuidados e orientações relacionados à saúde óssea logo ao início do tratamento. Por outro lado, aqueles com fratura, mesmo entrelaçada a um trauma, podem sinalizar fragilidade óssea subjacente e desconhecida, incluindo a secundária ao uso de glicocorticoides e à deficiência de vitamina D.


Assuntos
Glucocorticoides/efeitos adversos , Osteoporose/induzido quimicamente , Adolescente , Doenças Ósseas/induzido quimicamente , Criança , Fraturas Espontâneas/induzido quimicamente , Humanos
4.
Rev Bras Reumatol Engl Ed ; 57 Suppl 2: 497-514, 2017.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-28800970

RESUMO

Osteoporosis, a metabolic disease characterized by low bone mass, deterioration of the bone tissue microarchitecture and increased susceptibility to fractures, is commonly regarded as a women's health problem. This point of view is based on the fact that compared with men, women have lower bone mineral density and longer lifespans and lose bone mass faster, especially after menopause, due to a marked decrease in serum estrogen levels. However, in the last 20 years, osteoporosis in men has become recognized as a public health problem due to the occurrence of an increasingly higher number of fragility fractures. Approximately 30% of all hip fractures occur in men. Recent studies show that the probability of fracture due to hip, vertebral or wrist fragility in Caucasian men older than fifty years, for the rest of their lives, is approximately 13% versus a 40% probability of fragility fractures in women. Men show bone mass loss and fractures later than women. Although older men have a higher risk of fracture, approximately half of all hip fractures occur before the age of 80. Life expectancy is increasing for both sexes in Brazil and worldwide, albeit at a higher rate for men than for women. This Guideline was based on a systematic review of the literature on the prevalence, etiology, diagnosis and treatment of osteoporosis in men.


Assuntos
Osteoporose/diagnóstico , Osteoporose/terapia , Absorciometria de Fóton , Adulto , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Brasil , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Reumatologia , Sociedades Médicas
5.
Rev. paul. pediatr ; 35(2): 207-215, abr.-jun. 2017. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-902839

RESUMO

RESUMO Objetivo: Descrever os mecanismos pelos quais os glicocorticoides provocam osteoporose, com risco consequente de fraturas, integrando esse conhecimento a uma possível mudança de conduta dos profissionais de saúde. Fontes de dados: Foi realizada pesquisa aprofundada nas bases de dados (SciELO, PubMed, Medline e Scopus), buscando consensos, artigos de revisão, incluindo revisões sistemáticas e meta-análises, publicados em inglês, entre 2000 e 2016. As palavras-chaves utilizadas na busca foram glicocorticoides, esteroides, fraturas, osteoporose, saúde óssea, crianças e adolescentes. Síntese dos dados: A revisão foi dividida em quatro tópicos principais: 1) introdução, com breve enfoque nas fraturas em pediatria; 2) osteoporose em crianças e adolescentes, destacando-a como causa silenciosa de fraturas; 3) glicocorticoides e doença óssea secundária, com a descrição dos mecanismos deletérios desse grupo de esteroides na estrutura óssea; 4) efeitos moleculares do excesso de glicocorticoides no osso, com o detalhamento dos mecanismos nocivos a nível molecular do tecido ósseo. Conclusões: Os glicocorticoides em excesso determinam doença óssea precoce, favorecendo a ocorrência de fraturas. Dessa forma, uma criança ou adolescente que requer corticoterapia, sobretudo crônica e sistêmica, mas também em ciclos repetidos com doses cumulativas altas, necessita de cuidados e orientações relacionados à saúde óssea logo ao início do tratamento. Por outro lado, aqueles com fratura, mesmo entrelaçada a um trauma, podem sinalizar fragilidade óssea subjacente e desconhecida, incluindo a secundária ao uso de glicocorticoides e à deficiência de vitamina D.


ABSTRACT Objective: To describe mechanisms by which glucocorticoids cause osteoporosis, with fracture risk, combining this learning with a possible professional behavior change. Data sources: A systematic search on SciELO, PubMed, Scopus, and Medline databases was carried out for consensus, review articles, including systematic reviews and meta-analysis, which were published in English, between 2000 and 2016. Keywords used on the search were the following: glucocorticoids, fractures, osteoporosis, bone health, vitamin D, children, and adolescents. Data synthesis: The review was divided into four topics: 1) introduction, with a brief focus on pediatric fractures; 2) osteoporosis in children and adolescents, highlighting it as a silent cause of fractures; 3) glucocorticoids and secondary bone disease, describing deleterious mechanisms of this steroids group on bone structure; 4) molecular effects of glucocorticoids excess on bone, with details about the harmful mechanisms on bone molecular level. Conclusions: Glucocorticoids excess determines early bone disease, favoring the occurrence of fractures. Thus, a child or an adolescent who uses glucocorticoids, especially systemically and chronically, but also repeats cycles at high cumulative doses of the medication, needs care and guidance related to bone health at the onset of treatment. On the other hand, the presence of fractures, even if related to trauma, can be a sign of underlying and unknown bone fragility, which may be secondary to the use of glucocorticoids and/or vitamin D deficiency.


Assuntos
Humanos , Criança , Adolescente , Osteoporose/induzido quimicamente , Glucocorticoides/efeitos adversos , Doenças Ósseas/induzido quimicamente , Fraturas Espontâneas/induzido quimicamente
7.
Periodontia ; 27(2): 7-16, 2017. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-847050

RESUMO

Introdução: Os bifosfonatos têm sido indicados para o tratamento de doenças do metabolismo ósseo. Atualmente, seu emprego terapêutico aumentou e, com ele, os efeitos adversos, dos quais um dos mais importantes é a indução da osteonecrose dos maxilares (BRONJ), uma complicação de difícil tratamento e solução. Objetivo: Identificar a prevalência e os possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de osteonecrose em pacientes tratados com bifosfonatos no HUCAM/UFES. Métodos: Foram realizados exames clínicos e análises de radiografias panorâmicas de pacientes em tratamento com bifosfonatos no HUCAM/UFES. Resultados: Foram examinadas 16 pacientes do gênero feminino, com idade entre 55 e 84 anos. Todas as pacientes tinham osteoporose, sendo que 87,5% ainda tinham outro comprometimento sistêmico. A doença periodontal foi o fator de risco de osteonecrose mais comum, presente em 56,25% pacientes. O bifosfonato mais utilizado pelas pacientes foi o alendronato sódico 70 mg, sendo utilizado por 87,5%. A administração do medicamento foi semanal e por via oral em todas as pacientes, com tempo de uso variável de 2 meses a 5,5 anos. Conclusão: Com o envelhecimento populacional e aumento do uso de bifosfonatos no tratamento de osteoporose é fundamental a identificação de usuários e fatores de risco existentes, para o tratamento não se constituir como risco em lugar do benefício. Mas não se observa esta conduta e para que seja estabelecida precisará haver a conscientização de todos os indivíduos envolvidos: médicos, dentistas e pacientes (AU)


Introduction: Bisphosphonates have been indicated for treating diseases of bone metabolism. Currently, its therapeutic use has increased and with it, the adverse effects, of which the most important is the induction of osteonecrosis of the jaw, is a complication of difficult treatment and solution. Objective: To identify the prevalence and possible risk factors for the development of osteonecrosis in patients treated with bisphosphonates in HUCAM/UFES. Methods: Clinical examinations were performed and analysis of panoramic radiographs of patients in treatment with bisphosphonates in HUCAM/UFES. Results: 16 female patients were examined, aged between 55 and 84 years old. All patients have osteoporosis, and 87.5% have other systemic involvement. Periodontal disease is a risk factor for osteonecrosis most commonly presented in patients 56.25%. The bisphosphonate used by most patients was 70 mg alendronate sodium, being used by 87.5%. Drug administration is weekly and is made for all patients orally. The bisphosphonate usage time ranged from 2 months to 5.5 years. Conclusion: Risk factors for development are found in most users patients. It is therefore important to drug users to identify and existing risk factors, especially in postmenopausal women for the treatment does not constitute a risk rather than benefit. (AU)


Assuntos
Humanos , Osteonecrose , Osteoporose , Difosfonatos , Mandíbula , Maxila
8.
Rev Bras Epidemiol ; 19(2): 294-306, 2016.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-27532753

RESUMO

INTRODUCTION: Osteoporosis is a multifactorial disease that predisposes individuals to suffer falls and fractures, causing functional impairment and a consequent reduction in quality of life. OBJECTIVE: To assess the prevalence and factors associated with self-reported osteoporosis in the elderly population living in Campinas, São Paulo, Brazil (ISACAMP 2008). METHODS: Cross-sectional study with a random sample taken by conglomerates in 2 stages totaling 1,419 elderly people living in the urban area. The self-reported prevalence of osteoporosis was estimated according to socioeconomic and demographic variables, morbidity, health behaviors and problems. Crude prevalence ratios were estimated and adjusted by means of simple and multiple regressions using the Poisson svy commands in Stata 11.0 software. RESULTS: We found a prevalence of osteoporosis of 14.8%, and significantly higher in females, in individuals who reported white skin, those who reported less than 7 hours of sleep/day, in patients with rheumatism/arthritis/arthrosis, asthma/bronchitis/emphysema, tendinitis, dizziness, insomnia, common mental disorders, BMI < 27, health self-related as bad and very bad, and reporting falls occurring in the last 12 months. CONCLUSION: The present study, by identifying the factors associated with osteoporosis, identified segments of older people with a higher prevalence of the disease; to this information may contribute to the planning of public health policies and programs aimed at controlling the disease and its consequences.


Assuntos
Osteoporose/epidemiologia , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Brasil/epidemiologia , Estudos Transversais , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Prevalência , Autorrelato , Saúde da População Urbana
9.
Rev. bras. geriatr. gerontol ; 19(4): 653-660, July-Aug. 2016. tab
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: lil-795222

RESUMO

Abstract Introduction: the adequate intake of nutrients involved in bone metabolism can prevent and even reduce the risk of osteoporosis. Objective: verify the intake of total calories, protein and calcium in women diagnosed with osteopenia and osteoporosis after menopause. Method: a study of 25 women diagnosed with osteopenia (n=17) or osteoporosis (n=8) in the postmenopausal period, who were members of the Prática de Exercícios Físicos na Osteoporose (Practice of Physical Exercise Against Osteoporosis) (PEFO) study group of the Universidade Tecnológica Federal do Paraná (the Federal Technology University of Paraná) (UTFPR). The study was divided into two data collection phases: assessment of body composition and bone mineral density by Dual-energy X-ray Absorptiometry (DXA) and the recording of food consumption over the previous 72 hours by means of a structured interview. Results: there was a difference between the reference values and the average values found for caloric, protein and calcium intake. There were higher values for protein, while calcium intake was low. The osteoporosis group (mean 59.24+80.07, p<0.05) ingested significantly more protein than the osteopenia group (mean 15.14+16.53, p<0.05). The results showed a significant negative correlation between protein intake and hip BMD (r=-0.416, p<0.05). Conclusion: adequate intake of protein should be recognized as a protective factor for osteoporosis and considered by nutritionists, as well as being widely featured in public health campaigns. au


Resumo Introdução: o consumo adequado de nutrientes envolvidos no metabolismo ósseo pode prevenir e até reduzir o risco do surgimento da osteoporose. Objetivo: verificar a ingestão de calorias totais, proteínas e cálcio em mulheres diagnosticadas com osteopenia e osteoporose após a menopausa. Método: realizou-se um estudo com 25 mulheres diagnosticadas com osteopenia (n=17) ou osteoporose (n=8) no período pós-menopausa, participantes do grupo de estudos de Prática de Exercícios Físicos na Osteoporose (PEFO) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). O estudo foi dividido em duas fases para coleta dos dados: avaliação da composição corporal e densidade mineral óssea por Absortometria Radiológica de Dupla Energia (DXA) e preenchimento de recordatórios de consumo alimentar das últimas 72 horas por meio de entrevista estruturada. Resultados: Os dados emergidos demonstram diferença entre os valores de referência e os valores médios encontrados na ingestão calórica, proteica e de cálcio. Os valores mais expressivos referem-se à alta ingestão de proteínas e à baixa ingestão de cálcio. O grupo osteoporose (média 59,24+80,07, p<0,05) ingere significativamente mais proteínas do que o grupo osteopenia (média 15,14+16,53, p<0,05). Os resultados mostraram uma correlação negativa significativa entre a ingestão de proteínas e a DMO de fêmur (r=-0,416, p<0,05). Conclusão: Desta forma, a adequada ingestão de proteínas também deve ser considerada como um fator de proteção à osteoporose e considerado pelos nutricionistas e difundido nas campanhas de saúde pública. au


Assuntos
Humanos , Feminino , Idoso , Ciências da Nutrição , Osteoporose , Pós-Menopausa , Saúde da Mulher
10.
Rev Bras Reumatol Engl Ed ; 56(2): 111-6, 2016.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-27267523

RESUMO

INTRODUCTION: Climacteric women are susceptible to a number of changes, among them osteoporosis. Osteoporosis is a disease characterized by low bone mass and susceptibility to fracture. Currently, this disease is a public health issue, being necessary to recognize its risk factors. OBJECTIVES: Identify risk factors related to osteoporosis in women attending PROPIS/PROEX/UFMA, tracing a socio-demographic characterization and considering community lifestyles. MATERIAL AND METHODS: This is a transversal retrospective clinical with a quantitative approach study conducted between March and June 2013 in São Luís-MA with 107 women treated at the Programa de Práticas de Integralidade em Saúde (PROPIS - Integrality Health Practice Program). The study was approved by the University Hospital Ethics Committee of UFMA under opinion no. 362/07. Data were tabulated and analyzed in the epidemiological Epi-Info(®) software, version 3.4.1. RESULTS: The brown color was predominant, consensual relationships proved to be a protective factor and low education was a risk factor. The average age of the group with menopause was 54.1 years and without menopause was 31.3 years (p<0.0001). The average age of menopause was 43.7 years. The irregular menstrual cycle was a protective factor. The average number of pregnancies was 4.56 for the group with menopause and 2.45 for the group without menopause, with most births occurring normally (p<0.0001). Smoking, physical inactivity and caffeine intake were risk factors, while the absence of alcoholism and of soda intake were protective factors for the disease. CONCLUSION: The patients followed the socioeconomic and demographic profile of Maranhão. Most had menarche and menopause in appropriate periods, showed no positive family history of osteoporosis, did not usually drink alcohol, were sedentary and the caffeine intake was high.


Assuntos
Comportamentos Relacionados com a Saúde , Menopausa , Osteoporose/epidemiologia , Adulto , Densidade Óssea , Feminino , Humanos , Pessoa de Meia-Idade , Osteoporose/prevenção & controle , Paridade , Atenção Primária à Saúde , Estudos Retrospectivos , Fatores de Risco
11.
Rev. bras. epidemiol ; 19(2): 294-306, Apr.-Jun. 2016. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-789570

RESUMO

RESUMO: Introdução: A osteoporose é uma doença multifatorial que predispõe o indivíduo a sofrer quedas e fraturas, provocando incapacidade funcional e uma consequente redução da qualidade de vida. Objetivo: Analisar a prevalência e fatores associados à osteoporose autorreferida na população de idosos residentes em Campinas, São Paulo (ISACAMP 2008). Métodos: Trata-se de estudo transversal, com amostra probabilística tomada por conglomerados em 2 estágios totalizando 1.419 idosos residentes na área urbana. Foram estimadas as prevalências de osteoporose autorreferida segundo variáveis socioeconômicas e demográficas, morbidades, problemas e comportamentos de saúde. Foram estimadas razões de prevalências brutas e ajustadas por meio de regressões simples e múltipla de Poisson utilizando os comandos svy do software Stata 11.0. Resultados: Encontrou-se uma prevalência de osteoporose de 14,8%, que foi significativamente mais elevada: no sexo feminino, nos indivíduos que autrorreferiram cor de pele branca, naqueles que relataram menos de 7 horas de sono/dia, nos idosos com reumatismo/artrite/artrose, asma/bronquite/enfisema, tendinite, tontura, insônia, transtorno mental comum, IMC > 27, autoavaliação da saúde como ruim e muito ruim e nos que relataram ocorrência de queda nos últimos 12 meses. Conclusão: O presente estudo, por meio da identificação dos fatores associados à osteoporose, identificou subgrupos idosos com maior prevalência da doença, podendo contribuir com essas informações para o aprimoramento de programas de saúde voltados ao controle da doença e de suas consequências.


ABSTRACT: Introduction: Osteoporosis is a multifactorial disease that predisposes individuals to suffer falls and fractures, causing functional impairment and a consequent reduction in quality of life. Objective: To assess the prevalence and factors associated with self-reported osteoporosis in the elderly population living in Campinas, São Paulo, Brazil (ISACAMP 2008). Methods: Cross-sectional study with a random sample taken by conglomerates in 2 stages totaling 1,419 elderly people living in the urban area. The self-reported prevalence of osteoporosis was estimated according to socioeconomic and demographic variables, morbidity, health behaviors and problems. Crude prevalence ratios were estimated and adjusted by means of simple and multiple regressions using the Poisson svy commands in Stata 11.0 software. Results: We found a prevalence of osteoporosis of 14.8%, and significantly higher in females, in individuals who reported white skin, those who reported less than 7 hours of sleep/day, in patients with rheumatism/arthritis/arthrosis, asthma/bronchitis/emphysema, tendinitis, dizziness, insomnia, common mental disorders, BMI < 27, health self-related as bad and very bad, and reporting falls occurring in the last 12 months. Conclusion: The present study, by identifying the factors associated with osteoporosis, identified segments of older people with a higher prevalence of the disease; to this information may contribute to the planning of public health policies and programs aimed at controlling the disease and its consequences.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Osteoporose/epidemiologia , Brasil/epidemiologia , Estudos Transversais , Prevalência , Autorrelato , Saúde da População Urbana
12.
Rev. enferm. UFPE on line ; 10(3): 969-976, mar. 2016. tab
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1031564

RESUMO

Objetivo: identificar os diagnósticos de enfermagem do domínio promoção da saúde em mulheres com osteoporose no climatério à luz do conceitual de Orem. Método: estudo descritivo, do tipo transversal, realizado com 35 mulheres com diagnóstico de osteoporose secundária à menopausa, na faixa etária de 45 aos 65 anos,atendidas em um centro de especialidades do município de Imperatriz (MA), Brasil. Resultados: os principais diagnósticos identificados foram: Disposição para autocontrole da saúde melhorado (94,2%) e Estilo de vida sedentário (83%). Conclusão:os achados demostraram que a identificação das necessidades de cuidados favorece a implantação de intervenções específicas, contribuindo para a qualidade da assistência de enfermagem às mulheres com osteoporose


Assuntos
Feminino , Humanos , Adulto , Idoso , Autocuidado , Diagnóstico de Enfermagem , Osteoporose , Promoção da Saúde , Climatério , Epidemiologia Descritiva
13.
Rev. bras. med. fam. comunidade ; 11(38): 1-9, jan./dez. 2016. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, Coleciona SUS | ID: biblio-877780

RESUMO

Objetivo: Identificar a caracterização do uso do alendronato sódico por pacientes em tratamento para osteoporose na Atenção Primária à Saúde (APS) no município de Sobral, CE, e relacionar os possíveis fatores que poderiam influenciar a adesão ao tratamento medicamentoso. Métodos: Estudo observacional, transversal, descritivo e quantitativo. Foi realizado com o uso de um questionário, entre fevereiro e março de 2012, com 90 pacientes em tratamento para osteoporose com alendronato sódico, de ambos os sexos e maiores de 50 anos. Resultados: Noventa e nove porcento dos pacientes eram representados pelo o sexo feminino. Sobre a faixa etária, 67% correspondiam a mais de 60 anos. Houve predominância de fratura na coluna em 45% dos pacientes. Sessenta e dois porcento ingeriam o alendronato de forma inadequada e 43% relataram alguma reação adversa ao medicamento. Conclusão: O uso inadequado do alendronato de sódio pelos pacientes, assim como sua ausência nos Centros de Saúde da Família (CSF), são fatores que influenciam diretamente na não adesão ao tratamento da osteoporose. É importante que sejam desenvolvidas ações de educação em saúde sobre o uso adequado desse medicamento como forma de garantia de qualidade de vida.


Objective: To examine the use of alendronate sodium among patients undergoing treatment for osteoporosis in primary health care (PHC) in the city of Sobral, CE, and to list the possible factors that could influence adherence to medication. Methods: An observational, cross-sectional, descriptive, and quantitative study was conducted using a questionnaire between February and March 2012. The participants were 90 patients from both sexes being treated with alendronate sodium for osteoporosis, and aged 50 years or more. Results: Of the participants, 99% were females and 67% were more than 60 years old. Spinal fracture was predominant (45% of the sample), 62% consumed the drug inappropriately, and 43% reported an adverse drug reaction. Conclusion: Improper use of alendronate sodium by patients and its shortage in the Family Health Center (FHC) are factors that directly influence adherence to osteoporosis medication. It is important that health education programs be developed on the appropriate use of this drug as a guarantee of quality of life.


Objetivo: Identificar la caracterización del uso de alendronato para los pacientes que reciben tratamiento para la osteoporosis en Atención Primaria de Salud (APS) en el municipio de Sobral-CE, y la lista de los posibles factores que podrían influir en la adherencia a la medicación. Métodos: Se realizó un estudio observacional, transversal, descriptivo y cuantitativo. Se llevó a cabo a través de un cuestionario entre febrero y marzo de 2012, con 90 pacientes tratados con alendronato para la osteoporosis en ambos sexos y mayores de 50 años. Resultados: Noventa y nueve por ciento fueron representados por las mujenes. Entre el grupo de edad, el 67% eran mayores de 60 años. Predominaron fractura vertebral representado por 45%. Sesenta y dos por ciento recibió el fármaco de manera inapropiada y 43% informó una reacción adversa a un medicamento. Conclusión: El uso inadecuado de alendronato por los pacientes, así como su ausencia en el Centro de Salud de la Familia (CSF) son factores que influyen directamente en la falta de adherencia al tratamiento de la osteoporosis. Es importante que se desarrollen actividades educativas de salud sobre el uso adecuado de este fármaco como una garantía de calidad de vida.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Alendronato , Serviços de Saúde para Idosos , Osteoporose , Atenção Primária à Saúde
14.
Medicina (Ribeiräo Preto) ; 49(1): 26-34, jan.-fev. 2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-790222

RESUMO

Pós-menopausa é período de maior perda óssea e faz-se necessário instituir medidas preventivas que amenizem sua progressão. Objetivo: correlacionar o escore da densidade mineral óssea (DMO) e seus fatores de risco, buscando determinar aqueles que mais a influenciam. Método: estudo transversal, descritivo de 62 mulheres na pós-menopausa, saudáveis, idade média de 56,82 ± 4,02 anos, avaliadas quanto aos fatores de risco para osteoporose e nível de atividade física. Absorção de dupla energia de raios-X (DXA) avaliou coluna lombar e fêmur proximal. Os grupos, DMO normal e diminuída, foram analisados pelos testes T de Student, qui-quadrado e correlações. Resultados: Mulheres com menor índice de massa corporal (IMC), maior idade e maior tempo de menopausa apresentaram menor DMO em fêmur. Raça negra e ausência de história familiar correlacionaram-se com maior DMO. Conclusão: IMC, idade, peso, história familiar de osteoporose, raça e tempo de menopausa foram os principais fatores determinantes da DMO em mulheres na pós-menopausa.


Post-menopause is the period of greatest bone loss and it is necessary to introduce preventative measures to mitigate its progression. Aim: compare the score of bone mineral density (BMD) and their risk factors and to determine those most influencing. Method: Cross-sectional, descriptive study of 62 postmenopausal women, healthy, average age 56.82 ± 4.02 years, evaluated for risk factors for osteoporosis and physical activity level. Absorption dual energy X-ray absorptiometry (DXA) evaluated lumbar spine and proximal femur. Groups, normal and reduced BMD were analyzed by Student’s t test, chisquare and correlations. Results: Women with lower body mass index (BMI), older age and longer duration of menopause had lower BMD at the femur. Black race and absence of family history correlated with higher BMD. Conclusion: BMI, age, weight, family history of osteoporosis, race, and time since menopause were the main determinants of BMD in postmenopausal women.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Doenças Ósseas Metabólicas , Fatores de Risco , Fraturas Ósseas , Osteoporose
15.
Arq. ciências saúde UNIPAR ; 20(3): 183-188, set.-dez. 2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-832971

RESUMO

A osteoporose é caracterizada por desordem do sistema esquelético caracterizada por baixa massa óssea e deteriorização da microarquitetura do tecido ósseo levando a fragilidade óssea com aumento da suscetibilidade a fraturas. Considerada a doença osteometabólica mais comum, de distribuição global, pode comprometer ambos os sexos, diferentes idades ou raças. As consequências relacionadas a essas doenças são as fraturas vertebrais verificadas em aproximadamente 20% das mulheres acima de 65 anos em pós-menopausa. Além disso, a consequência dessa fragilidade óssea pode levar a consequências graves como dor, deformidades, sequelas, restrições motoras e morte precoce, portanto, associada com alta morbi/mortalidade. Desta forma, sabendo que as medicações utilizadas para o tratamento da osteoporose não são isentas de risco (por exemplo, aumento do risco de tromboses, câncer de mama/ ovário/ endométrio, lesões musculares, entre outras), foi realizado uma revisão bibliográfica com o intuito de avaliar se existem plantas medicinais que possam ter efeitos ósseo protetores com menor número de efeitos adversos em relação aos fármacos sintéticos. Em síntese, verificou-se que os fármacos sintéticos podem acarretar prejuízos à saúde do paciente a longo prazo e que as plantas medicinais ou fitoterápicos utilizadas no Brasil apresentam estudos científicos com menores efeitos colaterais e, portanto, são uma alternativa viável para o tratamento e prevenção da osteoporose, visto que a Politica Nacional de Práticas Integrativas e Complementares na Atenção Básica sustenta esta tendência mediante subsídios como a Farmacopeia Brasileira e o Memento Fitoterápico.


Osteoporosis is characterized by skeletal system disorder, consisting of low bone mass and deterioration of the microarchitecture of the bone tissue, leading to bone fragility with increased susceptibility to fractures. Considered the most common osteometabolic disease worldwide, it affects both sexes, different ages and races. The consequences of these diseases are vertebral fractures in approximately 20% of postmenopausal women over 65 years of age. In addition, the consequence of this bone fragility may lead to serious consequences, such as pain, deformities, sequelae, motor restrictions and early death, being therefore associated with high morbidity/mortality. Therefore, knowing the medication used in the treatment of osteoporosis are not free of risk (for example, increased risk of thrombosis, breast/ovarian/endometrial cancer, muscle injuries, among others), a bibliographical review was made with the intent of evaluating whether there are medicinal plants that may have protective effects on the bones with a decreased number of side effects in relation to synthetic medication. In summary, we found that synthetic drugs may cause long-term health damage in the patient, and that herbal or medicinal plants used in Brazil present scientific studies with lower side effects. They are, therefore, a viable alternative for the treatment and prevention of osteoporosis, since this trend is supported by the National Policy of Integrative and Complementary Practices in Primary Care through subsidies, such as the Brazilian Pharmacopoeia and the Phytotherapeutic Memento.


Assuntos
Humanos , Feminino , Idoso , Osteoporose , Medicamento Fitoterápico , Fitoterapia , Brasil
16.
São Paulo; s.n; 2016. 87 p. ilus, tab. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-868003

RESUMO

O rastreio de osteoporose utilizando imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) é um procedimento ainda discutível. O objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade óssea de mulheres de diversas faixas etárias (AG) através de índices de radiomorfométricos obtidos em TCFC. Setenta e cinco imagens de TCFC de mulheres (idades compreendidas entre 40 - 70 anos) foram avaliadas. Os pacientes foram agrupados de acordo com AG, em três maneiras diferentes, de acordo com a prevalência de osteoporose em mulheres brasileiras. Os índices avaliados foram: índice cortical mandibular (ICM), índice mentual (IM) e os índices de tomografia computadorizada superior e inferior (ITC). Dois examinadores calibrados avaliaram as imagens em três tempos: Abertura / reconstrução de imagens (1), repetindo este procedimento e salvando a reconstrução (2), e a avaliação das imagens reconstruídas (3). As reconstruções panorâmicas (variando as espessuras: 0,30, 10, e 20 mm) e imagens transaxiais foram avaliadas. A concordância intra e inter-examinador foram avaliadas por meio do teste Kappa e estatísticas de coeficiente de correlação intraclasse. A correlação de Pearson foi utilizada para verificar a relação entre os índices avaliados e AG. O teste de quiquadrado foi utilizado para comparar a prevalência de osteoporose de acordo com cada parâmetro e AG. Os índices avaliados não apresentaram correlação com AG. Alta concordância intra e inter-examinador foi encontrada para IM e ITC, mas não para ICM. A prevalência da osteoporose variou grandemente, de acordo com o índice avaliado e o valor de corte utilizado para definir a doença (com base na qualidade do osso). Os índices radiomorfométricos quantitativos obtidos na TCFC podem ser avaliados de uma forma reprodutível. Não houve correlação entre os índices e AG, o que sugere que as imagens de TCFC não devem ser utilizadas para o rastreio de osteoporose.


Screening for osteoporosis using cone beam CT images (CBCT) is a datable procedure. The aim of this study was to evaluate the bone quality of women from diverse age groups (AG) using CBCT-based radiomorphometric indices. Seventy-five CBCT images of women (age range 40 - 70) years were evaluated. Patients were grouped according to AG, in three diverse manners, according to prevalence of osteoporosis in Brazilian women. The mandibular cortical (MCI), mental (MI), and the superior and inferior computed tomography (CTI) indices were assessed. Two calibrated examiners assessed the images in three instances: opening/reconstructing the images (1), repeating this procedure (2), and assessing the reconstructed images once again (3). Panoramic reconstructions (0.30, 10, and 20 mm thicknesses) and cross-sectional images were assessed. Intra and inter-examiner agreement were assessed by means of Kappa and intraclass correlation coefficient statistics. Pearson correlation was used to verify the relationship between the assessed indices and AG. Chi-square statistics was used to compare the prevalence of osteoporosis according to each index and AG. Assessed indices showed no correlation with AG. High intraand inter-examiner agreement was found for MI and CTI but not to MCI. The prevalence of osteoporosis varied widely, according to the assessed index and to the cutoff used to define the disease (based on bone quality). Quantitative CBCT-based radiomorphometric indices can be assessed in a reproducible manner. No correlation between AG and the assessed indices was found, suggesting that CBCT images should not be used for the screening of osteoporosis.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Osteoporose Pós-Menopausa/complicações , Osteoporose Pós-Menopausa/diagnóstico , Osteoporose/classificação , Osteoporose/diagnóstico , Pré-Menopausa , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico/efeitos adversos , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico/estatística & dados numéricos , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico/instrumentação , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico
17.
São José dos Campos; s.n; 2016. 66 p. 66, ilus, tab., graf..
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-848401

RESUMO

O consumo excessivo de álcool constitui importante problema de saúde pública e possui ainda relação direta com a perda óssea mediante desequilíbrio da remodelação óssea, diminuição das taxas de reabsorção e também da osteogênese. A deficiência estrogênica também está diretamente associada à osteoporose, pois leva ao aumento da formação de osteoclastos e diminuição da síntese de osteoblastos, gerando um desequilíbrio no processo de remodelação óssea. A combinação de osteoporose e consumo de álcool pode ter efeito sinérgico e deletério sobre o tecido ósseo e tem sido objeto de estudos. O objetivo deste trabalho foi verificar possíveis alterações no metabolismo ósseo em fêmures de ratas submetidas ao alcoolismo crônico e deficiência estrogênica induzida por ovariectomia, por meio de análise histomorfométrica e imunoistoquímica. Foram utilizadas 90 ratas (Rattus norvegicus, variação albinus, Wistar) com 3 meses de idade, divididas em 6 diferentes grupos de igual número (15), conforme o tipo de dieta e quanto à presença ou ausência hormonal: Grupo 1: ovariectomia simulada (Sham), água e dieta livre; Grupo 2: Sham tratado com doses diárias de solução alcoólica a 20%; Grupo 3: Sham e alimentação isocalórica aos grupos associados ao álcool, fornecida por meio de solução aquosa de sacarose e dieta sólida; Grupo 4: ovariectomia, água e dieta sólida livre; Grupo 5: ovariectomia tratado com doses diárias de solução alcoólica a 20%; Grupo 6: ovariectomia e alimentação isocalórica semelhante ao grupo 3. Após 8 semanas do início da dieta, fez-se a eutanásia de todos os animais, e os fêmures foram removidos. A análise da dieta mostrou que o grupo Ovz dieta livre foi o que mais ganhou peso e o que mais ingeriu ração, apresentando diferenças significativas com relação aos demais grupos. Os animais dos grupos álcool consumiram em média 16 gramas de álcool por dia, sendo que o Sham álcool consumiu mais álcool, quando comparado ao Ovz álcool. Através da histomorfometria foi observado que os animais ovariectomizados apresentaram menor quantidade de osso trabecular em porcentagem, do que os sham operados, porém, sem diferença significativa. Os marcadores da remodelação óssea, RANKL, Osteoprotegerina e Osteocalcina, utilizados nas reações imunoistoquímicas, não mostraram alterações significativas no processo de remodelação óssea. Concluiu-se que ratas adultas jovens, esqueletalmente imaturas, submetidas ao alcoolismo crônico moderado, à remoção dos ovários ou à associação de ambos, mantêm as características de remodelação óssea cortical e trabecular do fêmur preservadas(AU).


Excessive alcohol consumption is an important public health problem and also has direct relation with bone loss by imbalancing bone turnover. Estrogen deficiency is directly associated with osteoporosis, because it leads to an unequal bone resorption and formation by increased osteoclast formation and decreased synthesis of osteoblasts. The combination of osteoporosis and consumption of alcohol can have deleterious and synergistic effect on bone tissue and has been the subject of several studies. The objective of this study will be to investigate possible changes in bone metabolism in femurs of rats submitted to chronic alcoholism and estrogen deficiency induced by ovariectomy. We used 90 rats (Rattus norvegicus, Albinus variation, Wistar) with 3 months old. The animals were divided into six different groups of equal number, according to the type of diet and the presence or absence of hormones: Group 1: sham ovariectomized (sham), water and free diet, Group 2: Sham treated daily with alcoholic solution of 20% and feed ad libitum; Group 3: Sham isocaloric nutritional control group ­ treated with liquid diet containing sucrose with the same average calories ingested on the eve by the alcohol group and solid diet; Group 4: ovariectomy, water and solid diet free; Group 5: ovariectomy treated daily with alcoholic solution of 20% and feed ad libitum; Group 6: ovariectomy isocaloric nutritional control group like group 3. After 8 weeks from the beginning of the diet, all animals were sacrificed and femurs were removed. Diet analysis showed that the Ovx ad libitum was the group that ingested more feed and gained more weight, showing significant differences with the other groups. The animals of alcohol groups, consuming on average 16 grams of alcohol per day, Sham alcohol group consumed more alcohol, as compared to OVZ alcohol. Femurs were evaluated by histomorphometric analysis and immunohistochemical analysis, using the markers, RANKL, Osteoprotegerin and Osteocalcin. The histomorphometric analysis evidenced that ovariectomized animals showed, in percentage, a lower amount of trabecular, than the sham operated, but without significant differences. Markers of bone turnover in immunohistochemical reactions showed no significant changes in bone remodeling process. It was concluded that the combination of estrogen deficiency and moderate chronic alcohol consumption did not cause deleterious effects on bone remodeling of the femur of young adult rats(AU)


Assuntos
Humanos , Osteoporose , Alcoolismo , Fêmur
18.
Belo Horizonte; s.n; 2016. 51 p. ilus, tab.
Tese em Inglês, Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-906225

RESUMO

Introdução: A osteoporose é uma doença silenciosa e de crescente prevalência, que é capaz de causar fraturas e influenciar na qualidade de vida dos pacientes. Objetivo: Avaliar comparativamente a saliva de pacientes com e sem perda de massa á óssea quanto a dosagem de cálcio, viscosidade e pH. Material e Métodos: Foi realizado um estudo transversal controlado, com dois grupos com 32 indivíduos do sexo feminino no período de pós-menopausa, portadoras de exame de densitometria óssea e encaminhadas pelo SUS, para tratamento odontológico na UFMG. Grupo 1: pacientes com diminuição de massa óssea. Grupo 2: pacientes sem alterações de massa óssea. Foram avaliados: concentração de cálcio, fluxo, viscosidade e dosagem de pH salivar. Também foi realizado um exame bucal, buscando variáveis como CPO-D e saburra lingual. Os dados obtidos foram analisados por estatística descritiva e inferencial, adotando-se um valor de p < 0,05. Resultados: A média de idade das pacientes foi de 60 anos (± 7.35), nos dois grupos e os valores de fluxo salivar, pH e viscosidade foram semelhantes entre os grupos analisados. A média de proteínas totais foi de 14,8 mg/mL e 19,0 mg/mL nos grupos com alteração de massa óssea e sem alteração, respectivamente. A presença de saburra lingual e os valores de cálcio salivar foram significativamente maiores no grupo de pacientes com alteração de massa óssea (< 0.001). Conclusão: O cálcio salivar se mostrou uma importante ferramenta de rastreio e pode, futuramente, ser utilizado para se realizar o diagnóstico de alterações de massa óssea.(AU)


Introduction: Osteoporosis is a silent and increasingly prevalent disease that can cause fractures and influence patients' quality of life. Objective: To evaluate comparatively the saliva of patients with and without loss of bone mass in the dosage of calcium, viscosity and pH .Methods: a controlled cross-sectional study was conducted with two groups of 32 women in the postmenopausal period, applying a bone densitometry exam, who were later referred for dental management at the Federal University of Minas Gerais (UFMG). Patients were separated into two groups: group 1 - patients with low BMD and group 2 - patients without bone mass changes. The parameters evaluated in saliva were: salivary calcium concentration, flow, viscosity, pH, and average total protein. An oral examination was also performed, searching for DMFT variables and tongue coating. Data were analyzed using descriptive and inferential statistics, adopting a p-value < 0.05. Results: The patients' mean age was 60 years (± 7:35). The salivary flow, pH, and viscosity were similar among the groups. The average total protein was 14.8 mg/mL and 19.0 mg/ml in groups with low BMD and no observed changes, respectively. The presence of tongue coating and salivary calcium values were significantly higher in patients with low BMD (p < 0.001). Conclusion: Salivary calcium provided important screening tools and may eventually be used to make the diagnosis of bone mass changes, as it presented statistically significant results in the group with low bone mass.(AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Densidade Óssea , Cálcio/análise , Osteoporose , Pós-Menopausa , Saliva , Doenças Ósseas Metabólicas , Estudos Transversais , Menopausa , Saúde Bucal
19.
Belo Horizonte; s.n; 2016. 51 p. ilus.
Tese em Inglês, Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-911284

RESUMO

A osteoporose é uma doença silenciosa e de crescente prevalência, que é capaz de causar fraturas e influenciar na qualidade de vida dos pacientes. Objetivo: Avaliar comparativamente a saliva de pacientes com e sem perda de massa á óssea quanto a dosagem de cálcio, viscosidade e pH. Material e Métodos: Foi realizado um estudo transversal controlado, com dois grupos com 32 indivíduos do sexo feminino no período de pós-menopausa, portadoras de exame de densitometria óssea e encaminhadas pelo SUS, para tratamento odontológico na UFMG. Grupo 1: pacientes com diminuição de massa óssea. Grupo 2: pacientes sem alterações de massa óssea. Foram avaliados: concentração de cálcio, fluxo, viscosidade e dosagem de pH salivar. Também foi realizado um exame bucal, buscando variáveis como CPO-D e saburra lingual. Os dados obtidos foram analisados por estatística descritiva e inferencial, adotando-se um valor de p < 0,05. Resultados: A média de idade das pacientes foi de 60 anos (± 7.35), nos dois grupos e os valores de fluxo salivar, pH e viscosidade foram semelhantes entre os grupos analisados. A média de proteínas totais foi de 14,8 mg/mL e 19,0 mg/mL nos grupos com alteração de massa óssea e sem alteração, respectivamente. A presença de saburra lingual e os valores de cálcio salivar foram significativamente maiores no grupo de pacientes com alteração de massa óssea (< 0.001). Conclusão: O cálcio salivar se mostrou uma importante ferramenta de rastreio e pode, futuramente, ser utilizado para se realizar o diagnóstico de alterações de massa óssea


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Osteoporose Pós-Menopausa/complicações , Osteoporose/complicações , Saliva/fisiologia , Distribuição por Idade , Estudos Transversais/estatística & dados numéricos , Interpretação Estatística de Dados
20.
São Paulo; s.n; 2016. 48 p.
Tese em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-11270

RESUMO

É relatado o caso de uma paciente portadora de osteoporose que, devido a efeitos colaterais decorrentes dos medicamentos prescritos foi obrigada a interromper o tratamento convencional. Foi instituído tratamento homeopático, sendo prescrito Calcarea fluorica e Calcarea phosphorica. Os resultados obtidos com o tratamento homeopático são avaliados por meio de densitometria óssea e comparados ao tratamento convencional realizado anteriormente. (AU)


We report the case of a patient with osteoporosis who , due to side effects of prescription drugs was forced to stop conventional treatment . It was established homeopathic treatment being prescribed Calcarea fluorica and Calcarea phosphorica. The results with homeopathic treatment are assessed by bone densitometry and compared to conventional treatment performed previously. (AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Idoso , Homeopatia , Calcarea Phosphorica/uso terapêutico , Calcarea Fluorica/uso terapêutico , Osteoporose/terapia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...